DEFICIÊNCIAS

Ah, se todas as deficiências fossem tão aparentes!

Muitos de nós não sairíamos de casa.

Braços, pernas, mãos…

Esses todos vemos, sabemos lidar com eles, aceitar, ajudar… 

Quantas “deficiências” se escondem atrás de um sorriso bonito,

De um “bom dia” simpático,

De palavras animadoras, 

De um corpo atraente…

Psicopatias, patologias controláveis, outras não, compulsões, obsessões… 

Falhas graves de caráter,

Aquelas que, muitas vezes, depois de um ato inesperado dizemos:

“Fulano? Nossa, quem diria! Não esperava!”

Antes de apontarmos falhas em qualquer um, olhemos para dentro de nós mesmos,

Encontremos nossas próprias deficiências, 

Ou daqueles tão próximos de nós e que pensamos saber tudo! 

Alda M S Santos