CORAÇÃO PARADOXAL 

Coração é sempre paradoxal

Sempre tão grande, tão repleto

Mas capaz de sentir-se tão apertadinho

E com espaço para recrutar ainda mais moradores

Quase sempre forte, a enfrentar batalhas pungentes

Mas sensível, frágil, emotivo

Tão cercado de gente, de emoções, 

Mas por um pode sentir-se 

abandonado num planeta vazio 

Tão iluminado, alegre, brilhante, seguro

Mas pode ser esmagado pela escuridão de alguns medos

Pode parecer irreal, irracional, duvidoso, invisível

Mas é real como a eletricidade ou a brisa suave

Que podem apenas ser sentidas.

Nessa vida de emoções enviesadas

Paradoxalmente, o coração sobrevive.

Alda M S Santos