Busca

Tag

desejos

Ilha do desejo

ILHA DO DESEJO

Uma placa, uma mensagem, uma indicação

“Ilha do Desejo”

Que será que se faz ali?

É uma ilha sonhada, desejada

Uma ilha onde desejos são despertados

Ou uma ilha onde desejos são realizados?

Será um espaço mágico, especial

Que ao ser adentrado todos os desejos tornam-se reais?

E se houver desejos controversos

Em que a realização do meu se interpõe à realização do seu?

Quais critérios usados?

Os mais justos, os mais fortes,

Quais prevalecem?

Qual a fantasia, qual a magia?

Ilha do Desejo

Do meu, do seu, de quem?

Alda M S Santos

De onde vem esse vento?

DE ONDE VEM ESSE VENTO?

De onde vem esse vento

Que a muitos causa medo

E a poucos traz alento?

De onde vem esse vento

Que levanta saias, despenteia cabelos

Carrega chapéus e ignora apelos?

De onde vem esse vento

Que bagunça o que estava arrumado

Na pretensão de arrumar o que estava bagunçado?

De onde vem esse vento

Que tanto carrega para lá e para cá

Mas não me leva desse lugar?

De onde vem esse vento?

Alda M S Santos

Delírios

DELÍRIOS

Em poucos minutos, flashs de imagens nos invadem

Dolorosas, sofridas, assustadoras

Amedrontam a alma da gente

Em poucos minutos, flashs de imagens nos invadem

Carinhosas, ternas, quentes, apaixonadas

Encantam a alma da gente

Acendem e apagam, chegam e se vão

Alternam-se desejos e delírios, bons e ruins

Mas deixam um rastro iluminado de esperança no caminho

Fazendo bater mais forte o coração…

Alda M S Santos

Inalcançáveis

INALCANÇÁVEIS

Sabe aquele ditado “ver com os olhos e lamber com a testa”?

Uma gaivota voa alto no céu, um barco navega longe no mar

E eu aqui a sonhar…

Nossa vida é muito dividida entre o querer e o poder

Entre o querer, desejar, e ficar apenas na vontade…

Entre o querer e o medo de se arriscar, se aventurar…

Há coisas possíveis e fáceis, coisas difíceis, mas possíveis,

As quase impossíveis e as inalcançáveis!

É como ter perto de nós um oceano convidativo e não saber nadar

Uma árvore frondosa e ter medo de escalar

Um céu gigantesco a explorar e não confiar nas próprias asas!

Mas isso não elimina o desejo de nadar, escalar, voar…

E continuamos a ver com os olhos e lamber com a testa…

Alda M S Santos

Utopia

UTOPIA

Quando o coração deseja alcançar a todos

Fazer com que aqueles a sua volta se deem bem

Ainda que seus braços não sejam tão longos ou acolhedores

As palavras não sejam doces ou duras o suficiente

O exemplo não seja entendido como bastante…

Até que ponto “respondemos” pelas ações do outro

Se, algumas vezes, mal damos conta de responder pelas nossas?

É utópico!

Mas de utopia também se vive

Quando não se deixa levar pela amargura

E insiste, acredita e luta por um mundo melhor

Ainda que no pequeno círculo de convivências

Respeitando as diferenças individuais

Valorizando as semelhanças…

E aprendendo que todos temos nossos limites

Se quisermos salvar o “mundo”

Por menor que seja a parte dele a ser mudada

Precisamos, primeiro, estar bem conosco mesmos

Para alcançarmos o impossível, até mesmo utópico

É necessário começar pelo possível…

Alda M S Santos

Simplesmente nua

SIMPLESMENTE NUA

Quero ter a coragem de me apresentar nua,

Completamente nua, sem disfarces ou maquiagens

Alma rasgada, sem vergonhas, pudores ou medos

Nasci nua, nua retornarei

Querendo ou não…

De nada valerá tudo que aqui acumulei

Exceto o que tiver guardado na sacola leve da minha alma

Ou nos espaços especiais, cedidos ou por empréstimo,

Que tiver ocupado positivamente na alma de alguém

Bens materiais, diplomas, cultura, contas bancárias…

Tudo são “vestimentas”, acessórios!

Currículo só valerá o emocional

Tudo o mais ficará para trás…

O que interessa é se isso tudo

Permitiu que eu me tornasse uma pessoa melhor,

Mais tolerante, amiga, amável, solidária, correta

Para mim mesma, para aqueles que me cercam…

Nudez da alma é a verdadeiramente cativante

E é só por ela que Ele se interessa!

Simplesmente nua, assim quero me apresentar…

Alda M S Santos

Hipoteticamente

HIPOTETICAMENTE

Hipoteticamente, poderíamos ser proprietários de uma indústria internacional com milhares de funcionários

Mas preferiria exercer com amor e tranquilamente a profissão que escolhi

Hipoteticamente, poderíamos viajar e conhecer o mundo inteiro

Mas me contentaria em viver num lugar que gostasse e conhecer poucos outros que me fizessem feliz

Hipoteticamente, poderíamos conquistar todos os amores do mundo

Mas preferiria um único, só meu, verdadeiro, real, que me tivesse como alguém especial

Hipoteticamente, poderíamos ter milhares de amigos a nos saudar todos os dias

Mas preferiria apenas alguns que de perto me abraçassem e me acariciassem com palavras, com o olhar

Ou de longe pensassem em mim com carinho e me dedicassem orações sinceras

Hipoteticamente, poderíamos viver com familiares numa mansão luxuosa no primeiro mundo

Mas me bastaria uma casinha simples no meu país com uma família amorosa e presente

Hipoteticamente, poderíamos ajudar e fazer o bem a milhares de pessoas

Mas ficaria feliz se conseguisse ajudar aos mais próximos e não prejudicasse a vida de ninguém

Hipoteticamente…deixemos pra lá

Sonhar é bom, mas fazer da realidade nosso sonho mais lindo é carícia na alma.

Alda M S Santos

Ilha dos Desejos

ILHA DOS DESEJOS

Numa Ilha dos Desejos

Que buscamos?

Desejos que brotam, que crescem, sufocam, aumentam até o horizonte

Onde o mar encontra o céu

Numa linha azul que se funde, se confunde, degradè?

Ilha dos Desejos

Que buscamos?

Desejos que se suavizam, se arrefecem, se amortecem em ondas tranquilas

Até esmorecer e sumir na areia da praia?

Ilha dos Desejos…

Que encontramos?

Desejos despertados ou satisfeitos, realizados?

Olho para tanta beleza e impotência dessa ilha

Desse mar azul, céu anil, coqueiros ao sabor do vento

E constato, afinal, que a verdadeira Ilha dos Desejos

Capaz de fazer nascer e morrer todo e qualquer desejo

É aquela que só nós temos a chave

Mas que nem sempre controlamos a entrada:

Nossos corações!

Alda M S Santos

Desejos

DESEJOS

Desejo que encontremos a harmonia da vida que há dentro de nós

E que possamos levá-la a todos os lugares, a todas as criaturas

Vida harmônica repleta de amor, de amizade, de paz

A cada flor, a cada bicho, a cada ser humano que cruzar nosso caminho

Que a gente sintonize com todos eles,

Ignorando decepções, descartando tristezas,

Que no balanço da vida saibamos neutralizar ou anestesiar o que machuca, que fere,

Que a dor arrefeça, que o amor prevaleça, que a vida aconteça

Atraindo carinho, refletindo luz

Numa comunhão universal e divina!

Alda M S Santos

Free day

FREE DAY

E se pudéssemos reviver um dia das nossas vidas

Exatamente como foi. Apenas um. Saberíamos escolher?

E se pudéssemos, ao contrário, apagar totalmente

Um dia de nossas vidas. Seria difícil?

E se pudéssemos rever ou reencontrar alguém

Que partiu de nossas vidas, por morte ou descuido

Bater um longo papo, deixar as lágrimas rolarem

Ou simplesmente abraçar longamente?

Entre quantas pessoas teríamos que escolher?

E se pudéssemos ter um dia livre, um free day

Em que fosse possível fazer tudo que desse vontade

Sem que ninguém fosse magoado, culpado ou punido

O que faríamos? Um dia seria o suficiente?

E se pudéssemos?

Nosso mundo seria um paraíso ou uma barbárie?

Nossas vidas são feitas de momentos que se vão…

Alda M S Santos

Sonho que sonhei

SONHO QUE SONHEI

Um sonho dos mais antigos: ser bailarina!

Desde pequerrucha sonhava com tudo que envolvia a dança

Particularmente o balé.

As músicas, o figurino, a leveza das bailarinas

Sempre foram um mundo mágico e encantado para mim.

Sonho não realizado, mas a fantasia permanece…

Vez ou outra ainda faço de conta que sou bailarina

Acho que teria tentado “realizar” esse sonho numa filha,

Se tivesse tido uma, ao invés de filhos.

Mas o gosto pela dança é constante, pulsante.

Desde então, muitos outros sonhos vieram,

Aqueles que dependem de nós, dos outros, das circunstâncias

Uns realizados, alguns em partes, outros não.

Mas a fantasia não pode morrer

Ela que dá sentido ao viver.

Uma vida repleta de sonhos pelos quais lutar

É sempre uma vida rica!

Alda M S Santos

Nas voltas que o mundo dá

NAS VOLTAS QUE O MUNDO DÁ

Dizem que quando começamos a reviver certas coisas

A reencontrar pessoas que ficaram para trás

A relembrar tanta coisa do passado

A resgatar sentimentos e emoções

A ser menos cerimonioso, mais piedoso, menos juízes,

Nossas vidas já deram uma volta completa

E estamos recomeçando, dando a segunda volta, obtendo uma revanche.

Bom seria se pudéssemos ir passando a limpo

Um novo caderno, reescrevendo, desenhando,

Melhorando o que não ficou bonito, borrado pelas lágrimas ou erros,

Dando cor ao que foi maravilhoso, desbotando o que fez mal,

Resgatando o que se perdeu e fez tanta falta!

Nas voltas da vida eu teria muito a resgatar,

A querer reviver, colorir,

Quase nada a apagar…

Bom sinal?

Alda M S Santos

Quero tanto

QUERO TANTO

Quero tanto a luz do Sol, esse brilho que aquece e dá vida

Quero tanto essa água fria, na qual deslizo suavemente e sigo em frente

Quero tanto essa tranquilidade, essa paz,

Quero tanto boas companhias, alguém a quem guiar e ajudar

Quero tanto alguém a me guiar, em quem confiar, a quem buscar

Sempre que o desânimo bater, a tristeza quiser se apossar

Quero tanto essa natureza e essa fé em mim, pra mim…

Quero tanto!

Alda M S Santos

Expectativas

EXPECTATIVAS

Segunda ou sexta-feira?

Quarta-feira ou domingo?

O que difere um dia do outro, um mês do outro?

A expectativa que neles colocamos, certamente!

Levantar da cama disposto para o trabalho

O passeio, a família, o namoro

Faz com que qualquer dia tenha a “cara” de sábado.

Levantar com rabugice e mau humor dá a todo dia o tom da preguiça característica da segunda- feira!

Quero sete dias na semana com aparência de disposição, energia e amor!

Vamos levantar! Boa semana!

Alda M S Santos

Foto de Sílvia Helena Brito

Deixar-se amar

DEIXAR-SE AMAR

Que aprende-se a amar, todos sabemos

Mas aprende-se também a deixar-se amar

Ambas as ações se conectam, se interligam

Quem não sabe amar, não sabe aproveitar o amor que recebe

Amor bem dado e amor bem recebido se multiplicam

Aprende-se a receber amor, doando amor

E aprende-se a doar amor, amando, na prática.

Não há manuais ou receitas, talvez algumas experiências.

Ambas as vozes do amor são ativas

Não existe passividade no amor

Amor passivo é vida inativa!

Alda M S Santos

Nossas caixas

NOSSAS CAIXAS

Construímos caixas ao longo de nossas vidas

E as deixamos guardadas em nós.

Umas ficam na mente, outras no coração, outras na alma.

Há pessoas que encaixamos facilmente nas caixas rígidas da mente,

Se não cabem, descartamos.

Outras, vão direto para a caixa do coração, mais maleáveis.

Às vezes deixam umas partes para o lado de fora,

Mas se a caixa não se mexe, ou se a pessoa não flexibiliza, 

Não cabem, não encaixam, vão embora, lamentavelmente. 

Agora, há aquelas pessoas que ficam,

E ajudam a construir uma caixa própria na alma.

Caixas da alma são construídas em conjunto, são personalizadas, 

Essas encontram morada eterna,

Uma caixa-ninho que aquece e protege

E que faz bem à morada e morador. 

Alda M S Santos 

Convites

CONVITES

A vida nos manda vários convites

E tantas vezes declinamos sem sequer abrir o envelope.

É porque muitos convites vêm disfarçados de cobranças

De contas a pagar, de ônus antigos, de previsões ruins.

Nossos olhos viciados enxergam apenas o lado negativo

Não se habituaram a ver além do feio envelope.

Quantas coisas boas já ocorreram naquele ônibus lotado

Que insistimos em reclamar e dele fugir?

Quantas delícias não já aconteceram em dias chuvosos

E nublados que “amaldiçoamos”?

Quantas vezes aquela tempestade não trouxe em suas águas

Aquele tesouro sujo de barro que mudou nossa trajetória?

Quantas vezes aquela pessoa briguenta que “odiávamos”

Nos trouxe a maior de nossas alegrias?

Quantas vezes o feio não acabou se tornando

O mais lindo e maravilhoso espetáculo de nossas vidas?

Vamos acordar, abrir os envelopes da vida,

E parar de jogar no time adversário.

Alda M S Santos

Inspiração

INSPIRAÇÃO
INS= em, PIRA= onde arde o fogo, AÇÃO= atitude
Inspiração: fogo em nós que aquece a vontade
Chama que gera e consome energia
Ação que possibilita criações.
Criações que produzem vida
Vida que aquece outras vidas…
De onde vem sua inspiração?
Alda M S Santos

Perdições

PERDIÇÕES

Sempre há algo nessa vida que nos faz perder 

O humor, a classe, a alegria, a fé, a esperança ou o juízo

Um pudim de leite condensado ou um beijo molhado

Um ônibus lotado ou uma chuva inesperada

Uma amizade desligada ou uma taça de champagne gelada

Uma surpresa agradável, uma decepção insustentável

Um mergulho, quer seja em alto-mar, em nós mesmos ou nos olhos de um amor

Uma palavra de cuidado ou um toque de carinho 

Uma ligação inesperada ou um abraço apertado

Uma saudade dolorida, um desejo reprimido

Um sonho impossível ou um amor sofrível.

Perdições…

Só nós podemos nos reencontrar…

Alda M S Santos

Desejos

DESEJOS

Desejos sentidos, despertados, correspondidos, satisfeitos

Desejos ou vontades são a mola propulsora da vida

Sejam eles quais forem:

De crescer, de passear, de trabalhar 

Desejo de praticar o bem, de fazer o amor acontecer…

Tudo que acontece nasce de um forte desejo

Vontade não satisfeita, desejo não correspondido

É projeto frustrado, é vida estagnada.

Valorizemos nossos desejos!

Alda M S Santos

Caos

CAOS
Memórias passadas, presentes, futuras
Misturadas, desorganizadas…
Atropelando-se!
Alegrias, vitórias, tristezas, dores, decepções, desejos.
Todas no mesmo consciente,
Tantas vezes inconsciente.
Vontades, sonhos, expectativas
Realizadas, apagadas, em modo de espera…
Todas atrás da mesma comporta
Com um vertedouro, aparentemente, eficaz,
Calculadamente construída.
Mas que parece querer romper-se a qualquer momento.
Caos ou organização?
Alda M S Santos

Suspiros

SUSPIROS

Suspiros dizem tanto!

Insatisfações, cansaços, frustrações,

Esperanças, saudades, desejos…

São uma pausa para abastecer o tanque da emoção

Que inspira e traz oxigênio para o lado de dentro 

Expira e joga gás carbônico na atmosfera lá fora

Gemidos, inspiração profunda, dolorosa ou melodiosa,

Nossas “conversas” conosco mesmos…

Quase sempre produzem algo de bom!

Alda M S Santos

Prova de amor

PROVA DE AMOR

Prova de amor não se pede

Mas o verdadeiro amor se prova a todo momento

Algumas vezes com palavras

Mas a maioria delas nas pequenas atitudes:

De carinho, de cuidado, de desejo de estar junto.

O amor verdadeiro e recíproco

Nota-se e se faz notar,

Não se questiona,

Apenas se ama e se faz amar.

Com e por prazer. 

Infinitamente…

Alda M S Santos

Sonhos que podemos ter

SONHOS QUE PODEMOS TER
Quais os sonhos que podemos ter?
Existem limites para eles também?
Separados em caixas:
Fáceis, médios e difíceis, ou
Possíveis, impossíveis, loucura total, ou ainda
Realizáveis, impensáveis, impraticáveis.
Sonhos nascem, brotam, crescem
O que os faz florir e frutificar é
A crença que temos neles,
E a determinação de fazê-los acontecer.
Sonhos que podemos ter?
Aqueles que não nos causam lutas internas,
Pois só elas limitariam nossas forças,
Essenciais na realização de qualquer um deles.
Dos realizáveis aos impraticáveis.
Alda M S Santos

Broto

BROTO

Tudo depende da força

De nossos sonhos e projetos 

Mesmo cortados rente à raiz

Brotaremos e daremos frutos 

Alda M S Santos

Sonhos e mais sonhos

SONHOS E MAIS SONHOS

Tenho sonhado muito, muito mesmo!

Não sonhos acordada, também os tenho.

Mas sonhos dormindo, aqueles que não escolhemos ou controlamos.

Aqueles que são escolhas de nosso inconsciente confuso ou agitado.

Alguns são bem claros, continuação de algo vivido durante o dia.

Outros são bem misteriosos, sinistros.

Tudo parece distorcido e irreal, mesmo que seja algo bom ou desejado.

E ficamos a especular sobre o que há de real neles.

A Neurociência não explica porque eles acontecem, mas afirma que são positivos e únicos.

Alega que nossos sonhos buscam memórias novas e velhas em uma ordem que não é sequer parecida com a que elas foram adquiridas, por isso parecem estranhos. 

Tentamos entender se são prenúncio do porvir.

Se precedem futuro bom ou alguma tragédia. 

Penso que nos sonhos processamos algo que somos impedidos ou censurados de alguma forma no mundo real.

Nosso cérebro, mesmo em repouso mantém a atividade. E nem creio que o que lembramos ao acordar seja tudo.

E não podemos fazer uma interpretação genérica. Cada sonho tem significado com relação à vivência de cada pessoa.

São uma maneira inteligente do nosso cérebro de nos salvar da insanidade.

De qualquer modo, gosto muito de sonhar, acordada ou dormindo, e sempre tento analisá-los. 

Alda M S Santos

Força Motriz

FORÇA MOTRIZ

Que sejamos movidos pelo desejo, sempre…

Desejo de viver, de trabalhar

Desejo de ajudar, de ser a mão que se estende

Desejo de abraçar, de ser colo que acolhe

Desejo de aprender, de crescer

Desejo de ensinar, se doar

Desejo de entender, de atender

Desejo de seguir, de recomeçar

Desejo de de ser luz, de ser paz

Desejo de fazer o bem, de ser o bem

Desejo de amar,

Sempre…

Alda M S Santos

Mudanças

MUDANÇAS

Mudanças sempre são possíveis, sempre.

Só é preciso uma força motriz: desejo, vontade.

Se não temos os recursos materiais necessários, usemos o que dispomos.

Se não estamos no melhor lugar, podemos dar início partindo de onde estamos. 

Se não temos os ajudantes que queremos, transformemos em aliados quem está próximo. 

Mas, o mais importante, com o que somos, e nem sempre botamos fé, podemos fazer a diferença, ser o começo da mudança, seja ela qual for.

Qualquer mudança tem que ser sonhada, planejada e iniciada dentro de nós! 

Alda M S Santos

Apenas isso

APENAS ISSO

Eu quero apenas que em 2017 possamos correr menos atrás de algo e acertar mais o passo ao lado de alguém, de “alguéns”…

Falar menos e, quando o fizer, que seja para enternecer o coração de nossos companheiros de caminhada… 

Ouvir mais, escutar e atender mais ainda…

Que possamos aprender mais e mais a ouvir nossos corações, analisar nossos desejos, atender nossas vontades. Um pouco de egocentrismo de vez em quando não faz mal a ninguém.

Que possamos perdoar, o outro, a nós mesmos, reconhecendo que todos somos falhos, mas podemos ser melhores a cada dia.

Que possamos ser a mão estendida que tantos buscam, o olhar solidário, o abraço caloroso. 

Que, sozinhos ou acompanhados, possamos valorizar cada passo dado, cada vitória conquistada, cada sorriso recebido, cada abraço apertado, cada “eu te amo” sussurrado, cada silêncio gritado. 

Porque, afinal, tudo que vale nessa vida é nossa capacidade de dar e receber amor. 

Seja em que nível for…

Apenas isso…

Que o amor reine por todo 2017!

Alda M S Santos

Simplesmente 

SIMPLESMENTE

Eu queria ser…

Suave como o beijo do beija-flor

Natural como a cor de uma rosa

Potente como as águas de uma cachoeira

Eu queria ser…

Forte como o sol do meio-dia

Cálida como a luz do luar

Misteriosa como a escuridão da noite

Eu queria ser…

Brilhante e colorida como uma esmeralda

Paciente como a ostra que produz a pérola da própria dor.

Sábia como a natureza que sempre se renova

Eu queria ser…

Serena como o orvalho que brilha prateado

Confiante como as aves que se recolhem e esperam a tempestade passar

Amorosa o bastante para nunca duvidar do poder do amor…

Eu queria… simplesmente isso.

Mas Deus me fez 

Simplesmente eu…

Ora forte, ora frágil

Ora brilhante, ora fosca

Ora esperta, ora tosca

Ora amarga, ora doce

Ora segura, ora perdida

Ora fria, ora quente…

Sempre crente no hoje 

E num amanhã que virá sempre melhor 

Ele me fez assim,

Simplesmente…

E assim me ama. 

Sou grata! 

Alda M S Santos

Querências apenas

 QUERÊNCIAS APENAS

Eu quero ver o alvorecer na minha janela: ensolarado ou chuvoso 

Quero ouvir a vida começando lá fora

Especialmente vibrando em mim

Quero orar com fé e gratidão

Quero sentir o calor do abraço carinhoso do meu irmão

Quero sobre mim o olhar apaixonado do meu amor

Quero meus filhos seguros e livres

Quero um trabalho que seja diversão

E meus amigos felizes em perfeita comunhão. 

Quero ser flexível e firme o bastante 

Para curtir a brisa e suportar as ventanias

Quero um beijo carinhoso e babado de uma criança

Quero que meus pais sejam eternos

Quero uma casinha simples e aconchegante

Quero um coração grande e aberto para ajeitar a todos que amo

E fazer morada em outros corações também! 

Quero nunca perder a fé na humanidade

Acreditar que apesar de muitos a terem perdido por tanta maldade

Muitos outros a recuperaram pelos corações bondosos que encontraram.

Quero que a paz que brotar em mim

Possa acionar a paz no outro

E ser luz que ilumine nossos caminhos…

Até o infinito! 

Querências apenas…

Alda M S Santos

Feira livre 

FEIRA LIVRE

Estamos, desde que nascemos, numa grande feira livre. Nela buscamos os itens necessários à nossa satisfação e bem-estar.

Quando crianças, nossos pais, ou adultos que nos cercam, adquirem, consultando-nos, ou não, aquilo que precisamos para viver. Gradativamente, vamos nos tornando independentes e passamos a fazer nós mesmos nossas aquisições.

Aí que aumentam os problemas. Muitas são as opções, as “ofertas”, mas nem sempre dispomos do necessário para adquiri-las. 

Nossos pais sabiam nos desviar, nos poupar daquilo que não nos faria bem ou não teríamos condições de pagar por elas. 

Adultos, queremos muito e cada dia mais: um vestido da moda, um celular de última geração, uma casa maior, um carro mais novo, uma viagem mais longa, uma amizade disputada, um curso inovador, um amor inacessível…

São muitos os itens expostos nessa feira. Cada qual mais convidativo que o outro. Uns nos conquistam de imediato. Outros vão nos ganhando aos poucos. Por uns podemos pagar o preço, outros o preço é alto demais. 

Insatisfeitos, tantas vezes fixamos a vista apenas no que desejamos, nem sempre tão necessários assim, e esquecemos do que já temos. 

Seguindo essa linha de desejos, vamos nos tornando mais e mais infelizes e frustrados. 

Analisemos alguns pontos: nem tudo exposto nessa feira vale para todos nós, alguns itens são completamente supérfluos, há produtos sob medida, não adianta adquiri-los, pois servem a outras pessoas, nem tudo que brilha é ouro, há propagandas enganosas. 

Finalmente duas coisas são fundamentais. 

Primeira, se o preço a se pagar por algo for nossa consciência, tranquilidade ou paz de espírito, melhor abrir mão. Não haverá prazer em desfrutar de uma amizade que nos descaracterize ou usar um carro que nos tirou do orçamento.

Segundo: se se quer muito um produto, se nos fará bem, sem prejudicar ninguém, qualquer preço é módico demais a se pagar por ele. Vale a aquisição. E isso só nós podemos saber.

Ah! Quanto mais simples, menos requintado, mais natural, mais duradouro será o produto. E em fim de feira há muita coisa boa que passa despercebida aos olhos desatentos. Vale dar uma conferida! 

Alda M S Santos 

Atropelados pela vida

ATROPELADOS PELA VIDA
Tantas vezes somos atropelados pela vida. Caídos, outros “veículos” ainda passam por cima, caçoam, “filmam”, chutam cachorro morto. Quando tudo que queremos é um jornal para nos cobrir!
É, a vida pode ser cruel, às vezes. Imunidade baixa, todos os nossos monstros internos ganham força. Por isso parece que tudo vem ao mesmo tempo: desemprego, desilusão amorosa, brigas familiares, saúde frágil, caixa em baixa, amigos ausentes…
Pensamos em desistir… Entregar os pontos, jogar a toalha, aceitar o game over.
Tudo torna-se seco, cinza, sem vida! Fechamo-nos para o mundo.
Aí aparecem as almas caridosas com os velhos conselhos: vai passar, sacode a poeira, levante-se, chorar não vai adiantar…
E nossa vontade é gritar: pare, deixe-me com minha dor! Eu quero chorar, quero me entregar, quero ficar afundado nesse sofá por quanto tempo me aprouver!
Esse momento de “luto” é importante. Nele processamos o que perdemos, o que restou, o que devemos buscar. Fazemos nosso balanço interno antes de reabrir as portas para o público.
E nossa força, aos poucos, ressurge. E vai crescendo.
De onde vem essa força? O que a aciona? Quem dispara esse gatilho?
Cada um é cada um, mas vamos aprendendo técnicas para lidar com o sofrimento. Cada qual busca a sua: família, leituras, passeios, atividade física, chocolate, músicas, orações…
Duas ajudas são fundamentais e universais.
Primeiro: os amigos, aqueles mesmos, os dos velhos conselhos. Não sejamos tão duros com eles, não fazem por mal, do seu jeito, querem apenas ajudar.
Segundo: Deus. Ele é um só e olha por todos, independente do tamanho do nosso problema. Se nos incomoda, se pedirmos, Ele nos ajuda e nos atende.
Quando estivermos derrubados no meio da estrada, mesmo que seja difícil, tentemos lembrar disso. Pode diminuir o período de luto e irrigar a força. Ela brotará mais rapidamente.
Alda M S Santos

Desejos

DESEJOS
Quero o silêncio, não qualquer silêncio, mas aquele que traz reflexões.
Quero amigos, não colegas, amigos que me ouçam, sorriam e chorem comigo,
Que puxem-me as orelhas, mas que me aceitem como sou.
Quero ser amiga, solidária, pra toda hora, necessária, valorizada.
Quero solidão, propícia e oportuna, que possibilite o crescimento.
Quero companhias alegres, tristes, fortes ou frágeis, mas autênticas.
Quero saudade! Pode até doer um pouquinho, mas que me alegre o coração e me instigue a buscar algo.
Quero trabalho, que eu produza, mas me divirta acima de tudo.
Quero o amor, não qualquer amor, mas aquele que tenha muito carinho, respeito e reciprocidade.
Quero paz! Aquela que vem com o silêncio, a solidão, os amigos, o trabalho, a saudade, o amor e… Deus.
Quero Deus comigo sempre.
Quero e, querendo, eu posso!
Alda M S Santos

Conexão Total

Quando o amor não é o bastante

QUANDO O AMOR NÃO É O BASTANTE

Quando vemos tantas pessoas que amam e, ainda assim, sofrem, podemos chegar a uma difícil conclusão: o amor é supervalorizado.

Vejamos uma mãe que luta dia após dia por um filho dependente químico, que o ama, acredita, investe, recomeça incansavelmente e, ainda assim, ele retorna ao vício, maltrata-a, maltrata-se. O amor dela se mantém, porém, nem sempre alcança seu objetivo.

O amor de um filho pelos pais que o ignoram, que não assumiram a função tão sublime recebida de Deus, deixando-os crescer à própria sorte. Mesmo assim, tantos filhos tentam, pelo amor, tirar os pais de vidas desregradas e infelizes.

Uma esposa que, independente dos adjetivos que receba de todos, insiste no amor ao marido que em nada a dignifica, que trai, que ofende física e psicologicamente, que não a completa, ou em nada ajuda relacionado aos filhos, ao lar ou à família.

Uma pessoa que trabalhe num asilo, que dedique seus dias a dar amor, atenção, carinho, e só vê simples rasgos de brilho naqueles olhos cansados e nebulosos pela tristeza do abandono.

Finalmente, talvez o maior de todos, alguém que ame outro alguém, romanticamente, e espera que esse amor seja o bastante para fazê-los estar juntos, porém, não é o que acontece. Muitas vezes não há reciprocidade, noutras há empecilhos diversos que impedem a aproximação. Tantas vezes o momento não é o adequado, ou a distância, a saúde, as famílias, o trabalho…

Certo é que o que mais vemos, até mais que amores plenos, são amores frustrados. Será que isso acontece porque supervalorizamos o amor, ou porque esperamos que ele faça milagres?

Avaliando essas situações chego a três conclusões.

Primeiro, o amor não poderia resolver tudo sozinho. Não salva um filho das drogas, os pais da infelicidade, os idosos do abandono, a esposa amargurada ou os amantes frustrados.

Segundo, o amor faz, sim, muitos milagres. O filho drogado, os pais desregrados, os idosos abandonados, os amantes, todos estariam muito piores se não fosse o amor que recebem, sentem ou distribuem.

E terceiro, quem recebe amor é privilegiado, mas quem é capaz de senti-lo ou doá-lo é quem sai no lucro, verdadeiramente. Pode até não obter grandes resultados, pois depende de vários sentimentos que estão no outro, dos quais não tem controle, mas impede que a situação do outro seja ainda pior.

Há também muitos que se salvaram com o amor recebido; pais, filhos, cônjuges, idosos, amantes. O amor é incansável!

Jesus sempre pregou o amor acima de tudo. Sempre sofreu e deu o máximo do amor por nós: Sua Vida.

O amor que se doa sempre retorna em dobro. Coração que ama está sempre cheio, vivo, vibrante, ainda que seja de lágrimas ou saudades.

Supervalorizar o amor pode parecer ingênuo, porém, subestimar sua força e seu poder certamente não é muito inteligente!

Alda M S Santos

Mais no meu blog http://www.vidaintensavida.wordpress.com

Cenas de Amor

Sonhos

Sensações

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: