Busca

Papai

PAPAI

Sempre alegre, bem humorado

Completa hoje 75 anos, passou para os 76, como diz

Garante que passa dos 100 anos

Animado, adora uma roça, passear e bater um papo

Pessoa ímpar e engraçada, temente a Deus

Muito prestativo, vaidoso, sem vícios

Toma vinho com Fanta Uva!

Confia muito nas pessoas e isso o coloca, às vezes, em maus lençóis

Do seu jeito simples e contido nos ama a todos

Esse é meu pai: Adair

Felicidades papito!

Que passe mesmo dos 100 com saúde e alegria.

Te amo! 💕🙏🏼

Alda M S Santos

Qual seu oásis?

QUAL SEU OÁSIS?

Qual seu oásis?

Aquele repouso tão sonhado e desejado

Pós longas caminhadas sedentas no deserto?

Qual seu oásis?

Pós lábios ressequidos, pele castigada pelo sol escaldante

Tempestades de areia furiosas maltratando os olhos

Qual seu oásis?

Pós calor intenso do dia a derreter seus miolos

O frio noturno a quase roubar sua sanidade?

Qual seu oásis?

Pós solidão, abandono, sensação de estar perdido, sem rumo?

Qual seu oásis?

Aquele que reduz seu cansaço com um olhar

Que molha seus lábios num beijo

Devolve a sanidade, a sensação de fazer parte num abraço

Lembra que você é importante, que não está só

Irriga sua alma de alegria, esperança, mesmo que temporária?

Qual seu oásis?

Todo deserto precisa de oásis

Toda vida carece de refrigérios…

Qual seu refrigério?

Alda M S Santos

Atemporal

ATEMPORAL

Que não tem tempo, de qualquer tempo

Além de qualquer efeito advindo de temporalidades

Atravessa qualquer época, estação

Cai bem em qualquer tempo ou espaço

E permanece em nós, firme, forte, exigente

Que transpassa e perpassa sentimentos

Agrega, completa, faz parte

E se torna infinito em nós

Atemporal…

Alda M S Santos

Sem fronteiras

SEM FRONTEIRAS

Voam na imensidão do azul do céu

Não têm limites, não têm fronteiras

Sozinhas, em pares ou em grandes grupos

No céu dançam um lindo ballet

Em silêncio ou cantando, se comunicando

Simplesmente, voam…

Sem destino? Não sei!

Parecem livres, despretensiosas

Pousam numa árvore frondosa

Fazem muito barulho

Será uma reunião de revisão de rota?

Algum perigo? Temem algo?

Ou será apenas uma pausa para descanso?

Param todas na beira de um lago

Molham-se, hidratam-se, banham-se

E seguem seu caminho no espaço…

Haverá algo que possa interromper seu curso, seu voo?

Vão e voltam, fazem estações

Sem fronteiras….

Daqui de baixo a tudo observo, invejo tal liberdade de ser, de pouco precisar

Voo com elas… vou longe… e volto…

Pés no chão, coração no espaço…

Alda M S Santos

Universo inexplorado

UNIVERSO INEXPLORADO

O universo que carregamos em nós

Por mais desbravado e explorado que tenha sido

Por mais terras, luas e planetas descobertos em nós

Sempre haverá aquela estrela escondida

Aquele meteoro veloz não acompanhado

Aquele cometa tão aguardado

Aqueles asteroides desconhecidos e esquecidos…

Somos um universo ainda muito inexplorado

Inclusive por nós mesmos

Cada um de nós carrega em sua galáxia interior

Regiões obscuras e carentes de luz e vida

Necessitando de uma remexida intergaláctica para ser ativada

E mostrar todo seu potencial…

Alda M S Santos

Medos

MEDOS

Muitos e muitos medos me seguem

Medo de perder pessoas queridas

Medo de me perder das pessoas amadas

Medo de perder a saúde, a lucidez

Medo de não mais ser capaz de me compadecer pela dor do outro

Medo de perder minhas memórias e lembranças boas

Medo de me decepcionar com amigos e amores

Medo de esquecer ou ser esquecida por quem amo

Muitos medos…

Não é por ausência de fé em Deus

Nem por fraqueza ou fragilidade excessiva

Tampouco por falta de coragem de enfrentá-los

De todas as coisas que me dão medo

Que me causam insegurança e dor

Um aprendizado sempre fica:

O amor é o único medo cuja dor sei que vale o risco…

Alda M S Santos

Águas passadas

ÁGUAS PASSADAS

Águas passadas não movem moinhos

Diz sabiamente o ditado popular

Por que sempre voltamos ao mesmo moinho

Acreditando encontrar as mesmas águas a movê-lo

Ou buscando naquelas novas águas que agora o fazem rodar

As mesmas características anteriores?

Se o moinho é o mesmo, e continua sendo movido à água

Algo semelhante haverá entre essas e as águas passadas.

Buscamos nova familiarização, nova sintonia

O que nem sempre nos atentamos

É para o fato que o moinho também se modificou,

Não é o mesmo moinho de outrora

Tem fissuras, partes escurecidas, está mais silencioso ou barulhento

As mesmas águas que passaram e foram embora rio abaixo

Fizeram seu trabalho na roda do moinho

Deixaram ali sua marca…

Águas passadas não movem moinho

É verdade!

Mas o deixam cada vez mais forte e eficiente

E capaz de aproveitar melhor a força das novas águas …

Águas passadas são lições aprendidas

Nos livros dos moinhos de nossa existência…

Alda M S Santos

Em casa, onde quer que seja

EM CASA, ONDE QUER QUE SEJA

No meio do mato, perdida na mata

Ouvindo os sons do silêncio

Em casa, onde quer que seja…

Numa estrada de terra, margeada de buganvílias

Sentindo o cheiro das cores intensas

Em casa, onde quer que seja…

Mergulhada nas águas de um rio gelado

Dependurada de ponta a cabeça numa árvore centenária

Em casa, onde quer que seja…

Numa casinha de pau a pique, numa barraca de lona

Num colchonete sob céu estrelado

Em casa, onde quer que seja…

Debaixo de uma tempestade, sem energia

Ouvindo o tamborilar das gotas insistentes na janela

Em casa, onde quer que seja…

Num jardim florido e colorido, entre abelhas e borboletas

Ouvindo as cigarras agitadas e o “motor”dos beija-flores

Em casa, onde quer que seja…

No deserto, numa região árida e seca, sob sol escaldante

Em busca de um oásis sonhado

Em casa, onde quer que seja…

A sensação de estar em casa em qualquer lugar

Surge quando estamos bem conosco mesmos

Quando acalmamos nossos gritos, fazemos as pazes com nossos silêncios

Nossa verdadeira casa é aquela que carregamos conosco

Como caracóis…

Se essa casa abala alicerces, trinca paredes, desmorona, em qualquer lugar nos sentiremos intrusos

Todos queremos estar sempre

Em casa, onde quer que seja…

Alda M S Santos

Duelando

DUELANDO

De frente, de costas, de perto ou de longe

Confrontos visando resolver desagravos diversos

Armados: armas brancas, de fogo, palavras, cérebro, coração

E os digladiadores “modernos” continuam a duelar

Quem tombará primeiro?

Quem vence afinal?

Duelos de cunho físico ou emocional

Quem tem o gatilho mais rápido

Ou o chicote mais certeiro?

Qual a arma mais potente?

Qual a palavra mais poderosa?

Qual o prêmio desse entrave, dessa disputa?

Quem são afinal os adversários, quais as desavenças?

Num combate corpo a corpo, mente a mente, alma a alma

Vence aquele que se entrega

Aquele que usa a arma mais poderosa: o coração

Ainda que esteja fora do corpo, ele não nos deixa na mão

Ele sabe até onde pode ir sem matar, sem morrer…

Alda M S Santos

Mergulhos

MERGULHOS

Água: um delicioso e assustador mistério

Oceanos, mares, lagos, lagoas, rios, cachoeiras, poços

Caindo do céu, escorrendo nas pedras, formando lençóis freáticos

Minando da terra, evaporando no ar

Abastecendo a terra de vida nesse ciclo sem fim…

Leves, pesadas, fortes ou tempestuosas

Convidativas ao mergulho, a nelas se aventurar

E ali, deslizando suavemente, cada vez mais longe

Se perder…ou se encontrar…

Alda M S Santos

Super-heróis

SUPER-HERÓIS

Um é de aranha, outro é de ferro

A questão é ser herói, super-herói

Uma pantera negra, um humano que se agiganta e se transmuta de raiva…

Um modo de se achar pouco, menos

Ou, ao contrário, perceber-se capaz de ser mais?

Fuga, covardia, alienação ou coragem?

Covardia por imaginar um mundo em que apenas heróis teriam vez

Ou coragem por colocar ali suas angústias, limitações e sonhos?

Entre fantasia e realidade, em quartetos ou duetos, viveu 95 anos

E fez menos amarga, mais feliz, a vida de muitos admiradores e fãs

Quem nunca sonhou em ser um super-herói

Ou ser salvo por um?

Quem nunca valeu-se dessa fantasia em momentos difíceis

Que se enrole na própria teia

Que tenha um coração doce num corpo de ferro

Que seja atingido por raios cósmicos, destruído pela kriptonita

Ou que fique verde de raiva…

O melhor disso tudo é saber que mesmo sem super poderes especiais

De ultra força, visão de longo alcance, capacidades extras

Sem Marvel ou DC

Somos nossos próprios heróis!

RIP STAN LEE

Alda M S Santos

Fazer o bem, viver o bem

FAZER O BEM, VIVER O BEM

“Uma pessoa do bem, que ajuda a tantos não merece passar por isso”

Fala contínua pós-tragédias, particularmente quando atingem indivíduos “do bem”

Fazer o bem não livra ninguém de ser atingido pelo mal

É um modo caridoso de ser e de viver

Uma maneira de ser generoso consigo mesmo através dos outros

Uma vida tentando ser fiel a seus princípios

Que, infelizmente, não imuniza contra as maldades existentes por aí

Mas torna seus autores mais fortes e resistentes para enfrentá-las

Num mundo de cabeça para baixo

Ser bondoso, ético e correto, o que deveria ser visto como natural

É encarado com incredulidade.

Espanto com o mal deveria ser geral, independente de quem atinja…

Cercarmo-nos do bem, fazer o bem

Tornar mais equilibrada a luta do bem contra o mal

É na verdade uma maneira de tentar neutralizar o negativo existente por aí

Que sabemos que tem sempre muitos adeptos

Infelizmente…

Alda M S Santos

Passando o tempo

PASSANDO O TEMPO

– Vem cá, amiguinha, senta aqui do meu lado!

– Que lindos coloridos!

– Estou com saudades de você! Venha ver!

Não é uma escola, tampouco um ateliê.

É um lar para idosos…

Ele vive num quarto com outros três companheiros.

Fala das dificuldades de locomoção dos outros.

Ocupa-se fazendo seus coloridos em desenhos diversos.

Possui um kit de lápis de cor e livros de colorir “para passar o tempo”.

“As pessoas gostam e eu dou, não vendo não!”-diz orgulhoso

Num caderno em branco, pede para eu fazer um desenho para ele.

-Não demore a voltar. Vou colorir esse para você!

Os caminhos que percorreram até chegar ali são muitos!

As histórias se resumem a amor, dor, arrependimentos, resignação, esperanças e saudades…

O que precisam de todos nós não é tanto: carinho e atenção.

Que não os deixemos na mão!

Alda M S Santos

Que procuras?

QUE PROCURAS?

Um mundo feito de muitas procuras

Muitas vidas feitas de poucos achados

-O que procuras, que buscas?

– Ainda não sei, mas hei de encontrar!

-Se não sabes nem o que buscas

Como queres encontrar?

-Quando encontrar saberei o que preciso

Será sintonia instantânea e atração imediata.

Essa crença que move boa parte da humanidade

É que mantém a roda da vida girando

Que procuras?

Podemos não saber, mas enquanto sentirmos a falta

Estaremos sempre em busca, sem estacionar

Ainda que pensemos ter desistido

O desejo de encontrar o que buscamos

Estará tal qual fumacinha lá no fundo

Bastará um sopro, um toque

Para tudo se acender e voltar ao fogo que atiça a vida…

Que procuras?

Um mundo feito de muitas procuras

Mas muitas vidas feitas de achados na mesma proporção

E a roda segue seu curso infinito…

Que procuras?

Alda M S Santos

Ah, um carinho…

AH, UM CARINHO…

Quem não gosta, quem não quer?

Ah, um carinho….

Amolece os corações mais duros, enverga os mais resistentes

Atrai os desavisados, enlaça os distraídos

Derruba os céticos, acorda os descrentes

Ah, um carinho…

Quem não gosta, quem não quer?

Carinho com as mãos

Carinho com o olhar

Carinho com as palavras

Até fecha os olhinhos, se entrega

Confia…

Carinho que vai, carinho que volta

Ah, um carinho…

Quem não gosta, quem não quer?

Carinho que se doa é carinho que se recebe…

Alda M S Santos

Heranças

HERANÇAS

Trazemos conosco muitas heranças

Que vêm passadas de geração para geração

Pais, avós, bisavós, tios, primos…

A cada dia notamos em nós algo de algum dos nossos ascendentes

Ou algo nosso nos nossos descendentes

Algumas características que amamos, necessárias

Que nos orgulhamos por possuir, por passar para frente

Outras como um apêndice inútil a ocupar espaço

E outras que até pagaríamos para devolver, por machucar, envergonhar

Heranças genéticas, físicas e mentais

Heranças emocionais, de personalidade

Heranças materiais, bens ou dívidas

Mas somos muito além do que herdamos

Nada vem tão fechado, imutável, inerte

Sobre o que herdamos podemos agir, transformar, melhorar

Ou piorar, dependendo do que fizermos

Personalidade não mudamos, mas podemos aprimorar

Características físicas podemos aprender a valorizar

Dívidas podemos pagar ou arrolar

Bens materiais podemos multiplicar ou conservar

E a capacidade de amar e evoluir é pessoal e individual

Sempre pode ser aprendida e aprimorada

E, quem sabe, a herança que deixarmos

Possa ser cada vez melhor?

Alda M S Santos

Confiança, ingenuidade ou pureza?

CONFIANÇA, INGENUIDADE OU PUREZA?

Tão confiante que se aproxima daquele que o alimenta

Ingênuo o bastante para lamber a mão que se estende

Puro o suficiente para não perceber

Que aquele que o alimenta e cuida

Tem outros interesses que ele desconhece

Ambos apenas buscam suas necessidades básicas de sobrevivência

Uma certa empatia, olhar doce, focinho gelado

A mão que o alimenta, outro dia virá para lhe tirar a vida

Para alimentar outras vidas…

Sou meio covarde!

Até como a carne, mas desde que outro tire a vida

Que não precise encarar esse olhar todos os dias

Que não crie laços de afinidade

Não tenho coragem de tirar a vida!

Como se a carne que viesse do açougue

Não representasse uma vida como aquela

Que me olha terna ali…

É estranho pensar que uma vida precise se perder

Para outra poder permanecer…

Quem determina qual vida é mais valiosa?

Será mesmo necessário?

Humanos precisam mesmo disso?

Por que ao olhar dentro desse olhar

Tudo isso parece tão (des)humano?

Alda M S Santos

Fios da meada

FIOS DA MEADA

Na grande meada colorida da vida

Muitos fios são puxados

Na tentativa de fazer laços

Enlaces, entrelaces

Buscando desfazer nós…

Sem contudo ficar a sós

Principalmente sem ficar a sós

Puxa um fio verde daqui

Estica um fio vermelho dali

Por dentro, por fora, por cima, por baixo, vai e volta

Faz um zigue-zague, corta alguns nós

Seguindo os mesmos pontos

Desembaraçando…

E encontrando um ponto comum

De preferência bonito, harmônico

Com cores vibrantes e fortes, que nos aqueçam o viver

Formando um laço de amor…

Alda M S Santos

Contágio

CONTÁGIO

Um espirro, uma tosse, coriza

Um contágio: influenza:

Simples, direto, certeiro…

Uma raiva, um grito, um descuido

Um contágio, desamor:

Depressão, caos, tristeza, rancor…

Uma delicadeza, um sorriso, um abraço

Um contágio, amizade, amor:

Carinho, luz, solidariedade, esperança…

Os vírus estão todos aí… no ar

Nossa imunidade é que determinará

Com qual iremos nos infectar…

Nossa resistência é que dirá

Contra qual devemos lutar

Ou a quais nos entregar…

Viver é contagioso!

Eu escolho me contaminar de amor…

Alda M S Santos

#carinhologos

Vamos brindar?

VAMOS BRINDAR?

Vamos brindar aos sins que recebemos na vida

Aqueles que nos abriram portas, iluminaram nossos caminhos

Elevaram nossa autoestima, nossa fé em nós mesmos

Facilitaram nossas conquistas e nos permitiram alegrias…

Vamos brindar?

Vamos brindar também aos nãos que nos foram ofertados

Aqueles que nem sempre entendemos no momento

Tristes, amargos, cortantes, frustrantes, maldosos

Que interromperam nossa caminhada, esburacaram nosso trajeto, nos deixaram ali por uns tempos

Que tantas vezes nos revoltaram, contra os quais nos rebelamos e batemos de frente

Mas que, mesmo dolorosos, nos fizeram crescer…

Vamos brindar?

Mais que os sins, os sobreviventes dos nãos são mais fortes

Não são derrubados por qualquer ventania ou tempestade

As perdas e as quedas são, cedo ou tarde, impulsos para se levantarem

Sabem o momento de lutar e o momento de recuar

Ou, simplesmente, quando é necessário aguardar ou quando não dá para fazer nada…

Sobreviventes dos nãos aprenderam a extrair deles o que é útil e passível de evolução

E seguir tentando ignorar o que não faz bem…

Aos sins e aos nãos da vida que sempre existiram e sempre existirão

Vamos brindar?

Tim, tim!

Alda M S Santos

Ilha do desejo

ILHA DO DESEJO

Uma placa, uma mensagem, uma indicação

“Ilha do Desejo”

Que será que se faz ali?

É uma ilha sonhada, desejada

Uma ilha onde desejos são despertados

Ou uma ilha onde desejos são realizados?

Será um espaço mágico, especial

Que ao ser adentrado todos os desejos tornam-se reais?

E se houver desejos controversos

Em que a realização do meu se interpõe à realização do seu?

Quais critérios usados?

Os mais justos, os mais fortes,

Quais prevalecem?

Qual a fantasia, qual a magia?

Ilha do Desejo

Do meu, do seu, de quem?

Alda M S Santos

Perdas

PERDAS

De tudo que é passível de perdas

Quase nada se dá de uma vez, de supetão

Normalmente é perda gradativa, gradual

E podemos perceber se prestarmos a devida atenção…

O emprego, a lucidez, o lazer, a faculdade

A destreza, a saúde, a alegria, a agilidade

A confiança, a consciência, a fé, um amor ou uma amizade…

Tudo, tudo que se perde, que se vai, emite sinais

Quando precisa de uma injeção de ânimo, de dedicação

Quando já não está tão perto ou tão forte como se imaginava

Quando urge um sofro para manter o calor

Quando para manter vivo necessita mais cuidado e proteção…

Tudo que é passível de perdas

Emite luz de alerta, pisca-pisca ou holofote

No observar e no agir diário está a diferença entre sair vitorioso ou derrotado…

Alda M S Santos

De gota em gota

DE GOTA EM GOTA

De gota em gota ela cai lá fora

A terra sedenta a recebe de boca aberta

Suavemente é engolida, absorvida por sementes e mudas

Os brotos crescem a olhos vistos

A piscina já não se importa

Ali, desnecessária, “completa”

Está cheia, transborda, não tem carências …

O que é excesso para uns

Quase sempre é falta para outros

De gota em gota se mata uma sede

Mas uma tempestade também pode matar…

De gota em gota a chuvinha cai lá fora

Alimenta sonhos, desejos e esperanças

De gota em gota…

Alda M S Santos

A festa continua: baila comigo?

A FESTA CONTINUA: BAILA COMIGO?

Não importa se estamos na pista

Independe se temos par ou se dançamos sozinhos

Tanto faz se estamos sentados num canto do salão

Esperando por alguém para nos estender a mão convidando para dançar

Ou se convidamos alguém com o olhar

Se cantamos a música, bailamos conforme o ritmo

Ou se soltamos o corpo à vontade para se movimentar

Não interessa a ninguém se é nosso embalo preferido

Ou se preferíamos escolher outra melodia

Importa mesmo é participar da festa

Mesmo porque ela segue

A gente estando ali ou levantando para ir embora

Baila comigo?

Alda M S Santos

Caricaturas da alma

CARICATURAS DA ALMA

Caricaturas são representações das pessoas ou de situações

Em que o desenhista coloca em foco o que quer evidenciar

Olhos, orelhas, cabelo, testa, boca, nariz, mãos…

Qualquer parte do corpo pode ser aumentada ou diminuída de forma grotesca

De acordo com o olhar do artista observador

E transmitir uma mensagem, sem palavra alguma!

Sei bem como seria feita uma caricatura de corpo minha!

Mas e se, ao invés de uma caricatura de fora, fosse feita uma caricatura de dentro?

Quais partes nossas seriam evidenciadas?

O que temos transmitido de nós por aí?

Quem saberia fazê-la fiel, quem nos vê de verdade?

Cérebro, coração, emoção?

Carisma, energia, luz, amor?

Gostaríamos de ver, de saber?

Saberíamos nós mesmos fazê-la?

Mesmo grotescas, as mensagens das caricaturas são claras,

Por isso chocam e, quase sempre, geram mudanças.

Alda M S Santos

Quando começa o amor

QUANDO COMEÇA O AMOR

Saberíamos dizer o exato momento

Em que passamos a amar alguém?

Em alguns casos é muito simples:

Pais, filhos, irmãos, avós…

Nesses o amor vem no sangue, no espírito, no DNA, na interdependência

Mas e o amor por aqueles que chegam depois

Amigos, outros parentes, amor romântico?

Quando nosso olhar “torna” alguém especial para nós

Quando esse alguém se destaca na multidão?

No cuidado prestado, na dedicação, no tempo a nós dispensado?

Entre tantos conhecidos e convívios, somos apenas um a mais

Em busca de um lugar ao sol, de uma sombra refrescante

Querendo ser especial para alguém…

Quando passamos a “selecionar” os que amaremos

Ou sermos selecionados por alguém?

É um ato racional ou acontece à nossa revelia, emocionalmente?

Uns apontam o olhar, o sorriso, a inteligência, a bondade, o modo tranquilo ou afoito de ser…

Outros apontam grandes feitos ou as pequenas doçuras do dia a dia

Será?

Penso que esses são apenas sinais a nos mostrar o caminho

Aquele que vale a pena seguir, trafegar…

Creio que passamos a amar alguém quando não temos apenas afinidades

Mas quando o outro nota nossas falhas e as aceita

Quando podemos ser nós mesmos, ainda que melhorando sempre

Isso cativa amores de amigos e amantes

Certo é que uma vez amor, sempre amor…

Ainda que em níveis e fases diferentes de loucura, sanidade e maturidade…

Quando começa não é tão importante

Vale mesmo é sua capacidade de se eternizar em nós, no outro…

Alda M S Santos

Um dia especial

UM DIA ESPECIAL

Nunca consegui ver esse dia como alguns veem

Um dia como outro qualquer…

Não importa se através da vidraça ele está nublado, chuvoso, friozinho

Ou se amanheceu claro, quente, ensolarado

Para mim o dia em que nasci sempre será especial

Como se fosse um dia só meu que, paradoxalmente, quero dividir com todos

Com bolo e velinha, com lembranças ou esquecimentos

Com presentes, presenças, ausências

Mensagens, orações, abraços e beijos, de longe ou de perto

É um dia só meu, especial!

Já o vivi com alegrias, risadas, lágrimas, faltas, fartura ou simplicidade

Sempre comemorei, com festas ou não

Ainda que só dentro de mim

Em paz comigo mesma, feliz ou nem tanto

Mas ele nunca deixou de ser um dia de reflexão, de sonhos e esperanças que se renovam

Um dia que sempre me levou à introspecção, à gratidão

Particularmente nesse ano em que muito perdi, vi tanta gente especial partir

Que muito abalaram meu existir …

Nesse dia, gostaria de ter todos que amo perto de mim

Mas, principalmente, sinto que eu mesma é que preciso estar comigo, em mim

Para poder curtir quem de mim se aproximar…

Independe o tempo lá fora, é sempre um convite ao mergulho

Aquele feito sem snoker, com pouco oxigênio, com coragem ou medo

Aquele mergulho que nos direciona para o fundo de nós…

E daí se completamos 5, 15, 50 ou 70 anos de vida?

O dia de nosso aniversário deve ser sempre motivo para comemoração e agradecimentos!

É sempre uma oportunidade de recomeçar…

Obrigada a todos vocês que tornam meu existir mais belo e prazeroso

Amo vocês!

Alda M S Santos

Somos fortes

SOMOS FORTES

Quando a gente ouve ou diz “você é forte, vai superar, isso vai passar”

Não quer dizer pouco caso com a dor ou sofrimento do outro

Quer dizer, quase sempre, “sei como é isso, uma hora há de passar”

Ainda que quem diz não tenha superado nada

Apenas tem tentado seguir a vida

Aprendendo a cada passo do caminhar, sozinho ou não

Que não é fingindo que a dor não existe

Ou engolindo o choro, tampouco se escondendo do mundo

Que tudo irá se encaixar…

Enfrentar o que fere e sangra dentro de si

Fazendo curativos de fé, usando compressas de amor

Tendo esperanças em dias mais amenos, apagando pesadelos, ativando sonhos bons

Evitando culpas, recriminações e autopiedade excessivas, confiando em si mesmo…

Isso fará o sol voltar a brilhar um dia

Isso é ser forte!

Essa capacidade de resistir todos temos

Chama-se sobrevivência e é forte em todo ser vivo

Apenas oscila e tem botões acionadores diferentes…

Somos fortes! 😇🙏

Alda M S Santos

Farol de bondade

FAROL DE BONDADE

Em meio a tantos caminhos confusos, trilhos quebrados, vagões desconectados

Sempre aparecerá uma placa, uma bússola, um sinal indicando a direção

Em meio a tantas dúvidas e inquietações

Sempre haverá um alguém a dizer boas e sábias palavras, estimulando a reflexão

Em meio a tantas exclusões, preconceitos e mania de superioridade

Sempre surgirá um abraço acolhedor, fraterno, irmão

Em meio a tanto desamor e individualismo

Sempre haverá alguém a nos amar acima de tudo, ser o anjo protetor do nosso coração

Em meio a tantos túneis escuros e repletos de maldade

Sempre haverá um farol de bondade e esperança, ainda que na contramão

Para todos aqueles que, de enxergar o lado bom da vida, não abrem mão…

Alda M S Santos

No meio do caminho

NO MEIO DO CAMINHO

Se um vem de lá e outro vai de cá

É no meio do caminho que irão se encontrar

Polarizações nefastas impossibilitam o dar-se as mãos

Extremos radicais impedem o abraço gostoso

Para o encontro de paz ser possível

É preciso que ambos se disponham a caminhar

Saltar obstáculos, deixar malas pesadas para trás

E seguir em busca do mesmo objetivo

O equilíbrio que impede a queda

Nunca está nos polos ou extremos nefastos

É no meio do caminho que os melhores abraços selam a paz…

Alda M S Santos

Tão difícil

TÃO DIFÍCIL

Tão difícil quanto segurar espirro ou tosse

Tão difícil quanto conter as crises de riso em situações sérias

Tão difícil quanto mexer com água com vontade de fazer xixi

Tão difícil quanto não dormir deitado diante da TV

Tão difícil quanto manter-se aprumado na ventania

Tão difícil quanto parar qualquer avalanche iniciada

É segurar lágrimas de tristeza, emoção, raiva, mágoa ou decepção

Aquelas que não se quer verter…

Tenta-se distrair a mente, focar noutra coisa, evitar autopiedade

Respirar fundo, contar até 100

E torcer para ninguém, mas ninguém mesmo, notar ou perguntar nada

Qualquer palavra ou olhar doce

Um carinho ou cuidado, qualquer atitude pode trincar a estrutura montada

Romper comportas e ativar uma torrencial tempestade de lágrimas contidas

E acabar por inundar tudo…

Tão difícil!

Alda M S Santos

Precisando de cuidados?

PRECISANDO DE CUIDADOS?

Num jardim há flores de todos os tipos

Cores, perfumes, texturas, tamanhos, resistência

Umas preferem o Sol, outras a sombra

Algumas precisam de muita irrigação, outras bem pouca

Umas são do dia, outras da noite

A floração também é muito variada

Algumas são bem frágeis, necessitam proteção

Inclusive exigindo sacrifício de outras, que se doam

Para garantir sua sobrevivência

Tratamento igual para todas poderá levá-las à morte

Única coisa que deve ser igual para todas é a dedicação do jardineiro

Conhecer bem cada uma e do que ela necessita

Aceitá-las em suas peculiaridades que as tornam únicas e belas

Até mesmo impedir que umas sufoquem as outras

Cada planta no jardim exige um cuidado e proteção especial

Assim é com as flores,

Assim é com as pessoas…

Somos flores, boa parte do tempo, precisando de cuidados

Somos também jardineiros, devendo cuidar…

Cuidemos de nós e dos outros, quando flores, quando jardineiros…

Alda M S Santos

Efeito borboleta?

EFEITO BORBOLETA?

Entra voando janela adentro do meu quarto

É noite, tudo escuro lá fora

Talvez atraída pela luz, voa em círculos sobre a cama

E para na parede à minha frente

Fico encantada com o voo, as cores, a leveza, a liberdade

Eu me aproximo devagar, confiante, ela me permite tocá-la

Que veio fazer aqui, borboleta?

Não tem medo de aqui ficar presa ou perdida?

Veio buscar o quê, aventureira?

Ou será que veio me ensinar a leveza, a coragem de voar?

Suas cores e “digitais” parecem falar comigo

Dá mais uns voos rasantes pelo quarto e sai majestosa para a noite de luar…

Efeito borboleta? Que poder tem o bater de suas asas?

Leveza, liberdade, a fragilidade e fugacidade do viver …

Alda M S Santos

Não quero!

NÃO QUERO!

Não quero amor por obrigação ou segurança sob tensão

Quero respeito por convicção, ainda que seja sonho vão

Não quero tranquilidade assegurada, atrelada à prisão

Quero paz condicionada à igualdade, ao direito de expressão

Não quero liberdade de alçar voo muito além

Se minhas asas impedirem o voo de alguém

Não quero uma fé retrógrada, ameaçadora, excludente e cega

Quero um Deus de amor, de igualdade e esperança que só agrega

Não quero viver feliz, protegida e segura

Se para isso o outro precisar morrer ou viver na amargura…

Alda M S Santos

Finou-se?

FINOU-SE?

Dia de Finados, dia dos mortos, dia dos vivos

Dia de todos nós que aceitamos nossas mortes diárias

Aquilo que em nós finou por inanição, por circularidade existencial, por ciclo vital

Somos feitos de nascimentos e mortes todo o tempo

Aprendendo a lidar com o que em nós definha, morre

O que em nós brota, nasce, cresce, se agiganta

Até mesmo o que em nós se transforma ou se recolhe

Para não tirar a luz daquilo que precisa crescer

Fruto que precisa secar, morrer

Para deixar a semente de um novo existir brotar

E manter oxigenado em nós o que precisa viver…

A “melhor morte” de todas é a que serve de adubo para aquilo que vai nascer

Não morre, se transforma e renasce em algo mais lindo e duradouro

Como o que temos em nós de mais maravilhoso

Capaz de permitir que nele nos eternizemos: O AMOR

Alda M S Santos

Deixa quieto

DEIXA QUIETO

Aquelas palavras que atiçam o que temos de pior

Aqueles silêncios que têm pretensões de se tornar gritos

Deixa quieto!

Aquela ferida que volta a sangrar quando é cutucada

Aquele medo que volta a assombrar quando é relembrado

Deixa quieto!

Aquela luz forte que volta a cegar quando tiramos os óculos

Aqueles gritos que ensurdecem quando se atenta a eles

Deixa quieto!

Aqueles sedimentos que voltam a se misturar à água quanto retirados do repouso

Aquela tranquilidade que passa a doer quando questionada

Deixa quieto!

Mas se for …

Aquela música bela que inunda nossos olhos quando ouvida

Aquelas lembranças boas que invadem nossa alma de saudade

Aquela brisa suave que traz leveza e esperança

Aquela onda que vem e leva o que perturba

Deixa quieto, bem quieto

Encosta num cantinho, respira fundo e deixe a paz reinar…

Alda M S Santos

De onde vem esse vento?

DE ONDE VEM ESSE VENTO?

De onde vem esse vento

Que a muitos causa medo

E a poucos traz alento?

De onde vem esse vento

Que levanta saias, despenteia cabelos

Carrega chapéus e ignora apelos?

De onde vem esse vento

Que bagunça o que estava arrumado

Na pretensão de arrumar o que estava bagunçado?

De onde vem esse vento

Que tanto carrega para lá e para cá

Mas não me leva desse lugar?

De onde vem esse vento?

Alda M S Santos

Tá triste?

TÁ TRISTE?

Tristeza que ameniza com um abraço desinteressado

Numa manhã com eles, aprendendo como se faz um bom queijo

Amenizando conflitos “infantis”

Acalmando uma lindeza que queria dar chinelada na cuidadora que furou seu bumbum

Batendo um bom papo, rindo, dando atenção

Oferecendo e recebendo carinho

E ouvindo aquela idosa que diz que abraço de outra mulher dá choque dizer:

“Pode abraçar, você está cheirosa, e seu abraço não me dá choque”

Riu muito quando respondi: “será que estou virando homem”?

“Então tire esse vestido bonito”!

Eles me fazem muito bem!

Qualquer tristeza ameniza ao estar com gente que precisa da gente…

Alda M S Santos

Bruxices

BRUXICES

Num caldeirão bem grande, com uma colher de pau

Tento fazer uma poção mágica

Que tenha poderes curativos e nos imunize de todo mal

Que nos livre de flagelos do corpo, mas sobretudo que acalme nossas dores e feridas da emoção

Começo adicionando um voo de águia a trazer liberdade

Lágrimas de mulher a garantir sensibilidade

Essência de rosa para acentuar a delicadeza

Um raio de sol e outro da lua para manter o respeito

Um trecho de uma oração silenciosa para assegurar a fé

O rugido de um leão para atrair a coragem

Uma estrela cadente para ativar os sonhos

Uma gota de orvalho para regar a esperança

Um abraço apertado para afastar os medos

Palavras doces para matar qualquer saudade

Uma lembrança de amor para elevar a autoestima

O brilho de um sorriso e a maciez de um beijo para cuidar do coração

Uma tempestade de boas ações para nunca deixar o amor morrer

Misture tudo, deixe aquecer e tome uma porção por dia

Junto ou pensando nas pessoas que ama e quer bem

A magia da vida se renova…

Aceita uma bruxice?

Afinal, uma bruxinha é uma fada que não aceitou ficar onde não era aceita…

Alda M S Santos

Tô indo…

TÔ INDO…

– Como você está?

– Tô indo…

– Indo? Pra onde? Como?

– Seguindo em frente, no caminho que se apresenta.

Quem pergunta nem sempre quer saber

Quem responde nem sempre quer responder…

Outras vezes quem pergunta sabe bem a resposta

Quer apenas confirmação do imaginado

Quem responde prefere não abrir porteira de problemas,

Não quer incomodar…

“Tô indo“ muitas vezes é resignação

Aceitação do equilíbrio necessário entre escolhas e consequências

Entre vitórias e derrotas, lágrimas e sorrisos

“Tô indo” pode ser demonstração de luta e força

De não entrega, de resistência à tristeza dos dias nublados

Por saber que o sol tem força para surgir entre nuvens

Aquecer, deixar nascer e crescer brotos de esperança e paz…

“Tô indo, e você?”

Alda M S Santos

Apenas um abraço

APENAS UM ABRAÇO

Quando há muito a dizer

Quando quiser se fazer entender

Mas não houver meios, o tempo for escasso ou faltarem palavras

Dê apenas um abraço

Quando quiser evitar dúvidas ou mal entendidos

Se desculpar ou desfazer erros cometidos

Dê apenas um abraço

Quando quiser estabelecer uma conexão, deixar sua marca de amizade

De carinho, amor, gratidão ou saudade

Dê apenas um abraço

Abraço é linguagem verdadeira, recíproca e universal

É carinho que torna tudo mais leve e apaga qualquer mal

Dê apenas um abraço

E um “amo você” também não cairia mal …

Alda M S Santos

A Lua mudou

A LUA MUDOU

A coluna dói mais quando a Lua muda de fase

Se o tempo esfria, aquela dor crônica nas articulações piora

Se o joelho incomoda já sabe que vem chuva

A Lua Cheia inspira os amantes

A maré baixa causa indisposição

A natureza dando sinais no corpo

Ou o corpo buscando justificativa para suas alegrias e mazelas?

Chuva, dias nublados, Sol, Lua, estrelas

Belezas, dores e amores inspiram poetas

Ou sua inspiração que faz com que vejam tudo isso

Onde ninguém mais vê?

Transformam em poemas o que veem lá fora

Ou o lá fora apenas ativa, atiça o que já têm cá dentro?

O joelho dói porque vai chover

Ou vai chover porque o joelho doeu?

Qual a mudança na Lua lá em cima

Que sensibiliza poetas cá embaixo?

Que marés são capazes de virar nossos ventos internos?

Ou será que a sensibilidade está bem mais perto daqui

E a Lua é apenas a Lua, o mar apenas o mar,

O amor apenas mais uma dor?…

A Lua mudou…

Alda M S Santos

Minha arma me salvou

MINHA ARMA ME SALVOU

Tive uma arma na cabeça, levei coronhadas, desmaiei

Fui trancada no porta-malas e deixada na cidade vizinha por um jovem drogado

Idade? Não sei!

Apesar do medo e das lágrimas, de ter implorado para me deixar para trás, fui levada

Sei que acredito piamente que o que me salvou foi o olhar de piedade que lancei a ele

Aqueles olhos vermelhos que carregavam maldade e sofrimento

Olhar que nunca esqueço e que ainda assombra nos meus pesadelos

Era véspera do dia das mães, perguntei por sua mãe…

Se ali eu tivesse uma arma ou ódio no coração

Certamente não estaria mais aqui…

Nem por isso acredito que bandido bom é bandido morto

Não é que eu seja boazinha ou tola

Eu prefiro revidar apenas o amor…

Enquanto puder usarei apenas essa arma

Eu acredito na força poderosa do amor contra o que machuca

É essa arma que terá a capacidade de reduzir qualquer mal

Alda M S Santos

Dói

DÓI

O que mais doeu e machucou a 44% dos brasileiros

Não foi ouvir do Bolsonaro tais insanidades tão alardeadas

Estamos acostumados a ouvir asneiras de congressistas e candidatos

O que mais doeu foi ouvir tais falas reproduzidas

Na boca daqueles que admiramos e amamos

“Bandido bom é bandido morto”

“Doenças advindas de viadagem não devem ser tratadas pelo estado”

“O erro da ditadura foi torturar e não matar”

Entre tantas que doeram a tantas minorias…

O que doeu e dói é ver máscaras caindo

E isso devemos agradecer a ele!

Não, não apoio corrupção ou roubos

Já votei achando estar certa e estava errada

Mas existem roubos e roubos

Uns levam apenas dinheiro, bens materiais

Outros levam nossa sensação de pertencimento, nossa dignidade de ser humano

Cada qual sabe como sua dignidade é atingida

Sinceramente, espero estar errada

Espero que ele não cumpra nem metade do que “prometeu”

Que consiga apagar o que suas falas atiçaram nas pessoas

Despertou preconceitos arraigados que nele encontraram guarida

Que isso possa mesmo cessar.

Decepcionada, amedrontada!

Que ele possa mesmo fazer um Brasil melhor

Farei minha parte no trabalho e no que sempre fui

Na luta pelo amor e igualdade de todos

Com as armas que sempre dispus

Que não preciso de autorização para portar

Que não mudam a cada eleição…

Alda M S Santos

Deus é Brasileiro

DEUS É BRASILEIRO

Que a Paz possa reinar!

Somos aquela parte que trabalha e isso não mudará nada!

Que os corações se apaziguem.

Que a dor de saber que alguém querido votou contra alguns princípios que consideramos fundamentais

Não nos afaste das pessoas.

Se o amor não venceu, é porque ainda há luta!

Vamos participar da solução!

DEUS É BRASILEIRO!

Alda Maria Silva Santos

Dulce et decorum est pro patria more

DULCE ET DECORUM EST PRO PATRIA MORE

“É doce e apropriado morrer pelo seu país”

O quão de literal há nessa afirmação?

Acho mais apropriado e doce viver pelo nosso país

Viver por cada um de nós, nosso maior patrimônio

Sem exclusão, com respeito a todos os brasileiros, seres humanos

Independente de credo, raça, gênero, cultura, opção sexual

Povo guerreiro do amor, da paz, da esperança em dias melhores

Lutar pelo seu crescimento, trabalhar, dar o nosso melhor

Possuímos armas enormes e poderosíssimas que nem sempre sabemos usar

Confiança, fé, coragem, resiliência, solidariedade, alteridade

E que a nossa melhor e maior arma nunca seja a de fogo

Ainda que ela possa parecer enorme, invencível, a única saída

Que possamos usar o que sabemos bem

O carinho que desarma, o olhar que cativa, a palavra que convence

O sorriso que emociona, o abraço que a todos acolhe!

Essa é nossa essência! Que ninguém nos convença do contrário!

“Somos brasileiros, não desistimos nunca!”

E que Deus esteja conosco!

Alda M S Santos

Quem ama (se)cuida!

QUEM AMA (SE)CUIDA!

Quem ama cuida, protege, defende

Não quer ver o outro sozinho, desamparado ou entristecido

Quem ama quer estar junto

Salvar dos riscos, iluminar os caminhos

Quem ama quer regar e fazer brotar sorrisos

Quer enxugar as lágrimas, dar o colo, o ombro, ser amigo

Quem ama vigia o sono, afasta os monstros, faz um despertar feliz

Acolhe nos pesadelos, realiza os sonhos, sabe o que diz

Quem ama guarda lembranças, um verso, um presente

Um cartão, uma joia, flores desidratadas, não mente

Quem ama compra briga para defender o outro, não se alia ao “inimigo”

Quem ama honra a palavra dada, não foge, é abrigo

Quem ama troca abraços, divide a cama, partilha desejos

Escreve poemas, fala bobeiras, faz serenatas, pede beijos

Quem ama quer viver o amor, confia, não tem ou mete medo

Quem ama não quer privar-se ou privá-lo do amor

Diz bem alto “te amo”, não quer segredo

Quem ama cuida do outro

Quem ama também se cuida!

Alda M S Santos

Qual a questão?

QUAL A QUESTÃO?

Não é uma questão de vencer a qualquer custo

É uma questão de saber quais “armas” são válidas

Não é uma questão de ter a quem culpar

É uma questão de assumir as próprias responsabilidades

Não é uma questão de vencer ou perder

É uma questão de ficar bem consigo mesmo numa ou noutra situação

Não é uma questão de quem vive ou quem morre

Por quem se vive ou por quem se morre

É uma questão de vida e morte para todos

É uma questão de porquê se vive e porquê se morre

Mas, principalmente, de como se vive ou como se morre

Pois não há quem vença sempre

Não há tampouco quem viva para sempre…

Em cada vitória trazemos uma derrota acoplada

Em cada derrota há sempre algo de positivo e vitorioso a considerar

É tudo uma questão de ir aprendendo a viver

Enquanto houver vida, amor, esperança e confiança…

Alda M S Santos

Carregando…

CARREGANDO…

Minutos que vão passando, a imagem carregando…

Uma barrinha em trinta, quarenta, sessenta por cento concluída

Exigindo calma, tolerância, tranquilidade

E a paciência enchendo mais rápido que a barra

Quando estiver com carregamento total é fim ou início?

Na perspectiva da vida carregamento total seria o fim?

Tudo que teria para viver já se foi em vinte, setenta, cem por cento?

Carregou, usou, gastou…

Ou carregamos tudo primeiro para começar a viver?

Estamos carregando para viver, ou vivendo até carregar?

Melhor seria saber qual a porcentagem concluída, ou simplesmente viver?

Existe algo que acelera, desacelera ou paralisa o processo?

Tristezas e decepções, lágrimas e dores a pré-enchem mais rápido?

Alegrias, prazeres, intensidade, amores desaceleram?

Como saber?

Se faltar energia vital, de todo modo, tudo termina antes de acabar, antes do final…

Carregando…

Alda M S Santos

Eu troco

EU TROCO

Troco uma noitada de músicas, danças e bebidas

Por um dia de caminhadas na praia tomando água de coco

Troco a tranquilidade de uma vida estendida na rede da varanda

Pela oportunidade de estender a mão, despertar sorrisos, ajudar

Troco os gritos calados de tristeza e desesperança

Pela chance de ouvir os silenciosos pedidos do olhar

Troco aquele rolê no shopping numa tarde de sábado

Por uma conversa amiga, tranquila, acolhedora debaixo da jabuticabeira

Troco aquela viagem por locais paradisíacos

Pelo prazer de viajar dentro daqueles que amo e que de mim precisam

Troco milhões de amigos e/ou expectadores

Por uma amizade sincera, que ore por mim, que seja confiável, que não me traia ou abandone

Troco a aquisição de qualquer bem material ou condição financeira

Pelo prazer de sentir um abraço sincero a dizer “você é bênção em nossas vidas”

Troco uma vida longa e cheia de “ganhos”

Por uma vida mais curta, na medida certa, de coração cheio

Troco qualquer coisa pelo prazer de ser eu mesma

Pela satisfação de viver para quem amo…

Eu troco!

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: