HOJE, NÃO!

Quando abro meu guarda-roupas todas as manhãs, escolho o que usar:

Um vestido estampado, uma sandália confortável, roupas íntimas, maquiagem, perfumes, cabelos esvoaçantes, acessórios diversos… 

Outras vezes, posso escolher cores mais escuras, sem acessórios, rosto lavado, cabelos presos…

Tudo vai depender do meu estado de espírito.

Posso, simplesmente, olhar para aquele vestido alegre e dizer: hoje, não! 

Quisera fazer isso também com os sentimentos!

Abrir a porta de minhas emoções todas as manhãs e dizer:

Fiquem aí fechadas nesse porta-sentimentos: tristeza, melancolia, saudade, sensualidade, raiva, frustração.

Hoje, não!

E abrir a caixinha da alegria, solidariedade, compreensão, paciência, amor.

Podem chegar!

Todos eles fazem parte de nós. Estão guardados lá dentro. Não temos como excluí-los, mandá-los embora. 

Alguns saem sem autorização e tentam confundir tudo. Não respeitam sua vez.

Como não são muito obedientes, o jeito é aprendermos, do modo que conseguirmos, a lidar com eles.

A experiência é nossa aliada nesse processo.

Muitas vezes os sentimentos que não queremos ficarão apenas nos tangenciando, sem grandes interferências. 

E os que mais usarmos se tornarão quase que nosso uniforme emocional! 

Assim como não saímos de casa nus, também não ficamos nus emocionalmente.

Certo é que sempre estaremos carregados deles, e são eles que passaremos para os outros, querendo ou não.

Hoje, sim! Hoje, não! Nós fazemos a opção.

Alda M S Santos