PAPAI NOEL EXISTE?  

Ouvi uma discussão calorosa e acirrada sobre a fantasia das crianças em Papai Noel. 

Um lado afirmava que criança merece acreditar, que é prazeroso, fase única. 

O outro dizia que é comércio, que os pais trabalham para outros levarem o crédito, que é mentir e tal.

E a discussão seguia…

Pensei nos meus filhos, na alegria que ficavam fazendo cartinhas, aguardando o Papai Noel nas noites de Natal. Fantasia pura! 

Lembrei dos meus alunos que falavam que Papai Noel não podia dar tudo que a gente queria, “porque tem muitas crianças né, professora?”

Recordei de mim mesma contando os dias para o Natal, colocando o sapato debaixo da cama para Papai Noel trazer qualquer presente que eu amasse. 

Até hoje, pra mim, cheiro de brinquedo plástico lembra Natal. 

Por tudo isso, penso que é valioso manter a fantasia infantil. Elas terão a vida inteira para se ocupar da realidade, nem sempre doce, quase sempre dura. 

Além do mais, a fantasia é essencial ao desenvolvimento infantil. Possibilita maior confiança e cria bases mentais para enfrentar o mundo real. 

Condições financeiras precárias não são justificativa para tirar essa alegria da infância. Pelo preço de uma caixa de cerveja compra-se um brinquedo. 

Não temos o direito de tirar as levezas desse mundo, do mundo infantil.

E, o mais importante nisso tudo, é aliada à crença no Papai Noel, a criança saber que Natal é nascimento de Jesus, que os presentes representam apenas parte de uma vida de amor e carinho que Ele quer para nós. 

Papai Noel existe, sim!Enquanto houver uma criança a sorrir feliz ao pensar nele. 

Feliz Natal! O Menino Jesus vai nascer!

Alda M S Santos