PERCEPÇÕES

Há olhos muito sensíveis, tudo percebem

Veem o olhar pidão e leal de um cachorrinho

A dimensão do amor de uma mãe que amamenta

A pureza de um abraço infantil

A chuva atrás de uma brisa úmida

A tempestade que se arma com o calor

A magia na dimensão e beleza das ondas do mar

A tristeza atrás de um sorriso que não se reflete nos olhos

As palavras escondidas a gritar no silêncio

A vontade que move um ser que aparentemente nada tem

A dor e a fé daquele que ora e pede de joelhos

O amor que sobrevive num mundo de sorrisos e lágrimas

A paz de uma parceria em fim de tarde ao por do sol

Olhos que percebem tudo

São os olhos treinados pela alma.

Alda M S Santos