TRANSBORDANDO 

Quando não cabe dentro, enche
Quando está cheio, transborda

Seja o que for; bom ou ruim
Sai nos olhares, nos sorrisos
Nas lágrimas, nas expressões corporais
Nas palavras ditas ou escritas
Em telas, papéis ou muros…
E invade o mundo alheio.
Cada um percebe e se apodera do que quer
Do que precisa,
Do que melhor lhe aprouver.
E recomeça o ciclo…
Assim vamos enchendo o mundo de poesia…
Alda M S Santos