APENAS A METADE

50 anos! Puxa vida! 

Parece muito tempo. É muito! 

Mas não sinto o peso deles. Ontem, eu tinha 10, queria logo ter 20. Pisquei algumas vezes e passaram-se cinco décadas. Não deixa de ser um marco importante. 

Momento de retrospectiva? Autoavaliações? Talvez. 

Penso que deve ser um momento de levezas. Não há mais tantas dúvidas, tantos questionamentos. Período em que quase sempre já nos conhecemos, nos aceitamos, não nos cobramos tanto, nem aos outros. 

Família criada, amores meus, amigos queridos, trabalho, bem, esse é uma história à parte. 

Nesse momento em que comemoro meus 50 anos de história, coincidentemente, também encerro minha carreira no magistério. 

Vários já me perguntaram qual a sensação. Dever cumprido? Sim. Mas um sentimento de perda. Uma dorzinha no coração sinaliza grandes momentos de saudade. Sei que serei muitas vezes acometida por ela. 

Agradeço muito ter tido a bênção de trabalhar com o que amo, meus pequenos, meus amores.

Dessa bênção muitos fizeram parte. 25 anos com a maioria deles, outros menos tempo, mas não menos importantes. 

Vários não estão mais comigo, lamentavelmente.

Todos deixarão marcas eternas em mim, diferentes e especiais.

Quanto à família, é meu tudo, meus grandes amores, bênçãos! 

Encerro uma etapa. Mas uma nova se inicia. Parece um pouco assustador. Mas logo estarei adaptada à difícil tarefa de aposentada. 

Já que todos estiveram até aqui, não seria de bom tom me abandonar. 

 Não nos encontraremos na escola, mas no cinema, teatros, barzinhos, nas praias, sítios, balneários, resorts, por aí..

Conto com todos, sempre! Afinal, cheguei apenas à metade da minha vida. 

Minha gratidão eterna por fazerem parte de mim! 

Vamos ser felizes? 

Alda M S Santos