SAUDADE DOLORIDA

Saudade dolorida, tão redundante!

Acaso existe saudade que não doa?

Há saudade energizante, saudade paralisante,

Saudade que tem pretensões de alegrar,

Suspiros, nostalgias, lágrimas…

Saudade do que não houve,

Tantas vezes nítida, outras nebulosa…

Mas saudade que não cause dores, não há!

Remetem a algo que não mais temos…

A algo que gostaríamos de resgatar.

A pior delas é a saudade de nós mesmos,

Aqueles que fomos outrora e não mais somos,

Não mais nos identificamos em nosso modo de ser,

De fazer, de agir, de querer, de se querer…

Olho em meus olhos, exploro-os, busco-me,

Saudades de mim…

Alda M S Santos