QUEM AMA, CUIDA!

Quem ama, cuida! Parece redundante, óbvio. Amar e cuidar estão interligados, mas nem sempre é de fácil entendimento ou aceitação.

Quem ama quer o bem do outro, acima de seu próprio bem. Ver, sequer imaginar o sofrimento do ser amado, é inadmissível. Os olhos do amor são perspicazes e veem longe. 

Por isso, quem ama costuma ser meio superprotetor. Acalentar, afastar dos riscos, dos perigos seu bem mais precioso é sua rotina. Mesmo que isso implique em fazer algo que o outro não entenda como proteção, que considere invasivo, se chateie ou até brigue devido a tais atitudes. 

Nada há que cause mais dor a quem ama que ser a causa do sofrimento do outro, mesmo que involuntária. Contra isso, luta com todas as suas forças. Se preciso, protege e ampara de longe, mesmo que sofra com a ausência. 

Quem ama vibra com sorrisos, alegrias e dádivas de seu amado, como suas, mas se as lágrimas existirem, se enternecem, choram junto e fazem questão de secá-las.

Viver o amor é saber que seu coração bate noutro corpo também, e que há outro batendo no seu. 

Portanto, tudo que ele sentir, de bom ou ruim, será duplamente sentido por si mesmo.

 Viver o amor é não querer outra vida! 

Alda M S Santos