Busca

Categoria

Belezas

Entre céu e inferno

ENTRE CÉU E INFERNO

O céu e o inferno existem em nós, coexistindo

Transitamos de um para o outro todo o tempo

Daquela parte que nos faz mal, que nos faz sofrer, que machuca

Para aquela que nos faz bem, alegra, anima, vitaliza, acaricia

Algumas coisas ou pessoas do meio nos instigam, nos levam

A sair de um para o outro, do inferno para o céu e vice-versa

E é a isso que devemos estar atentos

Fugir de pessoas “inferno”, que nos dificultam o trânsito para nosso céu

Buscar pessoas “céu”, que nos deixam em nosso paraíso

Bom mesmo é quando nosso céu se conecta ao céu do outro

Aí fica mais difícil, quase impossível, o trânsito para o inferno

Um céu conectado a outro céu é mais forte, mais iluminado

E não deixa a escuridão do inferno prevalecer …

Céu conectado a outro céu é repleto de anjos bons

E que fazem a vida ser mais linda…

Alda M S Santos

Caçadores de belezas

CAÇADORES DE BELEZAS

Caçadores de belezas têm passos leves

Flutuam por aí como borboletas azuis

E sugam suavemente o néctar escondido

Deixando ali um pólen fecundo gerador de nova vida

Caçadores de belezas têm olhar profundo

Que segredam o que as palavras são incapazes de dizer

Seu brilho ilumina e atrai como raios de sol

E aquecem corações frios e carentes de calor

Caçadores de belezas têm alma pura

Que se reflete nas atitudes de delicadeza e doçura

Daquelas capazes de com um toque ou olhar afastar a amargura

Caçadores de belezas não usam armas

Não esperam por momentos lindos para capturar

Caçadores de belezas tornam belo aquilo que seu olhar tocar…

Caçadores de belezas são amantes da vida…

Alda M S Santos

Precisando de cuidados?

PRECISANDO DE CUIDADOS?

Num jardim há flores de todos os tipos

Cores, perfumes, texturas, tamanhos, resistência

Umas preferem o Sol, outras a sombra

Algumas precisam de muita irrigação, outras bem pouca

Umas são do dia, outras da noite

A floração também é muito variada

Algumas são bem frágeis, necessitam proteção

Inclusive exigindo sacrifício de outras, que se doam

Para garantir sua sobrevivência

Tratamento igual para todas poderá levá-las à morte

Única coisa que deve ser igual para todas é a dedicação do jardineiro

Conhecer bem cada uma e do que ela necessita

Aceitá-las em suas peculiaridades que as tornam únicas e belas

Até mesmo impedir que umas sufoquem as outras

Cada planta no jardim exige um cuidado e proteção especial

Assim é com as flores,

Assim é com as pessoas…

Somos flores, boa parte do tempo, precisando de cuidados

Somos também jardineiros, devendo cuidar…

Cuidemos de nós e dos outros, quando flores, quando jardineiros…

Alda M S Santos

Alma sedenta

ALMA SEDENTA

Basta um mínimo de água

Pode ser num copo, numa torneira

Em ondas revoltas do mar, contornando pedras numa cachoeira

Num pequeno riacho, caindo do céu ou escorrendo dos olhos

Para matar a sede, a saudade de um lugar

Para se refrescar, fazer uma tempestade ou se afogar …

A quantidade necessária a cada um

Ou o uso que dela se faz é individual

Pode ser apenas enxugando os olhos molhados

Refrescando os pés descalços, relaxados

Abrindo os braços para se encharcar

Mergulhando fundo até não mais voltar

Ou até obter abastecimento satisfatório da alma sedenta…

Alda M S Santos

Fases e faces

FASES E FACES
Fases, faces, brilho e sombra
Prerrogativas da Lua, das pessoas
Minguante, minguando, definhando em C invertido
Um ser recolhido perdendo luz, abraçando sombras, até ser Nova
Sombra total, escuridão, brilho oculto na outra face
Aquela escondida de todos, preservada, um ser em tempo de esperas
Sol, Lua, céu, pessoas…
Fases: construção do novo, maré, podas, plantação
Crescente, crescendo expectativas, alimentando esperancas, recebendo luz até ser Cheia, redondamente linda
Cheia de si, de brilho e orgulho, transparência
Sol, Lua, céu, pessoas…
Fases… dos seres vivos, dos amantes
Toda sombra esconde um brilho
Todo brilho esconde uma sombra
Fases, faces, brilho e sombra
Prerrogativa da Lua, das pessoas
Minguando, se escondendo, crescendo, aparecendo
Enquanto houver céu e sol
Dentro e fora de nós…

Alda M S Santos

Beleza nua

BELEZA NUA

Que torna uma pessoa, uma mulher bela?

A indústria da beleza investe milhões

Para atender a “todos” os desejos

Cabelos longos e hidratados, pele lisinha, macia, sem rugas, brilhante

Dentes brancos e alinhados, unhas bem tratadas

Cirurgias para mudar tudo que foge ao “padrão”

Roupas, calçados, perfumes, maquiagens e acessórios diversos para “embelezar”…

Se a beleza for entendida como algo menos superficial

Isso pode ajudar na medida em que gera a autoconfiança

Que produz aquele sorriso espontâneo, iluminado

O olhar brilhante que reflete uma pessoa que ama e é amada

As mãos estendidas e palavras de amor e delicadeza

Que fazem uma pessoa feliz e atraente

Nada há mais lindo que uma alma em paz consigo mesma

A alma mais bela extravasa, reflete-se no olhar, nas ações

Uma mulher produzida pode ser linda

Mas a pessoa, a mulher mais linda é aquela que se apresenta de alma nua

Ainda, ou principalmente, quando está de pés descalços e cara lavada…

Não há indústria da beleza que possa maquiar, pagar ou implantar isso!

Essa beleza a própria dona a sente, independe dos outros

Vem de dentro para fora…nua…

Alda M S Santos

Ecos de amor

ECOS DE AMOR

Na beira do nada tudo que é lançado se propaga

Mas se encontra qualquer “obstáculo”

Há reflexão instantânea do que é emitido

Tal qual eco que reverbera ao ouvinte pouco depois do som direto

Tal qual bumerangue que retorna para as mãos do emissor

Tal qual o mar que devolve na areia tudo que recebe

Se o que se emite é dor há reflexão de dor

Se o que se lança é amor é amor que voltará

Nem sempre tão rápido quanto o eco

Mas tudo que emitimos acaba por nos retornar

Pode reverberar e voltar em confusas reflexões

Meio inaudíveis ou incompreensíveis

Talvez nos confunda no retorno, mas volta

Emissões de pessimismo trarão ecos de apatia e desânimo

Sons de um “eu te amo” sempre retornarão como ecos de amor

Ainda que disfarçados de carinho, compaixão, sorriso ou saudade…

Sons de amor, ecos de amor

Sempre!

Alda M S Santos

A lua de sangue

A LUA DE SANGUE

Em alto mar, numa escuna que travou do nada

O condutor disse que ficaríamos ali para ver a lua vermelha

Mar estava agitado, turbulento

Parecia querer atrair a atenção de volta para si

E teve, quando ficamos sem saber quanto tempo demoraríamos naquele entrevero

Comentários tensos ou bem humorados em vários idiomas

E o céu, lindo nas cores do pôr do sol, não nos dava visão da lua

Escondida atrás das matas altas da ilha

Desistimos de procurar por ela que não queria ser vista

E observamos o que se mostrava para nós no momento

Mar, céu, sol poente, e o balançar das ondas no casco da escuna

Que logo voltou a funcionar e nos trouxe para nossa realidade

Vermelha, azul, verde, amarela, multicor ou cinzenta…

Aquela que preferirmos focar…

Alda M S Santos

Ele nasceu e eu vi

ELE NASCEU E EU VI…

O Rei Sol nasceu às 06:28, 26/07/18 e eu vi

Não como o percebo, sem notar, nos outros 364 dias do ano

Mas no alto do Pico do Papagaio, a 982 m de altitude na Ilha Grande, Angra dos Reis

Despertei à 1:30 da manhã para uma trilha de 7000m de subida íngreme na mata

Para essa caminhada que teve início às 2:17h foram 10 trilheiros valentes

7 nacionalidades: Brasil, França, Alemanha, Bélgica, Canadá, Chile, Argentina

3:30h mais tarde, muitas árvores, troncos, rios, pedras,

Vagalumes, lua, esquilos, suor, pequenas paradas de 2minutos

Respiração ofegante, parcerias, goles d’água, apoio de um cajado

Chegamos às 5:45h no cume do pico, vento forte, frio de gelar

Mas a vista maravilhosa na madrugada escura

Calava qualquer cansaço, qualquer dor, qualquer desconforto

Corações acelerados, todos sentados numa pedra escorregadia e perigosa

Aguardavam ansiosos ao nascer do sol mais lindo de nossas vidas

Às 6:28h ele começou a despontar e logo reinava grandioso

Lindo, sabedor de sua grandeza e poder

Várias línguas o saudaram…

Rei da vida, rei do céu, criado pelo Rei dos reis

E nós, desafiando nossos limites e a natureza

O homenageamos com nosso deslumbramento…

Às 7:20h, aos 51,8 anos de idade, num grupo cuja média era 30 anos

Superei meus limites, agradeço a Deus

E iniciamos a descida forte já sob ele, enxergando tudo, terminando às 9:45h.

A nós todos nota 10!

Quem disse que números são frios?

Eles podem ser emocionantes!

E viva o Sol e seus súditos!

Alda M S Santos

 

Um grande evento

UM GRANDE EVENTO

A vida se faz de pequenos grandes eventos

Da nossa habilidade de eternizar momentos

Gravá-los no disco rígido de nossa memória

Tatuá-los na pele delicada de nossa alma

E ativá-los a qualquer tempo

Uma caminhada tranquila num fim de tarde

Uma conversa no banco da praça admirando o por-do-sol

Um mergulho no mar de nossas emoções mornas, quentes, calmas ou agitadas

Um choro de alegria e alívio depois de fortes emoções

Um lanche no carrinho de cachorro-quente

Um piquenique à beira de uma cachoeira gelada

Um abraço de carinho e saudade de alguém amado

Daqueles que te levantam do chão nas pontas dos pés

Um “eu te amo”, tão verdadeiro e desejado

Um beijo quente, de amor, de entrega, de confiança

Uma “taquicardia” de prazer diante de alguém que é importante para nós

Uma bala trocada que adoça a boca do outro

Um jantar na grama sob o céu salpicado de estrelas

Sonhos, desejos e planos antecipando alegrias

Um filme abraçadinhos no tapete comendo pipocas com batom

Um simples sorriso, um cumprimento ou beijo soprado de longe que a tudo contagia

Uma vida repleta de pequenos grandes eventos

Grandes, maravilhosos e eternos eventos…

Alda M S Santos

De corpo e alma

DE CORPO E ALMA

A cada corpo cabe sua beleza, atraente e transitória

Aquela “trabalhada” nas atitudes de cuidado

De alimentação saudável, de sono tranquilo, belezas “malhadas” nas academias

A cada alma a sua beleza encantadora e eterna

Aquela “malhada” nas atitudes de amor para consigo

E, principalmente, para com o outro

No trabalho produtivo e prazeroso

No reconhecimento e gratidão de todo amor recebido

Na alegria bumerangue percebida em cada afeto doado

E que reflete melhor no corpo, no sorriso sincero, na pele viçosa

Na autoconfiança que encanta outras almas

Valem mais que aquelas adquiridas no “puxa-ferro” das academias…

Só seremos completamente belos, quando nos entendermos unos: corpo, mente e alma

Uno que se une a outro uno tornando -se duo, sem perder a unidade

E essa consciência só vem com atitudes de amor compartilhadas com todos que nos rodeiam

Todos que passam por nossas vidas e oferecemos o melhor de nós

Sem qualquer cobrança…

Alda M S Santos

Hoje, não!

HOJE, NÃO!

Hoje quero ver o lado bom das pessoas

Aquele que muitos preferem não ver

Não quero enxergar as falhas, os egoísmos, as covardias

Não, hoje não!

Hoje quero me alegrar com o sol que brilha

E possibilita nossa própria fotossíntese

Não quero reclamar do calor ou do frio, da chuva ou da seca

Não, hoje não!

Hoje quero me fixar nas saudades boas, nas risadas gostosas, no amor vivido

Não quero lembrar das decepções, dos medos, das ingratidões

Não, hoje não!

Hoje quero ser grata ao passado que me formou,

Ser ativa no presente que me mantém, esperançosa no futuro que me aguarda

Não quero ser daquelas que se enfurnam na tristeza e se afogam nas próprias mágoas

Enquanto buscam culpados para o lago sujo que se forma a sua volta

Não, hoje não!

Hoje quero ser o bem, fazer o bem, levar alegria pelo caminho

Hoje quero fazer essa travessia mergulhada em sorrisos

Não quero esperar muito do mundo, apenas me doar e ser grata ao que vier

Não, hoje não quero reclamar de nada!

Hoje quero ser paz e fazer apenas um pedido

Todos os dias podem ser como hoje?

Alda M S Santos

Flores no caminho

FLORES NO CAMINHO

São flores, doces, lindas, coloridas

Enfeitam, perfumam, ocupam todos os espaços possíveis

Alegram os caminhos nem sempre fáceis ou justos

São vida!

Pelo olhar adentram a alma, invadem recônditos escuros

Deixam uma suave fragrância de vida onde passam

Abrem um sorriso iluminado onde tocam, em quem presenteiam

Fazem minar nos olhos gotas brilhantes como orvalho

Mas também precisam ser podadas, cortadas

Ou podem sufocar tudo a sua volta, matar por asfixia

A sabedoria consiste em identificar o momento certo da poda

E o quanto é possível cortar sem matar

E seguir o caminho …

Na esperança de novo broto, mais forte e mais bonito

Nos ciclos vitais da natureza que brotam dentro de nós

A primavera vem mais bonita para quem soube apreciar o inverno

Não somente tolerá-lo!

Alda M S Santos

Simplesmente, viaja…

SIMPLESMENTE, VIAJA…

Da janela, na janela, para o mundo

Simplesmente, viaja…

Ora em grandes navios no vasto oceano ou em barquinhos de pescadores

Ora em aviões bimotores, supersônicos ou teco-tecos

Simplesmente, viaja…

Ora em foguetes para o espaço sideral ou fugindo no calor do deserto

Ora caminha em florestas densas e fechadas ou deitada na relva sob o luar

Simplesmente, viaja…

Nas páginas de um livro, romance, poemas

Sozinha ou acompanhada, lutando ou desanimada, feliz ou nem tanto

Nas asas da imaginação, da memória

Nos capítulos felizes ou infelizes do passado

Ou nos capítulos sonhados para o futuro

Simplesmente, viaja…

Num mundo criado pelos outros, para os outros, ela se inclui

Sente-se parte, faz parte, mergulha

Vive, revive, imagina-se…

E cria, assim, sua própria viagem…

Simplesmente, vive…

Alda M S Santos

Espelho, espelho meu!

ESPELHO, ESPELHO MEU!

Espelho, espelho meu, onde estarei eu?

Ela pergunta de pé diante do espelho inflexível

Encara seus olhos marcados pelo tempo

Carregados de histórias bonitas, finitas e infinitas, outras tristes ou estacionadas

Espelho, espelho meu, onde estarei eu?

Que, a bem da verdade, nunca fui a mais bela do reino…

Os olhos críticos descem para o corpo ainda esbelto e firme

As mãos acompanham, derrapam numas curvas, noutras elevações

Espelho, espelho meu, onde estarei eu?

Procuram a esperança e disposição de outrora

Ainda carece de movimento, o prazer de dançar, de se entrosar, de amar

Dá um rodopio, joga os cabelos, suspira, sorri para o espelho

Espelho, espelho meu, onde estarei eu?

O espelho que não sabe mentir devolve o sorriso meio inseguro

“No lugar de sempre! Nem a mais linda, nem a mais inteligente, mas está aí…ainda há muito a ser feito”

Encarar a verdade de nosso espelho exige coragem!

Espelho, espelho meu, onde estarei eu?

Ela sabe, entende o recado, se veste, joga um beijo para ele e vai se encontrar…

Ela sabe! Está em tudo e todos que carrega com amor dentro de si…

Enquanto houver vida haverá reflexos nos espelhos da existência…

Alda M S Santos

Plantei cacau na Páscoa!

PLANTEI CACAU NA PÁSCOA!

“Plantar uma árvore, ter um filho, escrever um livro, viver um amor.”

Acho que estou no caminho das tarefas cumpridas…

Brincadeiras à parte, é maravilhoso ver brotar o que a gente plantou

Cultivou, adubou com amor, irrigou com carinho

Deixar morrer, secar, não cuidar, ver ir embora

É sensação de impotência!

Plantei uma árvore de cacau na Páscoa, coincidentemente

Que o amor prevaleça, que a renovação aconteça !

Alda M S Santos

Delicadezas

DELICADEZAS

Há coisas tão delicadas que fazem sorrir, que fazem chorar

Um pezinho tão fofo, tão pequenino, cheio de caminhos por vir, nos faz sorrir…

Um rosto idoso, vincado pelas rugas, mãos manchadas, cheias de vida, caminhos trilhados, nos faz chorar…

Um botão de rosa, molhado de orvalho, lado a lado com uma rosa aberta, outra seca, nos faz sorrir…

O sol que desce na serra lentamente, entardecendo, “morrendo” aos poucos, até nova aurora, nos faz chorar…

As estrelas que salpicam num manto negro de pura beleza, tão inacessíveis, tão mágicas, tão eternas, nos fazem sorrir…

Um sorriso que brilha nos olhos bondosos, maliciosos, que perfuma e ilumina tudo em volta, traz vida, produz saudade

Sei lá, faz sorrir, faz chorar…

Delicadezas fazem a vida valer não só a pena, mas o tinteiro todo…

Alda M S Santos

Estrelas

ESTRELAS

Deite-se sem medo!

Na relva fria no campo, na areia úmida da praia, na rede na varanda

Na laje de casa, na cobertura de um arranha-céu, num banco da praça

Sozinho ou acompanhado, não importa…

E olhe para o céu, para as estrelas, para a imensidão além de nós…desconhecida

Sempre pensamos nas pessoas que amamos e se foram, “viraram estrelinha”

Sempre procuramos uma estrela cadente para fazer um pedidos

A cada vez tudo é diferente, nova posição, mais ou menos brilho

Sensação intensa, louca de alçar voo, subir, subir…

Alcançar aquela maravilha toda, aquele brilho, aquelas vidas…

Será que elas também nos observam de lá, que também querem nos abraçar?

Quantas estrelas temos a brilhar do lado de lá?

Alda M S Santos

Foto: Everaldo Alvarenga

Tempestade se armando

TEMPESTADE SE ARMANDO

Nuvens escuras se atropelam no céu

Numa corrida frenética e assustadora

Pássaros se recolhem desarvorados

Mulheres correm a recolher roupas na cerca

Folhas parecem ter asas na forte ventania

Crianças brincam nos redemoinhos de poeira felizes

Beija-flores fazem uma refeição na flor que balança

Um pai chama o filho para dentro

Um boi muge ao longe, cães procuram abrigo

Macacos gritam na mata, uma seriema passa correndo

As árvores sabiamente dançam ao sabor do vento,

Sabem que não adianta resistir…

Relâmpagos riscam o céu, trovões gritam sua força

E a água cai forte e certa do que está fazendo…

Molha, lava e leva tudo numa beleza impressionante

A terra absorve o que dá conta e deixa ir o que sobra

Confia que tudo está em seus devidos lugares…

Quiséramos ter a sabedoria da natureza!

A tudo observo maravilhada, sinto-me parte

Levanto da rede, deixo o livro, e vou passar um café…

Aceitam?

Alda M S Santos

Refrigérios

REFRIGÉRIOS

Um banho de cachoeira para refrescar o corpo

Uma brisa de bons pensamentos e lembranças doces para limpar a mente

Uma chuva de boas ações para nutrir o coração

Uma tempestade de nós para nós mesmos

Para sintonizar no amor e alegrar a alma

Conosco e com os demais

E encontrar a paz…

Alda M S Santos

Nos braços do Juquinha

NOS BRAÇOS DO JUQUINHA

Onde ele viveu, como ele viveu

Cercado das serras de Minas

Na Serra do Cipó, grande atração eternizada numa estátua

Parada obrigatória para se maravilhar com a vista

Saborear um frango com quiabo ou tropeiro numa taberna

E estar nos braços do Juquinha

Aquele que, gentil, entregava flores às moças

Andarilho, amante da natureza, apegado às montanhas

Que, uma vez morto, voltou e viveu mais um pouco, cataléptico,

Maravilhosas estradas de Minas,

Onde hoje, José Patrício, o Juquinha, tornou-se lenda…

Alda M S Santos

Revoada

REVOADA

Eram alguns atrás da queda d’água, céu azul anil, mata fechada

Deitados nas pedras, víamos o bater de asas, ouvíamos o canto,

Reduzido pelo som da cachoeira

Foram chegando outros e outros, “grudando” na parede de pedra molhada

Parecia uma grande reunião ali

Asas fortes a enfrentar o peso da água e do vento

Num repente, começaram a voar em círculos, cantando

Rodeando a queda d’água, pela frente e por trás

Como se tivessem ensaiado o espetáculo

Um ritual sempre praticado

E eu a admirar tudo de dentro d’água, bem abaixo deles

Eram dezenas, talvez mais de uma centena

Criando um espetáculo coreográfico extasiante

A cachoeira Witu era o palco , a natureza, o cenário

Muitos coadjuvantes e, nós, quase fomos um.

Show terminado, saíram todos em maravilhosa revoada

Imaginamos o fechar das cortinas e os aplausos,

E nós ali arrebatados com tão grande leveza

Agraciados por tão estrondosa beleza…

Alda M S Santos

Harmonia

HARMONIA

Metade do que vemos encontra-se no ambiente, no outro

A outra metade encontra-se em nós mesmos

Quanto mais pudermos “oferecer” em troca nessa observação

Maior será a interação, a magia do olhar,

Quer seja em falta ou fartura…

As cores de fora pintam nossos espaços em branco

As gotas d’água irrigam cantinhos desidratados

A luz ilumina recantos escuros

A brisa refresca pensamentos, sentimentos

A ventania leva embora o que faz mal

O calor do sol nos abraça carinhosamente

Olhar o outro, o ambiente com a alma

É identificar nele aquilo que nos faz falta

Assim, cada um vê algo diferente

Em nós, no nosso entorno…

A natureza nos leva a sempre buscar essa harmonia

A harmonia da complementação…

E como é lindo!

Alda M S Santos

O belo de todo dia

O BELO DE TODO DIA

Encantada com tanta beleza

Fixo o olhar deslumbrada

Fico extasiada, embriagada pelo belo que se derrama

Deságua em mim em gotas salgadas

Num momento, observo moradores locais

Que têm perto de si toda essa riqueza

Ao alcance dos olhos…

E parecem sequer notar!

Quantas belezas temos pertinho de nós

E nosso olhar viciado não percebe mais?

O belo de todo dia não mais atrai nosso olhar?

O olhar deslumbrado do outro para o que temos

Pode, às vezes, nos acordar…

Alda M S Santos

A riqueza da simplicidade

A RIQUEZA DA SIMPLICIDADE

Uma casinha simples, uma terra fértil

Flores coloridas e perfumadas, gramado,

Árvores nativas ou pequeno pomar,

Uma gangorra na mangueira,

Uma porteira entreaberta e convidativa

A vista alcança longe…

Aromas de fogão a lenha e café recém-coado

Pássaros cantando, macacos gritando, galinhas cacarejando

Ora sol forte, ora chuva refrescante

Cai no telhado, cai lá fora, inebria

Sempre leva à nostalgia, à saudade de tempos idos

Espetáculo da natureza, sempre agradecida

Uma rede na varanda, um livro,

E eu…aprendendo a viver…

Alda M S Santos

Em prosa e verso

EM PROSA E VERSO

“São apenas palavras e palavras são tudo que eu tenho

Pra levar seu coração embora”- diz lindamente Bee Gees em Words

Palavras são a expressão dos poetas, apenas palavras

Com elas tentam traduzir a vida, belezas diversas

Ou coisas não tão belas assim, que captam por aí…

Natureza de todo tipo, sentimentos, sofrimentos, emoções

Esperanças, expectativas, dor, decepções, prazer, êxtase

Relatam ora a própria vida, ora a dos outros

Ora apenas uma fantasia, em prosa ou versos

Potencializados por suas próprias emoções…

São apenas palavras, são tudo que possuem

Além da sensibilidade aflorada

Que ao encontrar leitores sensíveis

Almas afins, capazes de ler a poesia contida num poema

Aquela que vai além das palavras, que está nas entrelinhas, no desafiador jogo de palavras,

Em prosa e verso,

São capazes de encantar, eternizar e transformar vidas…

Alda M S Santos

Em casa

EM CASA

Verdadeiro fascínio, admiração, encanto pelas árvores

Preciso delas para viver

E não me refiro a oxigênio ou alimentação

Tenho necessidade emocional

Posso ficar horas sob algumas

Apenas a observar os detalhes, o movimento

E não há nenhuma que não me desperte o desejo

De subir, escalar seus galhos e troncos

Se um dia eu me perder,

Física ou emocionalmente de mim mesma,

Que seja entre árvores frondosas,

De alguma forma estarei em casa…

Alda M S Santos

Ai que vontade louca!

AI QUE VONTADE LOUCA!

Ai que vontade louca de não sei bem o quê!

Quem sabe entrar num barco qualquer,

Lançar uma mochila dentro

Sentar e remar, remar, remar…

Bem devagar, deixando para trás o burburinho

Até ter somente água por todos os lados,

Parar, recolher remos, tirar a roupa, deitar e apreciar:

O céu de azul intenso, o sol queimando a pele

As nuvens apostando corrida entre si

Insetos barulhentos que não chegam a incomodar

Acompanhar o voo das gaivotas,

Ver os peixes nadando ao redor,

Avaliando os intrusos em seu espaço

Ouvir todos os barulhos do silêncio,

Conectar o silêncio barulhento dentro de mim

Encantar-me com toda a beleza do “nada”

Sentir o toque profundo, delicado, gostoso,

 Das quentes e úmidas mãos da natureza

E me extasiar…

Alda M S Santos

Foto Andreza Cristina Silva

O que me toca fundo

O QUE ME TOCA FUNDO

O que me toca mais fundo?

A sinfonia de pássaros numa árvore na janela

O desabrochar de um botão de rosa

O som suave no leito de um rio

A força torrencial das águas de uma cachoeira

O constante vai-e-vem das ondas do mar

Uma canção feita de versos singelos

Uma valsa dançada por um par em sincronia

O sorriso puro de uma criança

Uma mãe que amamenta seu filho

Um jovem de joelhos a rezar

O abraço de um casal apaixonado

A saudade nos olhos de um idoso que sofre abandonado pela vida

A bondade no coração de quem se doa?

Não sei…

São muitas as coisas tristes na vida,

Mas são tantas as coisas tocantes e lindas,

Que por elas vale um esforço para viver!

Alda M S Santos

#carinhologos

É preciso emagre(ser)!

É PRECISO EMAGRE(SER)!

A toda e qualquer criatura, masculina ou feminina,

Se for perguntado sobre o próprio corpo,

Maioria estará insatisfeita e certamente dirá:

Gostaria de emagrecer uns quilos,

Perder a barriga, uns culotes, ganhar músculos!

Os motivos são sempre estéticos: cuidar da aparência.

Pouquíssimos estarão preocupados com a saúde,

Ao contrário, fazem até procedimentos que a colocam em risco.

Num mundo em que uma boa “estampa”, uma boa imagem valem quase tudo,

É até compreensível que todos queiram cuidar do físico.

Estar bem com o próprio corpo, cuidar da autoestima,

É um modo de nos conectar melhor com nosso interior.

É preciso emagrecer, sim, se for nossa vontade, retirar os excessos do corpo pode fazer bem!

Mas é fundamental emagre(ser), retirar os excessos que engordam a alma,

Que nos impedem de nos amar e amar os outros.

Essa “gordura” é a mais difícil de perder.

Alda M S Santos

Ser ou estar atraente

SER OU ESTAR ATRAENTE

“Tenho 50 anos, porque tenho que estar sempre atraente” -pergunta Salma Hayek

Não temos, se não quisermos estar por nós mesmas, não para o outro.

 E não é por ter 50, 40, 30, 20 ou 80 anos…

Cada idade traz sua beleza, leveza, desejo de estar bem.

 E é a isso que devemos dar importância.

Cuidar de nós como um todo deve fazer parte em qualquer idade. 

O corpo é apenas uma parte desse todo.

Ele pode estar belo e malhado.

 A pele macia como pêssego.

O rosto liso, sem rugas…

Cabelos brilhantes e longos.

Mas,  e o brilho do olhar, a bondade do coração, a clareza mental, a paz na alma?

Estar atraente faz bem para a autoestima. 

Porém, se precisar estar atraente fisicamente para manter esses daí, que realmente são fundamentais, algo está ligeiramente distorcido.

Ser atraente envolve algo muito além do corpo! 

Alda M S Santos
http://cenapop.virgula.uol.com.br/2017/08/10/138423-aos-50-anos-salma-hayek-desabafa-ao-falar-sobre-boa-forma-por-que-tenho-que-estar-sempre-atraente/

Delicadeza

DELICADEZA

Aparência delicada, cores adoráveis

Pétalas macias, aroma inebriante, formas perfeitas e diversas.

Sensíveis ao toque, à voz, ao carinho, resposta imediata.

Sempre atraentes a toda criatura.

Resistentes a tempestades, a intempéries.

Parecem frágeis, mas enganam.

Como algumas pessoas…

Aparente delicadeza pode esconder força descomunal!

Recebem o que a natureza lhes oferece,

E retribuem em forma de beleza e encanto.

Alda M S Santos

Oásis

OÁSIS 

Para os caminhantes do deserto

A simples “alucinação” com o oásis

Mantém ativo o fio da vida, 

Até que se torne real! 

Alda M S Santos

Marcas impressas

MARCAS IMPRESSAS

Sempre vemos algo que dizemos: isso me lembra fulano…

Pode ser o jeito de sorrir, de jogar o cabelo

O modo de andar, de se vestir

A delicadeza das atitudes, o abraço, o beijo,

A voz, as palavras doces,

A fisionomia sisuda, o mau humor, a ansiedade.

A atenção, o carinho, a preocupação, 

A criatividade, a intensidade, as bochechas coradas

A animação ou desânimo, o jeito lento ou acelerado.

O modo de dançar, cantar ou encantar,

A fé, a coragem, a força de vontade, 

O perfume, o olhar, o batom rosa, a barba por fazer, aquela bebida…

Quais serão as marcas que deixamos impressas por aí?

Podem ser infinitas! 

Preferiríamos que fossem apenas as agradáveis!

Caminhemos com esse intuito!

Alda M S Santos

Tão longe, tão dentro!

TÃO LONGE, TÃO DENTRO!
É preciso olhar ao longe, bem distante,
Quanto mais infinito houver ao alcance de nossas vistas
Mais para dentro conseguiremos enxergar.
Quanto mais silêncio ouvirmos no horizonte
Mais entenderemos os barulhos que vêm de nós.
Quanto mais claro o espaço lá fora,
Mais nítido ficará aqui dentro.
A emoção vive dentro, mas precisa do espaço lá de fora.
Tão longe, tão perto! Tão fora, tão dentro!
Alda M S Santos

Melancolia

MELANCOLIA

Melancólicos ficamos quando percebemos que a vida, por vezes,

É muito cordão para pouca pérola…

Escolhe daqui, procura dali,

Muitas pérolas falsas, pouquíssimas verdadeiras.

Pérolas à venda, pérolas dos outros,

Fica difícil montar um colar.

Ainda assim, cuidemos de nosso cordão e das pérolas que possuímos.

Mesmo que demore, outras virão.

Sua raridade é que as faz tão valiosas…

Tão especiais!

Alda M S Santos

Poesia

POESIA

Dia Nacional da Poesia

Dia de todos nós…

Cada ser carrega em si a magia

O encanto, a beleza poética.

Em estado de dormência, de latência,

À espera dos “poetas” de plantão para despertá-la.

Uns a transformam em poemas.

Outros apenas vivem a poesia que encontram nos outros

Em forma de sorrisos, de carinhos, de abraços, de saudades,

De trabalho, de vida, de doces beijos e muito amor.

Desperte a poesia que há no outro,

Desperte a poesia que há em você!

Alda M S Santos

Nem tudo que reluz é ouro

NEM TUDO QUE RELUZ É OURO

Quando queremos valorizar algo falamos que reluz

Que brilha, que tem o tom certo, que ofusca os demais

Gostamos de brilho!

Porém, nem tudo que reluz é ouro. 

Há muito caco de vidro por aí se fazendo passar por diamante.

Devemos tomar cuidado, não nos entusiasmar demais. 

Muito entusiasmo pode botar tudo a perder

Cegar nossa percepção visual, emocional

Impedir de ver o brilho e valor interno

Há pedras preciosas foscas aos montes

E, quase sempre, são mais valiosas

Que os cacos de vidro por aí.

Estejamos atentos!

Alda M S Santos

Jardins

JARDINS

Não há quem não se encante com jardins

Quem não dê uma paradinha, tire uma foto

Faça um carinho ou aspire seu perfume.

Quanto mais cores, perfumes, formas, variedades

Raridade, espessura e textura das flores e folhas

Mais belo e encantador ele será.

Consequentemente, mais visitantes atrairá.

Para um observador casual tudo parece perfeito:

Um excelente jardineiro cuida e dedica seu tempo àquele jardim

Rosas viçosas, hortênsias carregadas, orquídeas singelas

Ervas daninhas e pragas controladas, húmus na medida certa

Borboletas, beija-flores e joaninhas vivem felizes ali.

Já um visitante mais sensível e detalhista notará diferenças.

Claramente perceberá as flores que recebem mais adubo,

Mais água, maior incidência de raios solares, terra mais fofa

Saberá quais as preferidas do jardineiro, com quais ele não se importa,

E quais ele prefere esconder…

Por não compreender, por não saber lidar bem com elas

Ou por saber que atrairiam atenção excessiva, ofuscando as demais,

Pondo em risco até seu próprio trabalho.

Um bom jardineiro cuida bem de todas as espécies de seu jardim

Estuda, dedica-se, faz com que floresçam e apareçam

Não irá deixar uma espécie rara relegada a segundo plano

Sabe que ela poderá se fortalecer e colocar em risco todo o jardim

Essa é a essência de todo jardim: ser belo e encantar com todas as suas espécies.

O jardineiro que entende isso e as ajuda será sempre querido e necessário.

Sabe que como não vive sem seu jardim,

Suas flores também não sobreviveriam longe dele.

Alda M S Santos

Liberdade

LIBERDADE

Busco a liberdade que almejo

Esse bem raro e precioso

Na simplicidade que me cerca

Deitar numa rede ou numa relva

Olhar para o céu e deixar-me levar

Soltar a mente, permiti-la voar junto àquele gavião

Viajar nos versos ternos de um poema

Ou na história triste de uma prosa.

Janelas do carro abertas, música invadindo tudo, vento nos cabelos

Pisar fundo e sentir que poderia voar pra bem longe, sem destino

Correr, dançar, soltar tudo que puder e quiser no papel

Embrenhar-me numa mata, respirar fundo, cheiro de mato

Cor de mato, sons do mato, encanto do mato…

Banhar-me lentamente num rio caudaloso, numa cachoeira, ou num chuveiro quentinho

Meus pensamentos e eu…

Encostar a cabeça nos joelhos, fechar os olhos e sonhar…

Nosso maior ato de liberdade permitido.

Que ninguém jamais poderá nos tirar…

Alda M S Santos

Viciados em beleza

VICIADOS EM BELEZA 

Nunca podemos nos envergonhar de nossa capacidade de nos encantar com o belo.

Ao contrário, tal habilidade de apreciação deve ser aprimorada.

Há tanto a observar! 

Nossa alma precisa dessas maravilhas para se manter leve e plena!

Pode estar na natureza: paisagens diversas, rios, mares, montanhas e vales, jardins, animais…

Nos fenômenos naturais: chuvas, sol, luar, tempestades, auroras boreais, por do sol…

Ou simplesmente nos seres humanos, que além da beleza física de cada um, nos encantam e impressionam com seus sentimentos complexos, intensos e contraditórios. 

“Não há nada de mau em ser viciado em beleza. A beleza é a letra de Deus.”(Jandy Nelson). 

Por isso, em momentos de tristeza, precisamos dessa “letra” de Deus a nos animar! 

Alda M S Santos

A beleza

A BELEZA

A beleza pode estar à nossa frente

Independe se estamos numa praia, montanha, no campo 

Ou numa avenida movimentada e poluída

Ela sobressai!

Mas só a observa,

Somente se encanta,

Quem está em sintonia com a natureza

Quem possui olhos e alma sensíveis para o belo.

Esses captam tudo e se encantam. 

Alda M S Santos

Belezas Escondidas 

BELEZAS ESCONDIDAS

Muitas vezes a beleza está “no escuro”.

Basta uma luz incidir sobre ela 

Para que apareça maravilhosa. 

Tanta gente precisando do flash do nosso olhar…

Da luz que vem do nosso carinho

Da luminosidade da nossa atenção

Do brilho do nosso amor. 

Poupar para quê? Doemos! 

Alda M S Santos

Ciclo vital

CICLO VITAL

Somos todos nós, por força de nossa vontade

Ou à nossa revelia, partes dessa grande floresta da existência.

Somos sementeiras, quando plantamos e distribuímos nossas alegrias.

Somos água quando irrigamos a terra árida com carinhos e sorrisos.

Somos Sol quando levamos o brilho e calor do nosso amor.

Somos adubo quando enriquecemos a terra com boas palavras.

Somos chuva quando penetramos a terra com a profundidade da nossa fé.

Somos brisa que acalma e sombra que refresca no calor de nossos abraços.

Somos todos, tudo isso, quando nos abrimos para dar e receber.

Essa é a beleza da floresta: a troca.

E ela não seria tão bela se tivesse somente eucaliptos, carvalhos ou aroeiras.

Manter a riqueza dessa vida depende de todos nós!

Plantar, cuidar, curtir, colher, num ciclo eterno….

Alda M S Santos

Poesia

POESIA

“Não gosto de poesia”, já ouvi pessoas afirmarem.

Como podem, me pergunto?

Não apreciar poemas posso até entender. Envolve compreensão linguística, interpretação textual, gosto literário.

Mas não gostar de poesia?

A poesia está ao nosso redor, na criação divina. Está na beleza e perfume das flores, no barulho do mar, na força de uma cachoeira, na natureza como um todo, nos animais, na vida.

Existem pessoas que são poesia! Exalam versos no sorriso, no andar, no jeito de ser, ainda que em silêncio!

Há poesia na confiança e espontaneidade de uma criança.

Há poesia no sorriso cansado, resignado, feliz de um idoso.

Há poesia num coração apaixonado, numa alma entregue.

Há poesia numa mãe que amamenta.

Há poesia num trabalho bem feito.

Há poesia numa alma caridosa e compadecida.

Há poesia em toda criatura que se dispõe a honrar seu Criador distribuindo amor por onde passa!

Para apreciar, ver, sentir ou ser poesia basta haver sensibilidade.

E isso, qualquer um pode ter.

Alda M S Santos

Belezas

BELEZAS 

Em meio a tamanha diversidade Deus nos presenteia com inúmeras belezas naturais. 

A natureza é rica delas. Além delas, há, também, belezas humanas de todo tipo a nos fascinar. 

Algumas chamam atenção por dotes físicos, umas pelo bom humor, outras pela bondade e simplicidade, outras ainda pela inteligência ou luz divina que refletem… 

Mas há aquelas que têm o dom de concentrar em si todas essas características, ou quase.

 Devemos amar e ajudar a todas, mas essas, nunca devemos deixá-las se afastar de nosso convívio… 

São bênçãos!

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: