ENTRELACES

Há muitos entrelaces de pernas

E poucos entrelaces de sonhos, de ideias

Não basta entrelaçar as pernas

Se o coração seguir solitário

Não basta entrelaçar os braços num abraço

Os corpos num encaixe perfeito

Se a alma não estiver junto, se ela não souber se alegrar com isso

Não basta o dar-se as mãos, os pés caminhando em paralelas

Se o caminhar das ideias seguir por caminhos diversos, controversos

Unam as mãos, as pernas, os braços, os corpos

Sintonizem os corações e as almas na mesma estação

E façam o melhor amor, o amor simples, quase perfeito

Aquele que atinge todas as esferas do nosso ser

E nos deixa em paz, sem agitos, sem sustos, medos, culpas ou atropelos

O mais natural possível, noutra dimensão…

Alda M S Santos