ORA, ORA…

Ora dor, ora prazer, ora tristeza, ora alegria

Ora tudo isso junto de mãos postas a orar…

Ora sussurro que acalma, ora grito que enerva, ora silêncio que enlouquece

De joelhos, ora que melhora…

Ora sorriso que encanta, ora canção que inebria, lembranças saudosas a toda hora

Que ora alegram, ora machucam, ora se desfazem em nuvens tempestuosas

Ora com fé que passam suavemente todos os amarrotados da alma…

Ora confia e põe-se a orar, independente da hora

Ora por gratidão, por arrependimento, por perdão, por sonhos e desejos a realizar

Mas não fica estagnado, ora e não para

Até mesmo um milagre precisa de algo mais que uma alma amarrotada que se prostra e ora

Precisa de mãos e mentes que ajam a toda hora…

Alda M S Santos