POETAS

Um ser “normal” sente a chuva

Aspira o perfume de uma rosa, 

Admira a beleza de uma pessoa,

Balança-se com os galhos de uma árvore, 

Ouve a melodiosa música de um pássaro

Delicia-se com um carinho,

Beija como um sedento beija-flor, 

Cantarola uma canção,

Sonha com um mundo mais justo.

O poeta percebe tudo isso com sentidos mais aguçados.

Ele se “transforma” na chuva, na rosa

Na pessoa bela, na árvore, no beija-flor

Aquece-se com o carinho, sente a canção

Vive num mundo colorido e de emoções fortes

Em cada magia que sente vê poesia

E a transforma em letras

A traduz em palavras, em versos…

E a vive, para muitos, de modo insano, anormal,

Mas o poeta não sabe ser de outro modo…

Alda M S Santos