POR AMOR

Morreu por amor… Deu a vida por amor.

Qualquer outro ato por amor pode parecer insignificante perante esse.

Claro, ele veio do Mestre do Amor, ninguém se igualaria, mesmo tendo sido feito à Sua imagem e semelhança.

Mas o que realmente somos capazes de fazer por amor? Sinceramente!

Pelos nossos filhos, pais e até por alguns familiares ou amigos é fácil imaginar.

Poderíamos até chegar ao ponto de dar nossas vidas.

Mas, simplificadamente, no nosso dia-a-dia, o que temos feito por amor?

Tolerância? É um ato de amor! Ah, mas nem sempre conseguimos!

Respeito aos diferentes? Tentamos! Mas eles são tão estranhos!

Atenção? Conversamos com muita gente! Mas algumas pessoas, as que mais precisam, nos metem medo!

Delicadezas? Um simples “bom dia”, ceder o lugar no transporte, aguardar um idoso no caixa eletrônico, pacientemente, dar a preferência no trânsito… Mas temos tanta pressa!

Um sorriso ou um abraço? Sim, bem, seletivamente. Afinal, não é todo mundo que é de confiança!

Disponibilidade? Temos! Para alguns, é claro. Não podemos resolver tudo.

Na maioria das vezes nos calamos ou nos omitimos em situações tão simples e corriqueiras.

São situações simples de amor! E nos fechamos em nosso silêncio e (des)conforto interno.

Quando indagados, respondemos convictos: “Por amor? Ah, por amor sou capaz de tudo!”

Enquanto aguardamos o momento de fazer “tudo” por amor, as oportunidades se esvaem pertinho de nós, todos os momentos…

Vamos lá! Por amor!

Alda M S Santos

Carinhólogos Solidários de BH 

http://www.carinhologos.com

 carinhologos@gmail.com