RELÓGIO PARA QUÊ?

Não há relógios, nem marcadores oficiais de tempo

Aqui, ele passa tranquilamente, sem pressa, sem cobranças

O sol se põe devagarzinho

Sabendo que oferece um espetáculo a todos, sem distinção

Não há necessidade de relógios, a escuridão cairá morosa, mas total

Os pássaros cantam chamando os filhotes “para dentro”, hora de dormir…

Bichinhos noturnos espreguiçam para começar a vigília

O cheiro do ar muda 

A brisa é diferente…

Vênus de um lado, a Lua do outro

Daqui a pouco, o céu salpicará de estrelas na imensa escuridão. 

Perco-me maravilhada em tão esplêndida simplicidade e beleza. 

Relógio para quê? 

Alda M S Santos