PAREAR OU APEAR?

Nos caminhos retos ou sinuosos, bonitos ou feios

Floridos ou áridos, fáceis ou nem tanto

Melhor mesmo é ir aos pares, acompanhados

Não qualquer companhia, alguém que vá junto por prazer

Que monte na nossa garupa

Ou dos quais sejamos o garupa

Numa montaria à parte, lado a lado

Tanto faz…

Não vale é disparar na frente, sozinho

Ou ficar para trás, isolado

Salvo se for numa prazerosa brincadeira de pega-pega

Quem cavalga junto precisa ter objetivos e destinos similares e/ou complementares

Um “salvando” o outro nos momentos de fragilidade

É necessário parear… ou apear

Antes que ambos caiam, literalmente, do cavalo…

Alda M S Santos