48 HORAS

Das 48 horas que certos dias parecem conter

Muitas delas passamos em transe

São aqueles dias cujas emoções são tantas

Que superariam nossas forças, 

Abalariam nossa estrutura

Não fossem a presença amiga

A mão que se estende

O abraço que consola

O sorriso que compreende…

Talvez a gente nem perceba

Mas ao final dele, ao encostar a cabeça no travesseiro. 

A mente diz “ufa”, o corpo pesa, a alma, mesmo agradecida, muito contida, chora,

E dormem…

Mais confiantes ainda num poder Superior que a tudo acompanha 

Flores, bichos, principalmente a nós, seres humanos tão falhos. 

Que outros dias possam vir!

Com 12, 24, 36 ou 48 horas…

E não estaremos sós! 

Alda M S Santos