SOBRE O AMOR

O amor é o sentimento mais complexo que existe. 

Tanto que muitos não escolheriam vivê-lo, se pudessem.

Ele carrega consigo a carga da perfeição. E isso é muito difícil de lidar. 

Além do mais, há vários tipos, intensidades, além da necessidade de aliados para se manter. 

Outros são bem mais fáceis. 

Ódio é ódio e pronto! Feio, mas “puro”! Sem misturas. Não há tipos de ódio. Apenas um, e mortal. 

Amizade é amizade, linda, leve, plural, recíproca, verdadeira. Não exige nada. Quanto mais, melhor.

O amor tem vários tipos e é exigente. 

Há amor declarado, possessivo, amor secreto, amor platônico, amor duplo, egoísta. 

Pode ficar letárgico uma vida inteira, esperando um sopro de vida para acordar. Pode ser assassinado pelo descuido.

Amor exige reciprocidade, exige fidelidade, exige beleza, sensualidade, confiança, respeito, presença constante.  

Amizade pode ser muitas ao mesmo tempo, o amigo pode ser feio, rabugento, desde que te faça sorrir, fica lindo.

O amor exige atenção direta, que desperte paz de espírito e solte borboletas no estômago.

Exige que tenhamos gostos parecidos, romantismo, que caminhemos pro mesmo lado, que coloquemos o outro como prioridade e que nossos olhos tenham apreciação única.

Confunde a mente, aperta o coração, deixa a alma vazia, se não correspondido.

Tão imperfeito, porque vive dentro de seres imperfeitos!

Enquanto quisermos sua perfeição, sofreremos.

Essa é nossa falha! 

Apesar disso, é lindo e poderoso. 

Frágil e delicado como uma borboleta, insistente e barulhento como um grilo, forte e feroz como um leão. 

Pode estar à mão ou distante do nosso toque.

Uma vez sentido, nunca mais iremos querer dele abrir mão.

Uma vida sem amor é uma vida sem cor e sem brilho. 

Alda M S Santos