VIRTUDES E PECADOS

Numa vida de virtudes, há pecado que nos condenaria?

Numa vida de pecados, há virtude que nos salvaria?

Que há de tão bom em nós que neutralizaria qualquer mal?

Que poderia haver de tão ruim que anularia qualquer bem?

Que carregamos de tão leve, feito balãozinho no jardim, que teria peso positivo?

Que carregamos de tão pesado, feito esponja encharcada, que pesaria negativamente na balança?

Pudéssemos julgar a nós mesmos com os mesmos critérios que julgamos os outros

Nas mesmas leis, pelo mesmo peso e medida

Com direito às mesmas atenuantes e defesas

Sob o mesmo júri implacável

Qual seria nosso veredicto, inocentes ou culpados

Qual penalidade receberíamos?

Teríamos direito de recorrer?

Virtudes e pecados, pecados e virtudes

Qual humano está isento a ponto de ser capaz de julgar?

Alda M S Santos