Busca

Categoria

Somos filhos do mesmo Pai?

SOMOS FILHOS DO MESMO PAI?

“En que mundo vives? Fe en esto? Anda ya…”

Fui questionada num blog ao defender a fé em Deus.

Caminhando numa avenida movimentada, observando tudo a minha volta, lembrei-me disso.

Armava uma chuva forte, céu escuro, ventos fortes.

Um ser humano “qualquer” estava enrolado nos lençóis sob uma marquise.

Uma madame desceu de um carro com seu cachorrinho no colo todo agasalhado.

Vendedores de guarda-chuvas gritavam seu produto.

Ambulantes de ocasião, ofereciam seus serviços.

Em carros escuros e com ar condicionado executivos negociavam nos tablets e nos arranha-céus.

Num ponto de coletivos pessoas se espremiam pra caber num ônibus já lotado.

Um táxi embarcava um único passageiro.

Vários homens de terno e sapatos finos passavam sem ver outros de bermudas e chinelos.

Um casal de pedintes fumava e namorava num cantinho.

Na porta do hospital um médico com roupa verde de bloco cirúrgico tomava um suco no carrinho de lanches.

Na recepção do pronto socorro público cada semblante mais carregado de dor que o outro.

Crianças vestidas de adultas eram levadas por babás em seus carros de luxo.

Outras, quase nuas, esmolavam junto às mães debaixo de uma árvore.

Um senhor velhinho, tal qual caracol, sentado sob seus cobertores e apetrechos, carregava “sua casa”.

Outro juntava todos os lixos que recolhia num carrinho para vender.

Um casal idoso, de mãos dadas, apoiava um ao outro em suas bengalas e limitações.

Um “louco” deitado num canto falava coisas desconexas sobre a guerra das ruas.

Alguns riam, outros ignoravam.

Fiquei olhando um tempo e ele disse: “porque tá chorando, moça bonita?”

Sequer percebi que chorava…

“Vai passar, sou assim mesmo”- respondi sorrindo.

“Vá com Deus, e sorria, menina”!

Tanta desigualdade! Será que somos mesmo todos filhos do mesmo Pai?

O quanto será que cada um ali já lutou nessa vida?

Respondo à pergunta que me foi feita:

“É nesse mundo que vivo!”

Mesmo as pessoas mais desvalidas têm fé!

Sem ela não somos nada nem ninguém!

Segui meu caminho, entrei num hospital público para consulta.

A chuva já caía…mas eu já estava molhada mesmo…

Alda M S Santos

Essa força estranha

ESSA FORÇA ESTRANHA

De onde vem essa força?

A força que faz tantos carregarem um peso

Muitas vezes maior que o próprio?

De onde vem essa força

Que faz sorrir, onde tantos derramam rios de lágrimas?

De onde vem essa força

Que nasce, cresce, se espalha e se renova

E a tantos contagia, surpreende?

De onde vem essa força

Que brota em terrenos aparentemente áridos e inférteis?

De onde vem essa força

Que cresce nos vazios alheios que preenche

De onde vem essa força estranha

Se não de dentro de nós mesmos?

É sempre lá que a força está,

Sempre!

Pode estar em repouso, mas existe

Pode ser leve como uma esperança, voar, flutuar

Apenas precisa de algo que a acione

Em alguns é um sorriso, um abraço, uma família

Um trabalho prazeroso, uma mão que se estende

Uma amizade sincera, um amor incondicional

Talvez até uma grande decepção ou tristeza

Palavras de fé e estímulo, um olhar amoroso

Até mesmo por ter alguém que deles necessitem

Atividades de amor, solidariedade e compaixão, Deus…

A força está em cada um de nós

Cada qual tem algo especial que a faz mirrar ou crescer

De onde vem sua força?

Alda M S Santos

Só tem amor quem sabe amar

SÓ TEM AMOR QUEM SABE AMAR

Missão dada, missão cumprida

Mais um ano de Encontro de Jovens com Cristo-EJC

Emoção e busca por um caminho de amor e paz, de Jesus, de Deus

Que o amor do Pai sentido tão de perto possa nos guiar sempre!

“Só tem amor quem sabe amar”…

Alda M S Santos

A IGREJA QUE SOMOS

A IGREJA QUE SOMOS

Igreja não se faz sozinha

Igreja não é só templo de pedra

A igreja não são eles, não são os outros

A igreja que queremos

Somos nós que construímos

Um pouquinho Dele em cada coração

Que se alastra e se propaga para outros corações

Que incendeia com a luz do Espírito Santo, que contagia

Sem demagogia, sem hipocrisia

Com humildade e humanidade

Como nos propósitos dos jovens do EJC- Encontro de Jovens com Cristo

“Ficar mais próxima de Deus”

“Complementar meu caminho até o Pai”

“Agradecer e fazer o bem”

Todos temos nossos objetivos

E podemos escolher: participar, ajudar, não atrapalhar, ou só criticar

A igreja “melhor” do mundo

É aquela que brota em nossos corações

E nos torna melhores, cada dia mais humanos…

Alda M S Santos

Pedras…pedreiras…pedregulhos

PEDRAS…PEDREIRAS…PEDREGULHOS

Pedras no meu caminho, que fazer?

Quando não me importam tanto, pequenas

Colocadas com intuito de me fazer perder tempo

Rotineiras, como um contratempo no trânsito

Não merecem muita atenção, desvio

Pedras no meu caminho, que fazer?

Quando atrapalham a caminhada, perturbam

Incomodam como alguém a fazer pouco de nós

Pego e jogo para longe de mim ou me afasto

Pedras no meu caminho, que fazer?

Quando impedem a passagem, grandes

Preocupantes, pesadas, difíceis de remover

Como um pesadelo reincidente e assustador

Com calma, tento escalar e transpor

Peço ajuda, uma mão amiga a me puxar

Pedras no meu caminho, que fazer?

Gigantescas, intransponíveis, como parte do ambiente

Com lascas cortantes como ingratidão ou abandono

Como uma doença incurável ou a perda de alguém

Sento na pedra, choro, reflito e oro…

Pedras no meu caminho, que fazer?

Penso em todas as vezes em que Ele nos salvou

Me salvou de outros abismos e me devolveu o chão

Agradeço, e a encaro com mais ânimo

Já não parece tão intransponível assim

Afinal, Ele sabe tudo de montanhas, escaladas

Ingratidão, abandono, amor e desamor

Pedras e “Pedros” de todos os tipos

Seres humanos…

Ele sabe de tudo e de todos!

Ele é maior que qualquer pedra, pedreira ou pedregulho!

Alda M S Santos

 

 

 

Depois do fim

DEPOIS DO FIM
Irei até aquela curva lá na frente
Com esse propósito, sigo sem parar na caminhada à beira-mar
Areia macia a afundar meus pés deixando pegadas
Sempre me lembro da parábola “Pegadas na Areia” quando o faço
Na curva, o caminho, que parecia acabar, continua…
Que há depois daqueles coqueiros?
E aquele coqueiro envergado pelo vento é meu próximo objetivo
Entro no mar, devagar, água fria na pele quente, gostoso…
Choque térmico de vida!
Fujo correndo de uma onda enorme
Umas pessoas riem, de mim ou para mim?
Não importa, retribuo e sigo até o rochedo, o coqueiro ficou para trás
As rochas disformes seriam o fim da caminhada
Subo nas pedras, as ondas ali arrebentam agitadas
Parecem querer despertar as pedras para a vida
Ajudá-las a sair dali, arrancá-las da mesmice, andar pelo mundo
Piso devagar, são cortantes e escorregadias
Sento, reflito, cair dali seria o fim, muito alto e perigoso
Quantas pessoas já pularam dali querendo ir além disso aqui?
Do outro lado o caminho continua com areia, coqueiros, rochas e curvas…
Depois do fim sempre há outro caminho
Ainda que a gente não consiga vislumbrá-lo
Olho para trás lá embaixo, minhas pegadas se apagaram
Queria tanto estar no colo Dele!
Uma brisa suave balança meus cabelos, acaricia minha pele
Sim! Ele está aqui!
Retomo meu caminho de volta, não estou só!
Alda M S Santos

Praia de Lopes Mendes-Ilha Grande- Brasil

Sorry!

SORRY!

Pelas vezes em que, acreditando ser útil, mais atrapalhei

Pelas vezes em que briguei e me rebelei sem motivos

Sorry!

Pelas vezes em que tentando ser forte e especial, tornei-me frágil

Por achar-me “superior”, capaz de ajudar, quando eu que precisava de ajuda

Sorry!

Pelas vezes que te culpei por não me aceitar, não cuidar de mim

Quando na verdade eu que me descuidava

Sorry!

Pelas vezes em que não reconheci que você me conhece como ninguém

Por não notar que sabe tudo de mim, que lê meus pensamentos

Sorry!

Pelas vezes em que não aceitei suas mãos estendidas

Por ter cobrado mais que de fato merecia

Sorry!

Pelas vezes em que caí e não percebi as oportunidades de crescimento

Pelas estradas escuras do caminho em que me recusei a abrir os olhos

Sorry!

Pelas vezes em que não valorizei ou cuidei tão bem daquilo tão precioso que me confiou

Por não ter percebido que se eu fraquejasse, outros fraquejariam comigo

Sorry!

Pelas vezes em que mais destruí que construí o que mais aprecia

Por não ter visto seu pedido de amor naqueles que de mim careciam

Sorry!

Por ainda, às vezes, acreditar não merecer tanto amor

Por não ter ainda entendido que me amas acima de tudo

Sorry!

Por ainda cair, por julgar seu amor de acordo com meus parâmetros humanos falhos

Por não ter notado em cada gesto, mesmo duro, uma prova de amor incondicional

Sorry!

Pelas vezes em que deixei que fosse embora de mim

Por nem sempre te buscar por estar nua, por medo ou vergonha

Sem perceber que exatamente aí que você age

Sorry!

Por ter deixado que “meu brilho” te ofuscasse para os outros

Sorry!

Obrigada!

Por nunca desistir de mim, meu Deus!

Obrigada! Eu te amo! Eu confio em ti!

Alda M S Santos

Fardos nossos

FARDOS NOSSOS

Muito ouvimos que Deus não nos dá fardo maior que nossas costas

Doenças do corpo e da alma, desamor, injustiças, violência

Assaltos, estupros, sequestros, amigos que lavam as mãos

Inimigos disfarçados de amigos, perdas

Falta de fé, de coragem, de lucidez…

Acreditamos e lutamos para carregar cada fardo que recebemos

Até ajudamos os outros a carregar seus fardos

Deus certamente conta também com as costas amigas que dividem o peso conosco

Amigos, amores, familiares…

Que nos ajudam nas encostas e ladeiras íngremes

Nas tempestades mais fortes, nas noites escuras como breu

Onde pesadelos nos assombram, monstros nos perseguem

E a força parece faltar, as pernas tremem, as lágrimas escorrem sem cessar

Quando queremos e pedimos que o mundo gire muito rápido

E nos lance para fora da galáxia…

Ninguém pode sentir o peso do fardo do outro

Calcular a dimensão da dor alheia

Ou a profundidade da ferida e do quanto ela sangra…

Mas pode ajudar, estender a mão, aceitar ajuda…

Ser o “anjo” na vida do outro é tornar leves dois fardos

O deles e o nosso!

É preciso pés no chão, fé no coração

Essa humildade Deus espera de nós!

Com ela temos mais chances de ser felizes…

Eu creio!

Alda M S Santos

Por que Nossa Senhora?

POR QUE NOSSA SENHORA?

-“E quem não é devoto de Maria?”

A maioria quase absoluta dos idosos do Lar Santa Zita é de católicos

Mas é o que menos importa, todos são filhos ou mães

E numa homenagem às mães

Aquela escolhida por Deus para ser a mãe de Jesus, Nosso Salvador,

É a homenageada principal!

Ninguém é obrigado a participar, respeitamos

Como em qualquer outra atividade

Mas a quase totalidade que tem Maria como Nossa Senhora, mãe de todos nós

Merece também respeito e consideração!

Quem conhece e ama o Filho, ama a Mãe

Sabe que Maria nos leva a Jesus, que nos leva ao Pai…

Coração de mulher, de mãe, que confiou nos desígnios de Deus para nos salvar

Sofreu a maior dor que uma mulher pode sofrer: perder o próprio filho

É uma honra poder chamá-la de Minha Mãe, de Nossa Senhora

E tê-la para interceder por nós todo o tempo

Nossa Senhora, rogai por nós e por todas as mães,

Amém!

Alda M S Santos

#carinhologos

Pouco vale uma torcida

POUCO VALE UMA TORCIDA

Pouco vale uma torcida

Por maior, mais forte e fiel que seja

Quando o que precisamos

É de um jogador a mais em campo

Que vista nossa camisa em qualquer jogada

No combate corpo a corpo

Nos lances espetaculares, nas faltas

No ataque ou na defesa, nas contusões

Nas bolas fora e nos gols

Nas derrotas sofridas, nas vitórias vibrantes

Ou nos empates chocos

Que não tire a camisa quando ela parecer feia ou rasgada

Mas conosco…sempre…

Alda M S Santos

Alma vira-latas

ALMA VIRA-LATAS

Há pessoas que têm alma vira-latas

Acostumadas a se virar sozinhas, dormir no chão duro e quente ou no mato molhado

Alimentar-se do que recebem, do que encontram nas “latas” da vida, resistir

Aquecer-se enroscadas em si mesmas, voltar ao útero

Aproveitar até a última gota do que a vida oferece e parece inútil

Descartando o que faz mal, seguindo…

Não têm pedigree, não têm raça definida

Mas têm força descomunal contra adversidades

Adquirem resistência, criam anticorpos contra variados antígenos

Desenvolvem adaptabilidade às mudanças bruscas de tempo

Abrigam-se sob o gigante firmamento, arrancam bicho de pé nos dentes

Não é fácil derrubar uma alma vira-latas convicta do que é, de sua força

Elas atraem umas às outras com a doçura do olhar fiel, com a fé numa proteção Maior

E enfrentam a vida como uma adversária que merece respeito

Sem sangue azul, SRD, sem berço, sem nobreza

São as almas vira-latas as mais nobres que existem!

Alda M S Santos

Ele está onde o colocamos

ELE ESTÁ ONDE O COLOCAMOS

Tantas vezes nos espaços estreitos dos labirintos de nossas vidas

Quando mais necessitamos de sol, energia, luz, calor

Um sorriso confiante, uma palavra animadora

Esbarramos nas paredes de nossos limites físicos e emocionais

Paredes frias, úmidas, mofadas, duras, escuras…

As dúvidas, medos, desesperanças quase nos nocauteando

Procuramos por uma força, um estímulo, um amor

Alguém que acredite em nós, nos compreenda, nos aceite, nos perdoe

Buscamos Deus…

E Ele será mais facilmente encontrado

Se soubermos onde procurá-Lo, o espaço que reservamos a Ele nesse labirinto

Se estiver difícil de encontrar, pensemos bem!

Deus está onde O colocamos…

Alda M S Santos

Humildade

HUMILDADE

“Quem se humilha será exaltado, e quem se exalta será humilhado”.

Humildade: uma das mais difíceis virtudes, a que Jesus mais demonstrou…

Quase sempre confundida ou associada a defeitos de gente simplória, frágil ou pobre em recursos materiais ou culturais

Na verdade, é uma qualidade muito positiva de quem sabe não ser melhor que ninguém

Se formos verdadeiramente honestos

Se nos imbuirmos de coragem bastante

Se abrirmos mão de nossos adorados escrúpulos

Se mergulharmos sem receios no fundo de nossa alma

Enxergá-la nua e crua, aberta e clara, sem sombras

Se retirarmos os véus, as vendas que amenizam nossas falhas

Que mascaram, maquiam nossas feiúras

E observarmos nossa alma em sua nudez total

Veremos que não somos melhores que ninguém

Quando muito, possuímos defeitos diferentes…

Reconhecer isso é o primeiro passo para respeitar as falhas, fraquezas e feiúras alheias

Julgar e condenar um erro alheio, o pecado do outro

Não nos isenta ou expia dos nossos próprios pecados, apenas nos faz soberbos

Reconhecer e agir de acordo com essa verdade é ser humilde…

Alda M S Santos

Louva a Deus

LOUVA A DEUS

Louva a Deus quem vai à igreja, quem canta, quem se encanta com o que Ele criou

Mas louva mais a Deus quem trabalha, quem luta, quem preserva sua criação, quem não destrói seu irmão

Louva a Deus quem O entende como um Deus de amor, que jejua, se arrepende, é grato, prega Sua palavra

Mas louva mais a Deus quem vive de acordo com ela e acolhe os que mais precisam, quem alimenta o que tem fome

Louva a Deus quem O ama sobre todas as coisas e tem a bondade e sabedoria de seguir seus mandamentos

Mas louva mais a Deus quem é humilde, quem ama a seu próximo como a si mesmo, quem não se mostra superior a ninguém

Louva a Deus quem se prostra de joelhos, mãos postas, olhos cerrados e ora com fé

Mas louva mais a Deus quem mergulha nessas águas de amor, abre os olhos, levanta e age de acordo com seus dons e os ensinamentos d’Ele

Louva a Deus quem sabe-se Seu filho, que sente-se parte da família d’Ele, quem cultiva o que recebeu

Louva a Deus quem entende e é grato por um amor assim tão grande…

Alda M S Santos

Relaxe: nada está sob controle

RELAXE: NADA ESTÁ SOB CONTROLE

Relaxe! Seja leve, deixe a vida no seu curso, deixe-se flutuar

Tentar manter o controle de tudo é desgastante

Muitas e muitas coisas se interdependem, não nos cabe mudar, mas nos ajeitar

E manter a ilusão de que tudo controlamos é pesado, frustrante

Relaxe! O melhor da vida está nas surpresas, na esperança

Segurar firmemente algo pode impedir de circular o sangue da renovação

Cercear o crescimento que vem com a liberdade contida na confiança

E, por mais que a gente faça, a vida tem seus próprios caminhos, dias melhores virão

Relaxe! Nada está sob nosso controle!

Confie no controle Superior! Sorria!

E faça disso sua alegria…

Alda M S Santos

Ora, ora…

ORA, ORA…

Ora dor, ora prazer, ora tristeza, ora alegria

Ora tudo isso junto de mãos postas a orar…

Ora sussurro que acalma, ora grito que enerva, ora silêncio que enlouquece

De joelhos, ora que melhora…

Ora sorriso que encanta, ora canção que inebria, lembranças saudosas a toda hora

Que ora alegram, ora machucam, ora se desfazem em nuvens tempestuosas

Ora com fé que passam suavemente todos os amarrotados da alma…

Ora confia e põe-se a orar, independente da hora

Ora por gratidão, por arrependimento, por perdão, por sonhos e desejos a realizar

Mas não fica estagnado, ora e não para

Até mesmo um milagre precisa de algo mais que uma alma amarrotada que se prostra e ora

Precisa de mãos e mentes que ajam a toda hora…

Alda M S Santos

Misérias humanas

MISÉRIAS HUMANAS

Medo: a maior de todas as misérias humanas

Se bem dosado nos protege, sem medidas nos assombra

Medo de ser assaltado, de adoecer, de ser traído, de perder alguém querido

Medo de não conseguir proteger o amor, a vida, de causar a dor, o mal

Capaz de nos confundir, distorcer fatos, embaralhar memórias, criar incapacidades e fantasmas

Leva-nos a duvidar de nossas forças, de nosso eu, a fantasiar monstros ultra poderosos

Em nome dele acabamos desconfiando de tudo, imaginando e legitimando barbáries

E o pior, fazendo acepção de pessoas, excluindo o diferente de nós que nos enriqueceria

Desacreditamos do poder do amor puro, universal, fraterno, do perdão

Vemos Deus sob a nossa ótica humana limitada, medrosa, culpada e distorcida

Aquele que julga e castiga cruelmente nossas falhas, nossos erros

O medo que venda nossos olhos, que nos paralisa, impede de ver toda a natureza do entorno, nossa natureza, é uma armadilha atroz

É extremamente negativo, afasta-nos do melhor de nós:

Nossa capacidade de confiar e amar, de recomeçar com esperança

Essa é a face contraditória do amor

O medo de sermos dele privados nos distancia bastante de sua essência gratuita, incondicional

O medo de perder, de ser julgado e condenado, nos condena por antecipação

Nos afasta de Deus, do amor…

E, lamentavelmente, isso já é a própria condenação!

Alda M S Santos

Iemanjá e a fé

IEMANJÁ E A FÉ

Fé: cada qual tem a sua, tão particular, tão individual

Outras vezes tão radical, extremista, excludente

Fugindo, assim, à razão de ser de toda fé

Nos tornar melhores pessoas, mais tolerantes, mais humanas, mais felizes…

Não importa se cremos na proteção da Nossa Senhora dos Navegantes,

Em Iemanjá, a rainha do mar,

Se ofertamos oferendas ou não

Ou se em nada disso cremos

Importante é respeitar a fé de todos

E que nossas atitudes perante a vida

Sejam sempre “oferendas” de amor e paz…

Basta de “guerras santas”!

Alda M S Santos

Fé em Deus?

FÉ EM DEUS?

A capacidade de confiar é inerente ao ser humano

Desde muito cedo uma criança é capaz de se jogar

Literalmente, nos braços dos pais, de um adulto

E confiar que será amparada

Mais tarde vamos limitando essa confiança a alguns poucos outros humanos

Pós-decepções e muitos tombos

A vida vai tirando a coragem de se entregar,

Física ou emocionalmente

Ou colocando o medo, a descrença, desqualificando o outro

Mas não elimina a necessidade humana de amparo, de proteção

Alguns depositam essa entrega, essa confiança total em Deus

O que é louvável, esperam Dele o impossível

Mas se abdicam da parte que lhes cabe, do possível

O que é falho, até desonesto

Na crença que Deus ampara, jogam-se em abismos inacreditáveis

Mantendo muitas recidivas, confiando no Deus milagroso, pronto-socorro,

Que está pronto para fazer o que caberia a si mesmos,

Como evitar pisar em brasas para não se queimar.

A verdadeira fé crê num Deus protetor,

Que ensina que brasas queimam,

Mas que respeita nossas escolhas e capacidade de lidar com suas queimaduras e consequências…

Alda M S Santos

Faltam Cristãos, sobram religiosos

FALTAM CRISTÃOS, SOBRAM RELIGIOSOS

A fé que nos move e nos sustenta

Muitas vezes está atrelada a alguma religião

Mas ser um sujeito religioso, independente de qual religião seja

Não tem implicado em sermos, necessariamente, boas pessoas

Saber todos os ritos e dogmas da fé memorizados, cultuá-los

Participar de todos os eventos e celebrações dentro da igreja

Só fará sentido se isso nos tornar bons cristãos

Ser religioso e ser cristão não estão naturalmente ligados

O ideal seria que fosse, mas não é!

Sou um bom cristão quando consigo ser humano

E, mesmo falho, compreender as falhas dos outros.

Mesmo colocando minha vida como prioridade,

Buscando minha felicidade, meu bem estar,

Fazê-lo sem com isso causar mal ao meu próximo.

A termos que optar, melhor sermos bons cristãos que bons religiosos…

Alda M S Santos

No tribunal do amor

NO TRIBUNAL DO AMOR…

Parecia uma grande catedral e várias pessoas estavam sentadas em semi-círculos

Jovens e velhos, homens e mulheres, de todas as raças e classes

Religiosos, ateus, políticos, cientistas, pensadores e trabalhadores braçais

Apenas as crianças passavam direto por uma catraca

E a pergunta que estava gigante num telão era: o que você fez com sua vida?

A princípio, as pessoas ficavam num burburinho nervoso

Em seguida, silenciavam contritas

Novas perguntas se desenrolavam no telão:

Como você usou os dons divinos que recebeu?

Soube amar e proteger a sua família?

“Desinquietou” as famílias dos outros inserindo a discórdia, traição, desconfianças, medos, drogas?

Soube usar o amor como Eu lhes ensinei?

Muitas e muitas perguntas se desenrolavam…

E cada uma despertava desculpas ou auto-acusações nos presentes.

Choros, tristezas e arrependimentos de alguns

Revolta, rebeldia e autopromoção de outros

Uma imagem de puro amor surgiu no telão

Os olhos brilhavam e atravessavam as pessoas ali hipnotizadas

Olhos silenciosos: “nada precisam dizer, pois Eu conheço os vossos corações

Não há necessidade de desculpas, não necessita defesas, Eu os conheço!“

Uma mulher se levantou: “existe algo que possa jogar uma vida inteira de amor por terra?

Ou algo que possa salvar uma vida de discórdia?”

“Somente o se doar por amor, valorizar a vida, a família…”

Respondeu um homem mais velho, chorando…

Na balança desse tribunal não havia barganha

Mas o amor que se doou era “moeda” capaz de neutralizar certas coisas ruins…

Somente o amor poderia ser usado em defesa própria, somente ele! -concluíram.

As ações realizadas por amor, com amor, em favor do amor.

E cada qual teve seu próprio veredicto nesse tribunal.

Tudo que reinava e ficou ali foi a verdade e o amor…

Os demais foram embora!

Alda M S Santos

Tanto faz!

TANTO FAZ!

Tanto faz se é dia ou se é noite, se faz chuva ou se faz sol

Se as horas correm ou se arrastam-se

Tanto faz se rimos ou se choramos

Se o outro nos machuca ou nos faz bem

Tanto faz se ontem foi bom, se hoje não é

Ou se o amanhã é pura incerteza

Tanto faz se exercitamos o amor no outro ou se o guardamos apenas em nós

Tanto faz como tanto fez!

Modo estranho de viver,

Se esse “tanto faz” se aliar à indiferença e descaso…

À ausência de tesão pela vida!

Ideal seria se o tanto faz se devesse sempre ao prazer de viver

Independente do externo

Pois o que é bom e nos mantém vivos de verdade

Brota de dentro de nós como flores em dias de chuva…

Como o amor que não carece de nada

Apenas de existir para já fazer o bem…

Alda M S Santos

Cubro-me

CUBRO-ME!

Cubro-me com palavras faladas

Lidas, ouvidas, cantadas ou escritas

Cubro-me de silêncios profundos

Mudos, sussurrados ou gritados

Cubro-me de lembranças

Boas, ruins, adoráveis, com ou sem interação

Cubro-me de esperança, fé e confiança

Como um cacto espinhento que nos surpreende com lindas flores

Cubro-me de amor e amizade

Para que não possa sentir o frio da dor

Coberta, estou sempre protegida

Da vida ou da ausência dela…

Alda M S Santos

Quero tanto

QUERO TANTO

Quero tanto a luz do Sol, esse brilho que aquece e dá vida

Quero tanto essa água fria, na qual deslizo suavemente e sigo em frente

Quero tanto essa tranquilidade, essa paz,

Quero tanto boas companhias, alguém a quem guiar e ajudar

Quero tanto alguém a me guiar, em quem confiar, a quem buscar

Sempre que o desânimo bater, a tristeza quiser se apossar

Quero tanto essa natureza e essa fé em mim, pra mim…

Quero tanto!

Alda M S Santos

Desisto

DESISTO!

Última vez! Agora desisto!

Quantas vezes afirmamos isso na vida?

Quando o trabalho é pesado demais,

Quando a incapacidade nos assola,

Quando a fé vai embora,

Quando o outro mente ou nos decepciona,

Quando nos sentimos sozinhos,

Quando até pensar no assunto dói,

Quando não temos perspectivas ou esperanças…

Afirmamos convictos: desisto!

Mas quantas vezes não cumprimos o prometido?

Do nosso interior, cedo ou tarde, nasce uma força, uma luz

Nova coragem, novo ânimo

Jorram como água límpida sobre nós, para nós

Isso dependendo da real importância do almejado

Do grau de amor envolvido

Fica apenas adormecido lá no fundo

E sempre algo o traz à tona

Cedo ou tarde

E acreditamos:

Vou tentar só mais essa vez!

Alda M S Santos

Quero a certeza do Sol

QUERO A CERTEZA DO SOL

Quero a certeza do Sol

Aquela que o faz se “apagar”

Todos os dias, sempre belo…

Ou humilde ficar atrás das nuvens

E aguardar as tempestades passarem

Sabendo que na manhã seguinte

Ou no dia, semana, mês ou ano seguinte

Tudo será como antes:

Brilho, calor, beleza, vida.

Quero a certeza do Sol!

Alda M S Santos

Esperas

ESPERAS

Saber esperar é uma habilidade, um dom.

Seja qual tipo de espera for

Na fila do banco ou supermercado

Pelo banheiro quando se está apertado

Pelo resultado do exame

Ou até que passe um vexame

Pelo grito na garganta contido

Ou pela volta do amor perdido

Sentado num corredor de hospital

Na angústia de nada poder fazer

Pelo filho que demora a nascer,

Ou por seu renascer a cada situação-problema.

Saber esperar é habilidade difícil

Como tal, precisa ser desenvolvida

Alia-se à paciência, à fé.

Olhar para o céu, para o alto, para dentro

Saber esperar é saber cuidar-se, valorizar-se

É saber prolongar a vida…

Alda M S Santos

Há muitas montanhas paradas

A fé não move montanhas

A fé move pessoas

Pessoas movem montanhas

Há muitas montanhas inertes

Para poucas pessoas de fé!

Alda M S Santos

Além das nuvens

ALÉM DAS NUVENS

Quando tudo parecer nebuloso e sombrio

E nenhuma luz ou calor der sinal de vida

Elevemos a altitude, voemos alto, busquemos o Alto.

Além das nuvens costumamos encontrar novo tempo,

Mais calor, mais luz, mais energia e paz.

Alda M S Santos

Força sobre-humana 

FORÇA SOBRE-HUMANA 

Sempre que observo as mariposas fico impressionada. Como são insistentes e “cegas” pelo poder da luz. 

De lâmpada em lâmpada, meio desesperadas, dominadas por tanto fascínio, vivem e morrem em busca de luz. 

Já vi colocarem uma bacia d’água sob a lâmpada. O reflexo da luz na água as engana, elas mergulham e morrem afogadas.

Como elas, somos seres persistentes, insistentes, corajosos. 

Podemos “quebrar a cara” inúmeras vezes, sermos enganados por falsa luz, mas continuamos a insistir nessa coisa maravilhosa que chamamos VIDA. 

Nunca desistimos do amor, da amizade, da felicidade. 

Como a mariposa insistente em torno da luz, podemos nos queimar, machucar, esfolar todo, mas voltamos ao mesmo ponto.

Há algo em nosso DNA que nos faz ser mais fortes que tudo, nos faz ignorar certas coisas, enfrentar outras, nos aliarmos ao que nos faz bem…

Só precisamos nos cuidar para não seguirmos a sina das mariposas, vivermos e morrermos em torno da luz sem nunca tê-la alcançado verdadeiramente.

Alda M S Santos

Agradeça

AGRADEÇA!

Se a alegria chegar, aproveite e agradeça

Se a saudade bater, curta-a e agradeça

Se o desânimo tomar conta, levante-se e agradeça

Se a descrença invadir a mente, avalie e agradeça

Se a tristeza tomar conta, chore, permita-se…

Mas retome a fé, ore e agradeça

Porque tudo nessa vida 

Tem razão de ser

Só ficam sem propósito

As coisas das quais 

 Não extraímos o melhor.

A alegria, o sorriso, a fé

A esperança, o carinho, 

A amizade e o amor,

Têm mais valor quando 

Sentimos sua falta!

Alda M S Santos

O Sol está em nós

O SOL ESTÁ EM NÓS

 Ainda que tudo pareça nublado, frio, triste, o Sol está lá! Desistir, se apagar não é uma opção! 

Desde que o mundo é mundo vivemos em crises: políticas, religiosas, financeiras, territoriais, culturais, existenciais, emocionais, de caráter… 

Esperar o fim delas para fazer algo produtivo por nós mesmos e pelos outros não deveria ser uma opção! 

Muitos sabem extrair algo de bom das adversidades, até as aproveitam como combustível para mover o motor da vida, enfrentam a revolta e tristeza geradas de tais crises com mais amor, compreensão e atitudes positivas. Acendem, mesmo com dificuldade, o sol dentro de si. 

Em tempos de crise é que nós, humanos, devemos nos mostrar melhores… 

Não é fácil! Não, mesmo! A vontade de chutar o balde é grande. De se esconder dentro de si mesmo, idem. 

Porém, a parte que nos cabe em tais momentos é ilimitada! 

Grandes coisas foram criadas em tempos de crises, qualquer que tenha sido. A possibilidade de evolução espiritual e emocional é gigante. Para nós e para os que de nós se aproximarem. 

Que passe logo! E que Deus nos ajude a nos ajudarmos. 

Alda M S Santos

Há receitas?

HÁ RECEITAS?

Para estar de bem com a vida
Não há receitas, não há tutoriais.
Cada pessoa exige ingredientes diferentes
O “ponto” de cada massa é diverso
O tempo que se leva para “assar” é variável
Mas há ingredientes que são unanimidade:
Boas companhias, um lugar agradável e Deus.

Alda M S Santos

Entrega

ENTREGA

Todos precisamos de ajuda,

De apoio, de alianças,

De confiança, de auto-confiança,

De entrega, de vida!

A natureza nos ensina.

Sempre. Só observar!

Boa noite!

Alda M S Santos

 

 

Milagres diários

MILAGRES DIÁRIOS
Há dias que parecem vir pra gente sob encomenda. Nunca fui uma pessoa descrente, mas sempre me emociono e surpreendo com os milagres da vida.
Ouvir relatos e depoimentos de superação pela fé, lutas que pareciam inglórias serem vencidas, doenças serem tiradas com “as mãos”, acontecimentos que pareciam perdas se revelarem como ganhos, é de arrepiar.
Seria preciso a pessoa ser demasiado insensível, muito prejudicada emocionalmente ou racional demais para não notar a “magia” que nos cerca.
Analisando, penso que milagres cercam nossas vidas todo o tempo. Talvez a gente nem perceba, ou só note os “grandes” milagres nos outros. Pode ser que não nos julguemos merecedores.
Quantas vezes será que já não fomos desviados de um caminho perigoso, afastados de pessoas maléficas, protegidos contra situações arriscadas, sofrido apenas um mal físico?
Às vezes, um trajeto maior a percorrer, um “amigo” que se vai, um emprego que se “perde”, uma gripe forte, uma decepção amorosa, um trabalho exaustivo, um pequeno acidente, foram apenas os efeitos colaterais, o que ficou depois de recebermos o milagre.
Se isso acontece sem pedirmos, o que não conseguiríamos pela oração e pela fé?
Se Ele cuida de toda a criação, o que não faria por nós que somos feitos à Sua imagem e semelhança?
Em cada situação ruim devemos sempre pensar: o Pai estava aqui e me protegeu! Poderia ter sido pior.
Somos parte do milagre diário de Deus!
Alda M S Santos

Aprendendo a pescar 

APRENDENDO A PESCAR

Nossa vida é uma grande pescaria. Numa hora pegamos um peixe tão pequenino que, insatisfeitos ou compadecidos, o devolvemos ao rio.

Noutra, passamos um tempão na beira do lago, gastamos empenho e paciência para pescar um grandão e nos decepcionamos.

Há ainda as vezes em que sequer percebemos os peixes que, insistentes, mordem nossa isca, e os ignoramos.

Também existem aqueles que nos oferecem, gratuitamente, mas, orgulhosos, dispensamos.

Ter a paciência para esperar e identificar o peixe certo morder nossa isca é habilidade de poucos.

Saber qual peixe devolver ao rio, num ato “caridoso”, também!

Estar atento para não deixar passar em branco aqueles insistentes é importante. Pode ser o “peixe” de nossa vida!

Pescar é divertido, mas dispensar o peixe gratuito, salvo se não for de boa procedência, pode não ser muito inteligente.

Nessa grande pescaria que é a vida, as oportunidades, as pessoas, as situações, são os peixes. Somos apenas um entre milhões de pescadores. Todos queremos pescar!

O rio é grande, nem sempre limpo ou caudaloso, mas há peixes para todos que têm paciência e habilidade.

Devemos nos concentrar em nossa cesta e esquecer a cesta do pescador vizinho. Ela não melhorará nossa pescaria.

Finalmente, lembrar que também somos peixes pode ser muito útil na hora de pescar.

Qualquer dúvida, há grandes lições do maior pescador de almas que já houve: Jesus. Encontram-se num “manual” chamado Bíblia!

Boa pescaria a todos!

Alda M S Santos 

Quando

QUANDO

Quando o coração está em paz,

O som do despertador parece música,

Quando a luz vem de dentro,

Dias nublados são brilhantes

Quando a esperança nos acompanha,

Uma cara feia é apenas uma oportunidade de ajudar

Quando a fé na humanidade é nosso guia,

Um “bom dia” torna-se um “eu te amo”! 

Quando Deus está conosco,

Até a maior tempestade é pacífica.

Quando somos amor,

Somos alma, somos sorriso, somos paz! 

Bom diaaaaa! 

  1. Alda M S Santos 

Eclipse humano

ECLIPSE HUMANO

Tal como a Lua, algo ou alguém pode vir a encobrir parcialmente a luz que recebemos. Entrarmos em eclipse pessoal.

Visível a olho nu, essa sombra, ao contrário da Lua, nem sempre é bonita. É dolorosa!

Recolhemo-nos em nós mesmos, meio “apagados”, querendo que o eclipse seja total e por tempo indeterminado.

Passageiro ou duradouro, parcial ou total, precisamos desfazer o alinhamento de corpos que permite tal sombra, que cria nosso eclipse interior.

Enquanto isso, recolhidos em nós mesmos, buscamos um gerador de luz pessoal que nos mantenha “acesos”

Assim, alinhamento desfeito, nossa luz interna se unirá à externa e, mais fortes, tudo voltará a brilhar.

Intensamente!

Alda M S Santos

Quero os dedos e os anéis!

QUERO OS DEDOS E OS ANÉIS

Tantas vezes fomos treinados na técnica da compensação, da conformação, da aceitação. 

Não sou tão competente, mas sou responsável.

Não tenho o emprego dos sonhos, mas conformo-me com o que consegui.

Não tenho inteligência bastante, nem adianta estudar, fico assim mesmo.

Não tenho quem amo, mas aceito aquele que me ama. 

Não sou feliz, mas vivo alguns momentos felizes. 

Tudo bem! Todos nós precisamos saber lidar com as frustrações. Muitas vezes não teremos tudo que queremos. Nossas vontades não são soberanas. 

Porém, aceitar o imutável é uma coisa, nem tentar mudar é outra. 

Precisamos buscar, lutar, acreditar naquilo que queremos, que nos fará mais felizes, nos tornará um ser humano melhor. E aceitar ajuda é parte do processo. Deus não nos fez solitários! 

O risco de quem se conforma com a falta dos “anéis” é culpar quem os conseguiu e tornar-se amargo. 

Façamos assim: se os “anéis” foram perdidos, devemos valorizar os “dedos” que ficaram, sim, mas buscar, na medida do possível, novos anéis, e não apenas se conformar com sua falta. 

Deus nos criou para sermos felizes. Buscar o que pode proporcionar tal felicidade é parte do processo, portanto:

Eu quero os dedos e os anéis! E é atrás deles que eu vou! 

Alda M S Santos

Caminhos difíceis

CAMINHOS DIFÍCEIS

Há dias em que tudo parece mais difícil. A estrada mais longa, caminhos mais sinuosos, sol escaldante a minar a resistência. O objetivo torna-se longe e quase inalcançável. Oásis? Só na imaginação. 

Nesses momentos, vale olhar para o caminho já percorrido. Veremos as curvas em que quase caímos, o sono nas subidas íngremes, as pernas bambas nas descidas derrapantes, mas, sobretudo, lembraremos claramente dos momentos em que ultrapassamos os obstáculos e das pessoas que nos ajudaram quando seguimos em frente. 

Olhando de fora, como um observador casual, conseguiremos ver as dificuldades, mas, principalmente, apesar dos momentos em que não acreditávamos, ver as vitórias. Deus estava lá. Deus está aqui. Vencemos outrora, venceremos novamente! 

Não esperemos um caminho tranquilo e florido todo o tempo. Estando preparados para as intempéries, superaremos mais facilmente cada obstáculo. E com a experiência adquirida, poderemos até ousar curtir a paisagem e os caminhantes, prováveis oásis, desse caminho.

Boa caminhada! 

Alda M S Santos

Olhe para o Alto

OLHE PARA O ALTO

Para frente tudo parece tão distante, tão difícil!

As pernas estão cansadas. A alma precisa de tempo. 

Para baixo tudo é amargura e cinza. Nada se vê de belo.

Mas se olhar por muito tempo, vicia. Risco de mergulho profundo na tristeza.

Para trás, quase nada se vê! Apenas atrasos…

Para dentro de si, tudo é confuso, conflituoso… 

Precisa-se encontrar a paz! 

Olhemos para o Alto!

Braços, olhos e coração abertos.

Coragem! 

A Luz que vem de lá é poderosa. 

Aciona o que há de melhor em nós! 

E poderemos dar o primeiro passo, seguir em frente…

Corpo, mente e alma numa só sintonia! E, finalmente, encontrar a paz! 

Alda M S Santos 

Somos fortes

SOMOS FORTES

Quando mais frágeis estamos,

quando nos sentimos menores,

quando as lágrimas querem se sobrepor ao sorriso,

a tristeza embaçar a alegria, a raiva invadir a serenidade,

a desesperança tomar conta de nossa fé,

é quando nossa força brota soberana.

Somos fortes, mesmo quando frágeis,

pois nosso técnico é o Melhor, Perfeito.

Por isso, não deixemos a peteca cair,

aceitemos parcerias.

Mantê-la em movimento exige menos

que ter que se abaixar para pegá-la no chão.
Alda M S Santos

Ele está no arco-íris

ELE ESTÁ NO ARCO-ÍRIS

Desconheço quem seja capaz de ignorar a beleza das cores, da luz e da vida que um arco-íris irradia. 

Por mais forte que tenha sido a tempestade, quando ele aparece tudo se renova! É o modo de Deus nos dizer que tudo ficará bem. 

Se pudéssemos pensar nas lindas cores durante a tormenta, passaríamos mais incólumes por ela. 

Se fôssemos capazes de sentir Deus, tanto na tempestade quanto no arco-íris, teríamos mais fé, mais força, seríamos mais felizes. Quem passa pela tempestade valoriza mais o arco-íris! 

Vê-Lo no arco-íris é fácil! Identificá-Lo na tempestade é bênção! Obter aprendizados de ambos é dádiva: Ele não nos abandona nunca! 

Alda M S Santos 

Acordando

ACORDANDO

Acordar, preparar um café, ir à padaria.

Sol alto, quente, brilhante

Domingo, poucos se levantaram,

Menos ainda estão nas ruas.

Sem correrias, observar quem passa.

Uns ainda sonolentos, meio emburrados.

Aqueles que dão o bom dia, sorridentes.

Outros que parecem vir de uma noite na farra,

E os que já trabalham, me recebem na padaria. 

Lanço um olhar “avaliador” sobre cada um e questiono:

Qual será o olhar que lançam sobre mim? 

O que veem?

O que pareço a cada um deles? 

Cheios de pré-conceitos, tantas vezes olhamos assim nossos irmãos. 

Julgamos.

Nesse lindo domingo,

Só dois pedidos a fazer:

Que eu possa ver cada um como Jesus vê: além da aparência,

Na impossibilidade, que possa tratá-los como Deus trata.

Se merecedora, que seja também digna desse olhar e tratamento.

Bom dia, filhos de Deus! 

Alda M S Santos

Buscando a alegria de viver

Segunda-feira, dia de recomeçar: a semana, a dieta, a ginástica, um novo amor, os planos, a vida… 

Dia de acordar com o pé direito, uma oração aos céus, vestir uma cor alegre no corpo, um sorriso brilhante no rosto, a paz na alma. 

Ignorar aquela angústia no peito, a saudade doída, os desejos secretos, os sonhos quase impossíveis. 

Se preciso, parar, respirar fundo, se aquecer ao sol, chorar. Lavar o que machuca, deixar espaço para o que faz bem. 

Trazer à memória o corpo saudável, a mente lúcida, mesmo turbulenta, o coração que ama além da conta, os amigos queridos, a família amorosa, mas principalmente, um Deus que nos acompanha em tudo. 

Segunda-feira, pode vir! E traga as demais. Estamos prontos! Seja breve ou seja longa, seja produtiva, menos dolorida, mais feliz. 

Alda M S Santos

Só por hoje

Só por hoje gostaria de sentir o amor Dele. Poder vê-Lo, falar com Ele, tocá-Lo, sentir Seu amor infinito. Só por hoje, queria sentar-me em Seu colo como criança que esfolou o joelho e chora, sentir Suas mãos em meus cabelos suavemente. Só por hoje, ouvir Sua voz calma e sábia dizendo que amor não é pra doer, que trabalho não é tudo, que família se desentende mesmo, que aquele exame não será nada, que os anos chegam para quem merece. Só por hoje, queria que Ele caminhasse ao meu lado, acertasse o passo comigo, me desviasse das trilhas sem saída, das pedras que machucam, pois tenho chorado a toa. Só por hoje, dar-me as mãos, olhar-me nos olhos e saber tudo que sinto, dizer-me que quem ama também erra, que os filhos são pro mundo, que a saudade deve ser doce. Só por hoje receber um abraço bem longo e apertado que afastasse tudo que dói ou machuca da mente e do coração.

Não que eu não saiba de tudo isso, mas é que sou frágil e preciso ser lembrada.

Se não for possível Ele vir pessoalmente, que me faça percebê-Lo, num bom dia sorridente de um colega, no beijo de “vá com Deus” dos meus pais, na palavra doce daquele amigo que insiste em ajudar, no abraço gratuito de uma criança, até nas brigas familiares, eu possa perceber Seu amor.

Que O veja naquele pedinte na rua, nas flores que desabrocham, no cachorro que me recebe feliz, na chuva fina que cai, no cobertor que me aquece, no sol que nasce todos os dias e me  permite recomeçar.

Se não for pedir muito, que eu possa dizer “só por hoje” todos os dias de minha vida.

Só por hoje.

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: