SOMOS INSUBSTITUÍVEIS!

Ninguém é insubstituível, sempre ouvimos. Dizem isso com o intuito de nos fazer despreocupar com determinadas tarefas, ocupações ou pessoas.

Mas eu acredito que somos insubstituíveis. Sem presunção!

Não falo apenas dos grandes nomes, grandes personalidades, gênios e tal. 

A marca desses é eterna. Atravessam gerações e gerações.

Porém, cada um de nós é um ser único e, por mais rotineira que seja nossa ocupação, nela deixamos nossa marca. 

Outros podem ocupar o lugar físico deixado por nós, mas o modo único com que a realizamos não haverá substitutos.

Podemos também ocupar lugar num coração por um tempo, irmos embora e outro chegar. 

Porém, não é o nosso lugar que o outro ocupará. Ele terá novo espaço. Nosso lugar sempre será nosso. 

Quanto mais coração, quanto mais emoção, quanto mais de nós colocarmos naquilo que realizamos, mais profundas serão as marcas e o espaço que ocuparemos.

Se fosse possível scanear nossas emoções com tudo que vivenciamos, teríamos uma imagem espetacular: pais, irmãos, amigos, colegas, desafetos, amores… 

Como um HD de capacidade ilimitada.

Se plugassem em nós um cabo e transmitissem numa tela, veríamos que tudo está lá: alegrias, tristezas, saudades, raivas, amor, decepções, frustrações, sonhos, companheirismo e seus respectivos autores. 

Quem passou por nós está registrado ali.

Por onde passamos, também deixamos nossa marca impressa.

A lei da física é implacável: dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço. Não se sobrepoem.

Mas nada diz que um apaga ou elimina o outro. Podem até se comprimir, apagar não.

Gravação ilimitada e infinita.

Muitos querem excluir algumas marcas. Tentar apagá-las é um modo de acessá-las e torná-las mais fortes. 

Quanto “pesa” nosso HD emocional?

O quanto de espaço ocupamos nos HDs alheios?

Se realizarmos uma busca com nosso nome, quantos links aparecerão no “google” da vida? 

Somos insubstituíveis! 

Façamos com que nossa marca seja bonita e prazerosa! 

Alda M S Santos