PERSPECTIVAS

Tão importante quanto enxergar é a perspectiva que se tem do que é visto. 

Tudo que olharmos com um pouquinho mais de atenção, poderá nos dar diferentes perspectivas.

Um simples cacho de uvas, por exemplo. O primeiro de nosso “grande” parreiral. 

Vários poderão ser os olhares: “que lindo, como a natureza é perfeita”, “não fizemos nada e ela cresceu tanto”, “precisamos fazer um estaleiro”, “vai ocupar espaço demais”, “prefiro as roxinhas”, “nossa, isso vai dar muito trabalho”, “poderemos fazer vinhos deliciosos”, e por aí vai…

Em tudo na vida é assim. Sempre haverá olhares diferentes. 

Haverá olhares de espectadores, de admiração, de reclamação, de expectativas… 

Haverá quem queira curtir o momento, quem lamentará o passado, quem ignorará o que se apresenta, quem irá vislumbrar oportunidades para o futuro. 

Agimos assim diante das oportunidades que a vida nos apresenta. 

Quantas vezes só lamentamos o trânsito ruim, vemos problemas nos colegas de trabalho, reclamamos da quietude ou agitação de nossos filhos, nos rebelamos contra uma doença, brigamos com um parceiro ciumento ou insensível, xingamos uma pia cheia ou banheiro sujos, choramos um amigo ou amor distantes…

E brigamos…choramos, ficamos inertes, deixamos de caminhar…

Que tal tentarmos olhar com outra perspectiva, sob outra ótica? 

Está certo, não é fácil! Mas é preciso se quisermos crescer, aprender, evoluir. 

Tudo, tudo tem um ângulo melhor, uma posição em que parece mais leve, mais belo, menos doloroso, mais proveitoso. 

Precisamos apenas nos abrir para a vida… 

Que tal? 

Alda M S Santos