CONVITES

A vida nos manda vários convites

E tantas vezes declinamos sem sequer abrir o envelope.

É porque muitos convites vêm disfarçados de cobranças

De contas a pagar, de ônus antigos, de previsões ruins.

Nossos olhos viciados enxergam apenas o lado negativo

Não se habituaram a ver além do feio envelope.

Quantas coisas boas já ocorreram naquele ônibus lotado

Que insistimos em reclamar e dele fugir?

Quantas delícias não já aconteceram em dias chuvosos

E nublados que “amaldiçoamos”?

Quantas vezes aquela tempestade não trouxe em suas águas

Aquele tesouro sujo de barro que mudou nossa trajetória?

Quantas vezes aquela pessoa briguenta que “odiávamos”

Nos trouxe a maior de nossas alegrias?

Quantas vezes o feio não acabou se tornando

O mais lindo e maravilhoso espetáculo de nossas vidas?

Vamos acordar, abrir os envelopes da vida,

E parar de jogar no time adversário.

Alda M S Santos