ENTRE ISSO E AQUILO

Fomos concebidos de uma escolha, nascemos de uma escolha, vivemos sob o jugo de nossas escolhas. 

O tão falado livre-arbítrio, decisões de nossas mentes, nossos corações, com implicações diretas em nossas almas. E, muitas vezes, nas vidas de todos que nos cercam. 

Trabalhar ou descansar, estudar ou divertir, casar ou ficar solteiro…

Todo o tempo fazemos escolhas, até mesmo sem perceber. Umas mais leves, outras mais duras, sérias, pesadas, dolorosas. 

E o peso delas será sentido. Sempre.

Quantas vezes queremos, ansiamos, pedimos pra voltar atrás, ter nova chance, nova oportunidade? 

Essa é uma escolha que não temos. Além dela, só a derradeira.

A vida caminha sempre pra frente. Independente do que deixamos para trás. 

Onde temos poder é no hoje, nas decisões do hoje, nas escolhas do agora. Mesmo que a gente não escolha, escolhemos por inércia. Deixando o barco rolar. 

Fácil? Não! Cecília Meireles já dizia há muito tempo no seu “Ou Isto ou Aquilo”: “Quem sobe nos ares não fica no chão, quem fica no chão não sobe nos ares. É uma grande pena que não se possa estar ao mesmo tempo nos dois lugares!”

E, fazendo escolhas, entre erros e acertos, sorrisos e lágrimas, confiando no Pai, vamos seguindo por esse caminho que construímos passo a passo, pedra a pedra, flor a flor…

Até sermos chamados de volta para casa.

Alda M S Santos