NAVE-MÃE

Quando tudo que se nota ou percebe

É a sensação de não pertencimento

De não fazer parte dessa nau

De estar além de algumas coisas

Aquém de tantas outras

De não ser compreendida em muitas emoções

Não compreender infindas outras

Não corresponder a tanta “normalidade”

Resta esperar que a qualquer momento

Uma luz se abra em cone sobre si

E perceba na chegada da “nave-mãe”

Que uma abdução se realizará

E tudo ficará, enfim, em seus devidos lugares! 

Alda M S Santos