Busca

Tag

força

Somos fortes

SOMOS FORTES

Quando a gente ouve ou diz “você é forte, vai superar, isso vai passar”

Não quer dizer pouco caso com a dor ou sofrimento do outro

Quer dizer, quase sempre, “sei como é isso, uma hora há de passar”

Ainda que quem diz não tenha superado nada

Apenas tem tentado seguir a vida

Aprendendo a cada passo do caminhar, sozinho ou não

Que não é fingindo que a dor não existe

Ou engolindo o choro, tampouco se escondendo do mundo

Que tudo irá se encaixar…

Enfrentar o que fere e sangra dentro de si

Fazendo curativos de fé, usando compressas de amor

Tendo esperanças em dias mais amenos, apagando pesadelos, ativando sonhos bons

Evitando culpas, recriminações e autopiedade excessivas, confiando em si mesmo…

Isso fará o sol voltar a brilhar um dia

Isso é ser forte!

Essa capacidade de resistir todos temos

Chama-se sobrevivência e é forte em todo ser vivo

Apenas oscila e tem botões acionadores diferentes…

Somos fortes! 😇🙏

Alda M S Santos

Tô indo…

TÔ INDO…

– Como você está?

– Tô indo…

– Indo? Pra onde? Como?

– Seguindo em frente, no caminho que se apresenta.

Quem pergunta nem sempre quer saber

Quem responde nem sempre quer responder…

Outras vezes quem pergunta sabe bem a resposta

Quer apenas confirmação do imaginado

Quem responde prefere não abrir porteira de problemas,

Não quer incomodar…

“Tô indo“ muitas vezes é resignação

Aceitação do equilíbrio necessário entre escolhas e consequências

Entre vitórias e derrotas, lágrimas e sorrisos

“Tô indo” pode ser demonstração de luta e força

De não entrega, de resistência à tristeza dos dias nublados

Por saber que o sol tem força para surgir entre nuvens

Aquecer, deixar nascer e crescer brotos de esperança e paz…

“Tô indo, e você?”

Alda M S Santos

Essa força estranha

ESSA FORÇA ESTRANHA

De onde vem essa força?

A força que faz tantos carregarem um peso

Muitas vezes maior que o próprio?

De onde vem essa força

Que faz sorrir, onde tantos derramam rios de lágrimas?

De onde vem essa força

Que nasce, cresce, se espalha e se renova

E a tantos contagia, surpreende?

De onde vem essa força

Que brota em terrenos aparentemente áridos e inférteis?

De onde vem essa força

Que cresce nos vazios alheios que preenche

De onde vem essa força estranha

Se não de dentro de nós mesmos?

É sempre lá que a força está,

Sempre!

Pode estar em repouso, mas existe

Pode ser leve como uma esperança, voar, flutuar

Apenas precisa de algo que a acione

Em alguns é um sorriso, um abraço, uma família

Um trabalho prazeroso, uma mão que se estende

Uma amizade sincera, um amor incondicional

Talvez até uma grande decepção ou tristeza

Palavras de fé e estímulo, um olhar amoroso

Até mesmo por ter alguém que deles necessitem

Atividades de amor, solidariedade e compaixão, Deus…

A força está em cada um de nós

Cada qual tem algo especial que a faz mirrar ou crescer

De onde vem sua força?

Alda M S Santos

Um dia de cada vez…

UM DIA DE CADA VEZ

Quando a felicidade estiver muito próxima da tristeza

Quando a força exigida para manter-se de pé

Estiver fragilizando ainda mais as pernas

Melhor deixar-se “cair”, reconhecer-se frágil

Talvez até impotente naquele momento

Sentar-se à beira da estrada, descansar de tantas dores e cobranças

Dos outros, de si mesmo, principalmente

Abastecer-se de fé e coragem, reconhecer-se humano

E quando a força for chegando aos poucos, se renovando

Levantar, voltar a seguir, um passo de cada vez, degrau por degrau

Lembrando do aprendizado que ficou para não cair ou derrubar novamente

Construindo pacientemente um novo caminho para si

Nem tão longo, nem tão difícil ou penoso

Abrindo os olhos para a luz que se apresenta à frente

Enxergando e vencendo apenas um dia de cada vez…

Alda M S Santos

Frágil ou forte?

FRÁGIL OU FORTE?

Somos fortes quando perdoamos a quem nos ofende e magoa

Somos frágeis quando não estendemos esse perdão a nós mesmos

Somos fortes quando dizemos sim às necessidades dos outros

Nos tornamos frágeis quando dizemos não às nossas próprias necessidades

Somos fortes quando escolhemos vencer nossos inimigos

Somos frágeis quando ignoramos o inimigo dentro de nós

Somos fortes quando temos autocontrole e autoestima

Somos frágeis quando escolhemos o autoflagelo e vitimização

Somos fortes ao identificar nossas falhas e medos

Somos frágeis ao nos concentrar apenas neles

Somos fortes quando vivemos o amor recebido

Somos mais fortes ainda quando amamos

Somos fortes não quando não temos fraquezas e medos ou não nos quebramos inteiros

Somos fortes por lidar com esses cacos sem nos ferir de morte

Sem ferir de morte aqueles que amamos e queremos bem

A força é evidenciada onde a fragilidade não foi desconsiderada…

Alda M S Santos

Pode parecer

PODE PARECER

Pode parecer abandono, solidão, preguiça

Mas também pode ser opção, escolha, prazer em estar consigo mesmo

Pode parecer inquietude, ansiedade, impaciência

Mas também pode ser excesso de energia, vontade de cuidar do próprio coração

Usando o caminho que passa pelo coração do outro

Pode parecer tristeza, angústia, depressão, vazio

Mas também pode ser introspecção, reflexão, sabedoria, preenchimento

Pode parecer raiva, revolta, rebeldia

Mas também pode ser desânimo e repúdio com tudo que é falso

Pode parecer teimosia, falta de inteligência, obstinação, birra

Mas também pode ser persistência de alguém que não desiste

Pode parecer fuga, abandono, frivolidade, infantilidade

Mas também pode ser maturidade, carinho e proteção

Pode parecer medo, covardia, maldade

Mas também pode ser amor que, sábio, preserva a vida

Pode parecer sorriso, alegria, felicidade a toda prova

Mas também pode ser gratidão, fé na vida e Naquele que a criou

Em qualquer circunstância

Sempre…

Pode ser…

O que é, de verdade, só quem vive é capaz de dizer…

Alda M S Santos

Propaganda enganosa

PROPAGANDA ENGANOSA

Diz-se quanto o divulgado não corresponde ao real

Quando a teoria não funciona na prática

Quando o exposto na vitrine é belo e maravilhoso só ali

Quando o dito ou gritado em bom som

Se cala diante da realidade nua e crua

Quando o lustrado parece mais resistente do que é na verdade

Não suporta, arrebenta, diante da constante batida ou monotonia do cotidiano

Quando o que parece forte e protetor se encolhe aos primeiros trovões

Quando o que parece aquecer desaparece ao primeiro frio

Quando o que promete refrescar se derrete ao primeiro calor escaldante

O que está na vitrine é para ser vendido ou apreciado

Saiu dali, o valor de mercado cai drasticamente

Passou do almejado ao conquistado, do desejado ao adquirido

Além da propaganda enganosa para “vender”

Em nossa práxis, temos o mau hábito de priorizar o que não é nosso

Em detrimento daquilo que já temos…

Quase sempre o que está na vitrine está maquiado, engomado

Até por autoproteção e conservação.

Quem é usuário conhece o produto.

É preciso ver além dos filtros, atrás dos vidros, sem as fortes luzes que fazem parecer tudo belo!

Alda M S Santos

O que não te mata…

O QUE NÃO TE MATA…

“O que não te mata te fortalece”

Afirma o dito que ninguém esquece

Ou será que apenas te entorpece

E o medo sempre prevalece

Escondido para não parecer que enlouquece?

Na luta de fracos e fortes que se estabelece

Quem vence: aquele que não esmorece

Ou ao menos a todos parece

Que sua alma não se enfraquece

E, apesar de tudo, o coração não endurece?

Será mesmo que carece

Sustentar algo que por muito pouco se esvanece

No claustro frio e escuro que te enrijece

Quando na verdade tudo que te apetece

Seria uma vida simples e iluminada que sempre amanhece?

De que vale se para os outros a força é algo que enriquece

Se para você a cada vez que anoitece

Mais e mais essa força sua alegria apodrece?

Não percebem que o que na verdade te rejuvenesce

E tudo que precisa, e seu sorriso resplandece

É apenas de um abraço forte e verdadeiro que te aquece?

Alda M S Santos

Erro de Deus?

ERRO DE DEUS?

“Se há algo que Deus errou ao criar o mundo foi tê-lo entregue à “administração” masculina.”

A vendedora ambulante me dizia quando fui comprar toucas de lã e meias de cano longo.

Afirmou que quase não vendiam por serem usadas com botas e homens não queriam saber de trabalhar.

Falei que precisaria das meias longas, pois seriam brindes para a Festa Junina dos idosos dos asilos que meu grupo ajudava.

“Aposto que são apenas mulheres que ajudam!”

Expliquei que havia alguns homens no grupo, mas que a maioria era mesmo mulheres.

“Tenho minhas dúvidas quanto a Deus ter criado Eva a partir da costela de Adão.”

Sorri solidária.

“Como pode parte da costela ser algo bem melhor?”- não se conformava!

Apesar de brincar, parecia muito chateada e certamente carregava nas costas algum homem preguiçoso e folgado.

“O mundo será melhor quando as mulheres puderem tomar a frente de tudo”!

Consegui algumas meias e um bom desconto nas toucas.

“Para ajudar”- ela disse!

Fui embora pensando naquilo, quase esbarrei no carrinho de picolé de um senhor bem velhinho, bem pequeno, sorridente.

“Um picolé, moça distraída?”

Sorri e agradeci. Olhei para seus pés. Elogiei as botas que usava…

Pus-me a pensar nos homens e mulheres ao longo de minha vida.

O mundo seria melhor se fosse mais feminino.

Era mesmo uma questão de gênero!

Não de gênero físico, mas de gênero da alma.

Almas femininas são mais sensíveis e fortes, paradoxalmente, e administrariam bem melhor esse mundo!

Alda M S Santos

Sangrando

SANGRANDO

Tão bela, tão delicada, tão perfumada

Singela, encantadora, frágil

Frágil? Às vezes!

Sabe se defender, tem espinhos, fere

Resiste às tempestades constantes

Perde folhas, galhos, flores, para manter a raiz

Assim são as roseiras, assim são as pessoas…

A diferença é que elas não ferem a si mesmas

Humanos ferem-se com os próprios espinhos

Se atrapalham, se automutilam, confundem-se

Machucam seus amigos, quem lhes quer bem,

Afastam o essencial, sangram…

Sangrando buscam um caminho menos nebuloso, menos árido

Mais aconchegante, tranquilo, pacífico, alegre

Para colorir, florir, encantar, viver, amar…

Alda M S Santos

Estruturas frágeis

ESTRUTURAS FRÁGEIS

Nem todo mal, dano ou dificuldade

Daqueles que abalam as nossas vidas

Devastam tudo, destroem, “roubam” o que temos de mais valioso

Chegam de uma só vez, como uma tragédia da natureza

Derrubando tudo como furacões ou tsunamis

Muito do que abala nossa estrutura física, mental, emocional

Chega devagarzinho, vai dando pequenos sinais

Nem por isso o mal é menor ou menos doloroso

Como um vazamento subterrâneo de água

Ou um formigueiro que cria buracos no solo

Que, se não interrompido a tempo, derruba uma casa inteira, uma via pública, uma cidade

Aparecem trincas, ignoradas, afundamentos, não percebidos

Abalos sísmicos, não considerados…

O físico, a mente, as emoções também dão sinais quando nossas estruturas internas estão em risco

Dores, febres, esquecimentos, angústias, tristezas excessivas

Sono que não passa ou insônia constante

Insatisfação com tudo, falta de estímulo, desânimo, vícios

Tudo precisa ser considerado para manter firmes nossas estruturas

Somos um prédio com várias conexões interligadas e interdependentes

Muitas vezes com outras estruturas de outros prédios dependentes de nós

Uma delas que falha pode comprometer e ruir tudo

E tornar difícil ou impossível a recuperação

Ao vermos um belo prédio não enxergamos a estrutura que o sustenta

Se está suficientemente forte ou cheia de trincas

Ou se apenas um sopro pode derrubá-lo

Pois talvez o mal esteja comprometendo justamente a percepção dos sinais, do perigo que nos ronda

E costumamos enxergar melhor falhas nos outros que em nós mesmos

Saibamos cuidar de nós mesmos e, melhor ainda, identificarmos isso nos outros

Assim, evitamos criar rachaduras comprometedoras nas estruturas alheias..

Alda M S Santos

Alma vira-latas

ALMA VIRA-LATAS

Há pessoas que têm alma vira-latas

Acostumadas a se virar sozinhas, dormir no chão duro e quente ou no mato molhado

Alimentar-se do que recebem, do que encontram nas “latas” da vida, resistir

Aquecer-se enroscadas em si mesmas, voltar ao útero

Aproveitar até a última gota do que a vida oferece e parece inútil

Descartando o que faz mal, seguindo…

Não têm pedigree, não têm raça definida

Mas têm força descomunal contra adversidades

Adquirem resistência, criam anticorpos contra variados antígenos

Desenvolvem adaptabilidade às mudanças bruscas de tempo

Abrigam-se sob o gigante firmamento, arrancam bicho de pé nos dentes

Não é fácil derrubar uma alma vira-latas convicta do que é, de sua força

Elas atraem umas às outras com a doçura do olhar fiel, com a fé numa proteção Maior

E enfrentam a vida como uma adversária que merece respeito

Sem sangue azul, SRD, sem berço, sem nobreza

São as almas vira-latas as mais nobres que existem!

Alda M S Santos

Descarrilhou?

DESCARRILHOU?

É fácil ser bom quando tudo parece perfeito

Quando o trem da vida segue nos trilhos

O céu está limpo, jardim florido, pássaros a cantar

Quando somos queridos e amados, quando notamos justiça a nossa volta

Os amigos nos abraçam, há borboletas no jardim e no estômago

A fé prevalece, Deus é Pai, somos agradecidos…

Porém…

Provamos realmente que somos bons e sábios

Se conseguirmos manter certa paz, serenidade e confiança

Quando a saúde física perturba, a emocional oscila

Quando o trabalho é muito cansativo, o chefe nos desvaloriza

Os filhos são rebeldes, com ou sem razão, os pais precisam de ajuda e não pedem ou reconhecem

Os amigos nos abandonam ou não podem estar por perto

O cônjuge nem sempre compreende nossas angústias

O céu escurece, o mundo cai, sem perfumes, sem sorrisos, sem beija-flores

Quando nos decepcionamos, perdemos algo que amamos, nosso time tropeça

Quando nos sentimos lesados e todos parecem se tornar nossos inimigos

Deus não nos ama mais, nos rebelamos, queremos consertar tudo à força…

Nessas horas é difícil ser bom, pacífico

Mas de que vale uma bondade apenas quando tudo parece bem

Se ela é mais necessária quando tudo vai mal?

Se o trem da vida descarrilhar, melhores peritos temos que nos tornar

Para os vagões não desgovernarem e atropelarem todos a nossa volta!

Alda M S Santos

Reações em cadeia

REAÇÕES EM CADEIA

Uma lagoa tranquila, águas praticamente paradas

Uma pedrinha que se joga e várias ondas se formam em cadeia

Até o lago voltar novamente ao repouso do início

Muitos movimentos são despertados e se propagam

Todos os nossos movimentos nessa vida provocam “ondas”

Quer sejam ações físicas ou emocionais,

Ondas se formam… nos outros, dentro de nós mesmos…

Mau humor, rispidez, desânimo geram reação em cadeia, causa e efeito

A boa notícia é que um sorriso, uma gargalhada, um abraço

Um beijo, um gesto qualquer de bondade e carinho, de confiança, repercute também em muitas ondas

Somos nós que escolhemos qual lago movimentar

Quais ondas provocar, quais ondas interromper…

Somos responsáveis pela “pedra” que jogamos, pelas ondas que despertamos…

Se somos a causa, respondemos pelos efeitos: bons ou ruins!

Alda M S Santos

Equilíbrio

EQUILÍBRIO

Mais que leveza ou força,

Equilíbrio exige entrega total

Mais que energia ou disposição,

Equilíbrio exige confiança em si, no outro

Nas bases em que se apoia

Mais que vencer o medo e obter coragem

Equilíbrio exige uma dose de diversão…

Ainda que transmita a ideia de facilidade

Equilíbrio exige consciência de si, do outro

Da natureza que se impõe no entorno

De cada parte do corpo envolvida no processo

De sintonia, de respirações em uníssono

A vida é uma tentativa constante,

Até mesmo imperceptível, de evitar a queda

Nossa, de quem caminha, flutua conosco

E nos mantermos em equilíbrio…

Alda M S Santos

Como palmeira

COMO PALMEIRA

Como os galhos de uma palmeira

Ao sabor da brisa leve ou vento forte

Vou deixando-me levar…

Ora me envergo toda para um lado,

Ora quase caio para o outro

Na tentativa constante de manter o prumo

Uma palmeira se fortalece diante das tempestades que enfrenta

E que ninguém sente, sequer percebe

Apenas admira sua beleza e força frente à natureza

E a palmeira cumpre seu propósito de produzir e encantar…

Alda M S Santos

Metamorfose

METAMORFOSE

Fechados num casulo invisível, isolados do mundo de fora

Consumindo aos poucos as reservas acumuladas em si.

Assim são todos em processos de transformação.

Metamorfoseando-se!

Trancados em si mesmos, vão evoluindo para emergir um novo ser.

Muitos têm barreiras que impedem o acesso às boas reservas,

Acessam apenas o negativo, as culpas, angústias e medos,

Deixam de lado o amor recebido, doado, os sorrisos, as vitórias…

Aqueles momentos pelos quais vale uma vida inteira.

E, assim, as boas energias evaporam, não são aproveitadas Ficam frágeis, o casulo murcha.

Esse casulo doente precisa de interferência externa.

Precisa de um toque de amor,

De um sopro de vida…

Precisa de metamorfose!

Alda M S Santos

Desisto

DESISTO!

Última vez! Agora desisto!

Quantas vezes afirmamos isso na vida?

Quando o trabalho é pesado demais,

Quando a incapacidade nos assola,

Quando a fé vai embora,

Quando o outro mente ou nos decepciona,

Quando nos sentimos sozinhos,

Quando até pensar no assunto dói,

Quando não temos perspectivas ou esperanças…

Afirmamos convictos: desisto!

Mas quantas vezes não cumprimos o prometido?

Do nosso interior, cedo ou tarde, nasce uma força, uma luz

Nova coragem, novo ânimo

Jorram como água límpida sobre nós, para nós

Isso dependendo da real importância do almejado

Do grau de amor envolvido

Fica apenas adormecido lá no fundo

E sempre algo o traz à tona

Cedo ou tarde

E acreditamos:

Vou tentar só mais essa vez!

Alda M S Santos

Quando somos fortes?

QUANDO SOMOS FORTES?

Quando somos fortes?

Quando não temos dúvidas ou questionamentos, ou quando buscamos as respostas?

Quando somos pacientes e esperamos, ou quando vamos atrás do que queremos?

Quando somos fortes?

Quando resistimos às lágrimas, ou quando as deixamos rolar e lavar a alma?

Quando somos abertos e transparentes, ou quando nos escondemos atrás de nuvens cinzentas ou céu anil?

Quando somos fortes?

Quando confiamos, acreditamos, nos emocionamos, sofremos, ou quando, simplesmente, apagamos, mandamos embora, nos mantemos de pé? 

Quando somos fortes?

Quando sabemos que podemos cair e seguimos o caminho, ou quando evitamos certas vias para fugir dos tombos?

Quando sentamos e choramos esperando a dor passar, ou quando seguimos, na certeza que a vida corre, não espera a gente se recompor?

Quando somos fortes? 

Quando a fragilidade chega…

Alda M S Santos

Quem é mais forte?

QUEM É MAIS FORTE?

Quem é mais forte?

O Hulk que tudo quebra no muque,

Ou a Madre Teresa de Calcutá que tudo quebra na humildade?

Quem é mais forte?

O Mike Tyson com sua habilidade boxeadora,

Ou Nelson Mandela com sua habilidade de lutador/pacificador?

Quem é mais forte?

O sorriso que abre portas e a todos conquista, 

Ou as lágrimas que podem nos trazer autoconhecimento?

Quem é mais forte?

A água que a tudo leva e encanta,

Ou o fogo que a tudo destrói? 

Quem é mais forte?

Aquele que resiste ao amor e mantém-se imune,

Ou quem o encara de frente e o vive com todas as suas alegrias e dores? 

Quem é mais forte? 

A paz ou a guerra? 

A luz ou a escuridão?

A vida ou a morte? 

Quem?

Alda M S Santos

O que nos derruba?

O QUE NOS DERRUBA?

O que é capaz de nos vencer mais facilmente?

Uma torrente de lágrimas ou um sorriso largo?

A completa miséria ou a riqueza extrema?

A ignorância completa ou a sabedoria sutil?

Uma criança saltitante ou um idoso cansado?

A simplicidade ou a sofisticação?

Uma música lenta e apaixonante ou uma bem quente para pular muito?

Um discurso intenso ou um silêncio que diz tudo?

Um lago calmo ou um mar agitado?

Uma fogueira no inverno ou uma cachoeira no verão?

Um sol escaldante ou uma chuva torrencial?

Um filme no telão ou um livro na rede?

Um abraço amigo ou um beijo apaixonado?

Uma madrugada na “balada” ou um violão sob a luz da Lua no sertão?

O ódio ou o amor?

O que atinge mais rapidamente nossa emoção?

O que é capaz de nos tirar do eixo, nos derrubar?

Alda M S Santos

Golpes

GOLPES

Golpes: ensinamentos que só compreenderemos 

A importância, o valor, a necessidade,

Quando nos levantarmos e olharmos para trás,

E vermos que, apesar de terem machucado muito e não doerem mais, 

Nos tornaram quem somos:

Mais fortes, mais resistentes, mais sábios,

E, quem sabe, até mais felizes?

Enquanto isso, é se firmar e aguardar,

A sucessão de golpes se esgotar, 

Tal qual flor que tudo recebe e sempre volta a brotar, a encantar…

Alda M S Santos

No grito?

NO GRITO?
Invadir, abrir, arrombar, conquistar.
De qualquer modo, a qualquer custo,
Na pancada, no muque, no grito,
Com a força que vem da mente,
Com a força dos músculos…
Até descobrir que o melhor músculo
A ser utilizado é o coração.
E esse age no silêncio.
Grito calado que vem de dentro.
Essa é sua maneira de gritar
De se fazer ouvir e tudo conquistar.
Mantenha-o em ação!
Alda M S Santos

Coragem

CORAGEM
É preciso coragem para ser autêntico
Para se assumir como é, para se amar.
É preciso coragem para dizer, mesmo sem palavras,
A alguém que se ama: “eu sou assim”!
“Será que tem coragem para me amar assim?
Ou se acovarda e se esconde em medos,
Em padrões pré-estabelecidos
Que já provaram nada valer”?
É preciso coragem para crer, aceitar
Que não existe um único e correto modo de ser,
Que existem infinitas maneiras de ser gente,
De ser e fazer feliz!
A vida exige coragem!
Alda M S Santos

Broto

BROTO

Tudo depende da força

De nossos sonhos e projetos 

Mesmo cortados rente à raiz

Brotaremos e daremos frutos 

Alda M S Santos

Não há garantias

NÃO HÁ GARANTIAS

Que a fé não arrefeça

Que o mal desapareça

Que a esperança não desfaleça

Que o amor prevaleça

Não há garantias!

Mas que a vida sempre aconteça,

E a gente se fortaleça!

Alda M S Santos

Amar é…

Amar é…
Desafiar a lei da gravidade
É viver em constante suspensão
É tornar o sonho, realidade
Ignorando a força que vem do chão.
Alda M S Santos

Soltemos as amarras

SOLTEMOS AS AMARRAS

Quando me sinto frágil e incapaz, pra baixo, sempre me lembro daquela história de um elefante preso pelo pé por uma corda a um tronco fraco. 

Todos se admiravam dele não se libertar dali. 

Desde pequenino foi colocado lá, preso.

Tentou sair inúmeras vezes e não conseguiu. 

Forças esgotadas, resignou-se.

Perdeu a crença em si mesmo. 

Cresceu, mas a corda e o tronco permaneciam os mesmos. 

Poderia arrancá-los num único movimento, mas perdeu a fé em sua capacidade. 

Sequer tentava mais. Acreditava que a corda e o tronco eram invencíveis.

Precisamos analisar se o que nos limita é real ou forte o bastante.

Se o inimigo é mesmo tão poderoso e assustador.

Há pessoas e situações que nos colocam uma corda, um tronco. Minam nossa fé em nós mesmos.

Fazem com que desacreditemos na maior mola propulsora que existe: a autoconfiança. 

Alguém pode nos alertar, mas só nós mesmos podemos fazer o movimento para arrancá-las! 

Soltemos as amarras! 

Que o voo seja livre e leve! 

Alda M S Santos

Ponto de Equilíbrio

PONTO DE EQUILÍBRIO 

Quando tudo parecer desabar, pode procurar!

Um, ou vários, dos pontos de equilíbrio, nosso centro de apoio 

Estará empenado, ruindo ou já despencou.

É preciso observar e nos perguntar:

Em quais pontos se apoiam nossa segurança?

Nossa alegria, nosso sorriso, confiança, fé, prazer de viver?

O que ou quem perdemos?

Em quem ou em que não podemos mais confiar?

Precisamos identificar e reconstruir as bases desse tripé:

Amigos? Amores? Família?

Trabalho, saúde, fé?

Cada qual tem o seu. 

Ainda que precisemos nos apoiar em dois pés desse tripé por um tempo.

Sobrecarregá-los temporariamente nos ajudará a reconstruir o outro.

É preciso recuperar a alegria de viver, a autenticidade, a autoestima,

Sem elas, o restante corre sério risco de desabar tudo de uma só vez! 

Alda M S Santos

E o amor…

E O AMOR…

Trajetos longos, caminhos tortuosos, pedras, espinhos, buracos, flores…

 E o amor… 

Reveses do tempo, sonhos desfeitos, companhias desejadas… 

E o amor… 

Quedas a cada passo, lições em cada dificuldade, aprendizados a cada recomeço…

E o amor…

Só ele: O Amor. O maior e melhor mestre.  

Capaz de ser profundo, sem deixar de ser leve e belo!

Alda M S Santos

O diferencial

O DIFERENCIAL

Não é a força, mas a delicadeza nela contida.

Não é a pressão, mas a ternura que dela emana.

Não é a obrigação, mas o prazer em realizar.

Não é a ansiedade, mas a paz que vem da confiança. 

Não é a paixão, mas o desejo sob controle. Não é a necessidade, mas o amor.

Alda M S Santos

Por amor

POR AMOR

Por amor sou capaz de tudo expressar, ou apenas silenciar

Forte, superar obstáculos ou frágil, parar e chorar

Por amor faço todo o possível, acredito no impossível

Doo o que tenho, crio o que não tenho

Por amor opero grandes mudanças: em mim, no outro, à minha volta

Ou, simplesmente, relaxo e fico à vontade

Por amor posso fazer coisas grandiosas ou pequeninas, mas valiosas

E também besteiras homéricas

Por amor sigo em frente

Por amor também posso desistir.

Por amor, tudo sou!

Alda M S Santos

Quero acreditar

QUERO ACREDITAR

Quero acreditar que todo sonho é possível

Mas preciso crer que tenho forças para enfrentar o que se apresenta

Coragem para abraçar o que desejo

Ou tônus muscular para fugir do que não me agrada… 

Quero acreditar que toda lágrima é passageira

Que apenas lava o caminho para o bem passar

Preciso crer que a saudade que chega 

Ainda que doa e machuque

É sinal de bons tempos idos

Quero acreditar que deixar ir aquilo que ainda cabe aqui, ou não mais, é necessário

Preciso crer que abrir mão,

Ou os braços para a vida

Com sorriso no rosto

E fé inabalável na alma

É o melhor jeito que há de viver…

Quero acreditar! 

Preciso…

Alda M S Santos

Persistência

PERSISTÊNCIA

Há duas coisas em comum entre todos os humanos, 

Antes ou depois de Cristo, 

Aborígenes ou filósofos, 

Religiosos ou ateus, 

Inteligentes ou simplórios, 

Intelectuais ou braçais

Homens ou mulheres, 

Livres ou escravos: 

Todos querem a felicidade.  

Todos inventam inúmeros problemas e são complexos demais para encontrá-la na simplicidade que se apresenta debaixo de seu nariz! 

Felizmente, somos persistentes

E temos um Pai que não desiste de nós!

Alda M S Santos

Afrontas

AFRONTAS

Ser inteligente é saber e aceitar que a força, a luz, a alegria e beleza do outro não existem para nos afrontar … 

O objetivo é agregar, não segregar…

Todos têm algo a oferecer…

Todos têm algo a receber. 

Quem foge do que o outro apresenta impossibilita o próprio crescimento. 

Aquele que não é receptivo para o novo e o diferente vive estacionado. 

Mesmo porque, ninguém é força, luz, alegria e beleza todo o tempo. 

Há dias que tudo é cinzento e apagado. 

Quem entende e aproveita as oportunidades de crescimento e as possibilita para o outro é mais feliz!

Alda M S Santos 

Força sobre-humana 

FORÇA SOBRE-HUMANA 

Sempre que observo as mariposas fico impressionada. Como são insistentes e “cegas” pelo poder da luz. 

De lâmpada em lâmpada, meio desesperadas, dominadas por tanto fascínio, vivem e morrem em busca de luz. 

Já vi colocarem uma bacia d’água sob a lâmpada. O reflexo da luz na água as engana, elas mergulham e morrem afogadas.

Como elas, somos seres persistentes, insistentes, corajosos. 

Podemos “quebrar a cara” inúmeras vezes, sermos enganados por falsa luz, mas continuamos a insistir nessa coisa maravilhosa que chamamos VIDA. 

Nunca desistimos do amor, da amizade, da felicidade. 

Como a mariposa insistente em torno da luz, podemos nos queimar, machucar, esfolar todo, mas voltamos ao mesmo ponto.

Há algo em nosso DNA que nos faz ser mais fortes que tudo, nos faz ignorar certas coisas, enfrentar outras, nos aliarmos ao que nos faz bem…

Só precisamos nos cuidar para não seguirmos a sina das mariposas, vivermos e morrermos em torno da luz sem nunca tê-la alcançado verdadeiramente.

Alda M S Santos

O Sol está em nós

O SOL ESTÁ EM NÓS

 Ainda que tudo pareça nublado, frio, triste, o Sol está lá! Desistir, se apagar não é uma opção! 

Desde que o mundo é mundo vivemos em crises: políticas, religiosas, financeiras, territoriais, culturais, existenciais, emocionais, de caráter… 

Esperar o fim delas para fazer algo produtivo por nós mesmos e pelos outros não deveria ser uma opção! 

Muitos sabem extrair algo de bom das adversidades, até as aproveitam como combustível para mover o motor da vida, enfrentam a revolta e tristeza geradas de tais crises com mais amor, compreensão e atitudes positivas. Acendem, mesmo com dificuldade, o sol dentro de si. 

Em tempos de crise é que nós, humanos, devemos nos mostrar melhores… 

Não é fácil! Não, mesmo! A vontade de chutar o balde é grande. De se esconder dentro de si mesmo, idem. 

Porém, a parte que nos cabe em tais momentos é ilimitada! 

Grandes coisas foram criadas em tempos de crises, qualquer que tenha sido. A possibilidade de evolução espiritual e emocional é gigante. Para nós e para os que de nós se aproximarem. 

Que passe logo! E que Deus nos ajude a nos ajudarmos. 

Alda M S Santos

Somos fortes

SOMOS FORTES

Quando mais frágeis estamos,

quando nos sentimos menores,

quando as lágrimas querem se sobrepor ao sorriso,

a tristeza embaçar a alegria, a raiva invadir a serenidade,

a desesperança tomar conta de nossa fé,

é quando nossa força brota soberana.

Somos fortes, mesmo quando frágeis,

pois nosso técnico é o Melhor, Perfeito.

Por isso, não deixemos a peteca cair,

aceitemos parcerias.

Mantê-la em movimento exige menos

que ter que se abaixar para pegá-la no chão.
Alda M S Santos

Dorme que passa

Sabe quando a gente quer algo, insiste, chora, pede, reza e, nada? Uns até brigam, chantageiam, causam confusões, deprimem. Lembro- me da infância, quando expressávamos alguma vontade mirabolante, para o olhar adulto, ou, simplesmente, uma vontade de brincar na rua e nossos pais diziam, “dorme que passa”. E não é que passava mesmo? Tudo era tão simples! Mesmo que tivéssemos ido dormir chorando, ao amanhecer nem lembrávamos mais.

Não sei se era a cama, a confiança, o carinho recebido. Talvez outros desejos tomassem a frente, ou os “problemas” e desejos fossem mais simples mesmo. Fato é que quase tudo se resolvia depois de uma noite de sono.

Mas a gente cresce. Os desejos e vontades tornam-se grandes também. Tentamos alcançá-los, refletimos, lutamos, buscamos ajuda, rezamos. Muitas vezes, conseguimos, substituímos ou desistimos. E ficamos bem.

O problema se dá quando a vontade insiste, o desejo de obter algo é forte. Pode ser qualquer coisa, material, profissional, pessoal, emocional, não importa. Muitas vezes, insignificante para o outro, mas fundamental para nós. Gostaríamos de ter à mão a eficácia da receita de nossos pais. Dormir e, ao acordar, tudo ter passado.

Tudo isso faz um pouco de sentido. O sono descansa o corpo, acalma a mente, apazigua a alma. Pode não resolver os problemas, tornar reais os sonhos ou realizar os desejos, mas nos torna mais aptos a nos encarar sem eles ou mais fortes para correr atrás do desejado.

Quando estivermos “down”, vamos dormir? Pode ser que passe!

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: