Busca

Louca-molhada

LOUCA-MOLHADA

Quero poder caminhar na chuva, me encharcar

Trocar fluidos com ela

Me embriagar, entorpecê-la

Louca?

Louca-varrida, louca-molhada, louca-feliz ou infeliz

Louca-menina, louca-mulher, louca de alma infantil

Simplesmente, louca!

Quero correr debaixo do temporal

Chutar água, abrir os braços, cantar, sorrir, chorar

Afastar todo o mal

Pedir e oferecer o perdão, a gratidão

Que a água leve, que a água traga

A vida que nasce e renasce em cada gota

Quero me inundar

Sem guarda-chuvas, sem proteção

Protegida pela emoção de viver

E de sonhar

E quem sabe num ponto qualquer te encontrar?

Alda M S Santos

Até a vida anoitecer…

ATÉ A VIDA ANOITECER…

Há quem nos sugue

O vigor, a energia, a força

Há quem nos abasteça

De coragem, esperança e fé

Há quem nos dê, há quem nos tire

Há quem nos leve de nós mesmos

Há quem nos ajude a nos encontrar

Há quem fique, há quem se vá

Mas o que quer que façam conosco

Só o fazem com nosso aval

Assim dizem os sábios mais evoluídos

Que se mantêm intactos dentro de si mesmos

Meros mortais seguem a sugar e a abastecer

A serem sugados e abastecidos

Até a vida anoitecer…

Alda M S Santos

Degustação

DEGUSTAÇÃO

Numa analogia com um grande restaurante

A vida teria uma quantidade diversa de clientes

Glutões, famintos, anoréxicos, bulímicos

Aqueles que comem de tudo sem critério ou medida

Os que não ingerem quase nada por medo de peso extra

Os que engolem de tudo desenfreadamente e logo vomitam, descartam

Aqueles cujo organismo não dá conta de processar muito bem o alimento

Os que querem apenas variedade, sem qualidade

Os que ficam pegando rebarbas dos pratos alheios

Os que preferem somente a degustação, não pagam o preço do “prato”

Passam fome…

E aqueles sábios e experientes que sabem o que querem

Buscam exatamente o que precisam para se alimentar

Não se encantam mais só pela apresentação ou aroma do prato

Buscam prazer e valor nutritivo num prato que seja seu

Que tenham plantado ou pescado

Querem alimento para o corpo e para a alma

Estão sempre bem alimentados

Sabem que degustação por degustação não traz satisfação…

Alda M S Santos

Nossa bagunça

NOSSA BAGUNÇA

Uma ampla sala arejada com poltronas aconchegantes

Um quarto quentinho, macio e acolhedor

Uma cozinha receptiva, com aroma de café e pão de queijo

Uma rede na varanda com uma vista da Serra

Um quintal com flores, frutos e balanço na goiabeira

Um gramado para brincar, dançar, se exercitar

Um sótão para guardar as bagunças e ferramentas…

Cada qual tem seu sonho de casa, de moradia

Mas para um lar todos têm o mesmo desejo

Que seja amoroso, pacífico, harmonioso

E isso independe da casa em que se mora

Depende muito de com quem se mora

E da sabedoria em manter organizados nossos ambientes internos

Nossa “casa” não é sempre um amplo espaço arejado

Mas também não pode ser toda ela um sótão bagunçado

Um lar “arrumado”, ou não, está diretamente ligado

Ao modo como cada pessoa presente ali

Lida com a bagunça que traz dentro de si

E com a bagunça que o outro traz consigo

Alda M S Santos

Sexo forte versus sexo frágil

SEXO FORTE VERSUS SEXO FRÁGIL

Mudam os modos de se conhecer

Mudam os modos de se relacionar

Tudo “evolui”, sofre “avanços”

Mas não muda a covardia de muitos membros do “sexo forte”

Sobre tantos membros do “sexo frágil”

Não importa o motivo, a causa

A desculpa esfarrapada que se use

A mulher acaba sendo sempre a subjugada, sobrepujada

A que sofre as agressões físicas ou psicológicas

A que acaba por ser ainda culpabilizada!

Carência, descuido, ingenuidade, personalidade

Confiança, independência, coragem ou pouca inteligência

Nunca podem ser apontados como detonadores do mal sofrido

A culpa do mal é do malvado, do covarde, do violento

Nunca da vítima!

Buscar na vítima as razões da violência

É transferir para ela um ônus que não lhe cabe

Um crime que só pertence à má índole e perversidade do réu!

Façam- nos o favor!

Alda M S Santos

Algoz

ALGOZ

Não existe maior algoz que a própria consciência

Quase tão grande quanto o maior amor: o divino

Se ela funciona bem a luz de alerta se acende

Aprendizados acontecem, erros passam, a vida evolui

Se ela falha o maior amor entra em ação, poderoso

E permite novas oportunidades para recuperação

Se parecermos estacionados nos mesmos erros

As mesmas falhas repetindo -se infinitas vezes

É Deus agindo

A lição não foi aprendida

Se a consciência doer, ouça

Se tudo parecer se repetir, aproveite

O Maior e Melhor Professor está sempre a nos ensinar

Incansavelmente…

Alda M S Santos

Nas batalhas

NAS BATALHAS

Batalha pelo pão que alimenta o corpo

Batalha pelas águas claras que hidratam o ser

Batalha pelo chão firme sob os pés

Batalha pelo céu azul que possibilita voos livres

Batalha pelo abraço gostoso que une os seres afins

Batalha pelos bons relacionamentos que enriquecem o viver

Batalha pelo amor recíproco que alimenta a alma

Batalha para sentir-se membro dessa nau

Batalha para ter onde repousar corpo, mente e coração

E viver um sonho real

De amor e compaixão…

Nas constantes batalhas para nos firmar como gente

Devemos nos cuidar para não perdermos nossa humanidade

Nas batalhas da vida precisamos, às vezes, nos render

Pedir uma trégua, talvez até nos sentir meio presos

Para poder sermos verdadeiramente livres e vitoriosos

E seguir em paz quando chegar o momento de voltar para casa

Alda M S Santos

Te carreguei no colo

TE CARREGUEI NO COLO

Criados para suportar toda adversidade

Nosso corpo é flexível

Nossa mente é adaptável

Nossa alma é renovável

Nosso coração é elástico, capacidade ilimitada

Muitas vezes desconhecemos esse fato

Constantemente colocados à prova

Numa análise preliminar

Pensamos tombar facilmente

Numa avaliação mais minuciosa

Em retrospectiva, descobrimos nossa força

A força que vem do Criador

Que olha por nós e nos ampara todo o tempo

Que nunca nos abandona, mesmo quando estamos muito pesados

Pelas dores e adversidades do viver

“Nos momentos mais difíceis de sua vida

Eu te carreguei no colo”…

Alda M S Santos

Se quebrar…

SE QUEBRAR…

E se quebrar?

Se quebrar, pode até se lamentar

Mas logo pegue, cole, conserte, refaça

Jogue fora o que puder ferir

Substitua o que não servir mais

Recupere o que é essencial

Retire devagar e com carinho o que estiver inteiro

A essência sempre permanece intacta

O dano pode estar apenas na superfície, no invólucro

O conteúdo profundo é blindado pelo amor

Não importa o tempo de existência

Mesmo que pareça quebrado

O que é profundo e verdadeiro atravessa décadas

E permanece guardado misturado às areias do tempo

Protegido nas perfumadas gavetas secretas de nossa alma

Registrado tal qual marca de ferro quente na pele

Quebrou? E daí?

Aproveite a oportunidade para renovar o viver…

Alda M S Santos

Deixe virar poesia

DEIXE VIRAR POESIA

Aquilo que te leva ao êxtase

Que provoca risos sem fim

Deixe virar poesia

Aquilo que te machuca, corta

Que causa dores e cicatrizes

Deixe virar poesia

Aquilo que você agora desconhece

Que te magoa, enrijece

Deixe virar poesia

Aquilo que te sensibiliza, emociona

Que aperta o coração, e que você tanto ama

Deixe virar poesia

Aquilo que te amedronta, aterroriza

Causa pesadelos que nem a luz ameniza

Deixe virar poesia

Aquilo que é real, imaginário

Que é fugaz ou que virou saudade

Deixe virar poesia

Aquilo que é beleza, na simplicidade ou na sofisticação

Que traz sabor e aroma ao cotidiano

Deixe virar poesia

Tudo aquilo que é vida, que não se desperdiça ou economiza

Se eterniza

Deixe virar poesia…

Alda M S Santos

O POEMA QUE DEU NOME AO LIVRO

Respondendo a quem quis saber o porquê do título, esse é o poema que deu nome ao livro…

QUANDO NÃO ESTOU EM MIM

Procuro-me em todos os cantos

Tento me identificar, me localizar

Saber onde me encontro

Quando não estou em mim.

Se eu não estivesse mais aqui

Onde poderia ser mais facilmente encontrada?

O que remeteria as pessoas diretamente a mim?

O que olhariam e diriam: isso me faz lembrar dela!

Uma cachoeira, uma mata densa, pássaros, borboletas, flores?

O mar, um rio, a chuva, as estrelas, a Lua cheia?

Certamente, sinto-me em casa junto a tudo isso.

Um sorriso, um abraço, uma palavra, um poema? Identifico-me.

Meus filhos? Claro, partes mais lindas de mim.

Meus pais? Sim, sou parte deles.

Meu amor, meus amigos? Alguns deles, os que me amaram, me entenderam, sintonizaram comigo.

Em cada pessoa que passou por minha vida, que me agregou valores, me fez feliz, me fez sofrer?

Sim, foram também partes de mim.

Estou em muitos lugares, em cada pedaço de chão que pisei

No ar que respirei, mas, principalmente, no amor que doei.

Se quiserem me encontrar, procurem em tudo isso,

Também no sorriso de uma criança,

Na nostalgia de um idoso, no abraço de um casal apaixonado…

De preferência, num dia de chuva.

Eu estarei lá!

Quando não estou em mim estou naqueles que amo,

Onde quer que estejam.

E estar neles, é um modo de estar em mim.

Alda M S Santos

QUANDO NÃO ESTOU EM MIM

A poesia está em toda parte, mas é preciso sentidos alertas para captá-la.

Transformar em poemas e prosas poéticas parte dessa poesia é o objetivo principal dessa obra.

Captar sensações, sentimentos, a relação com Deus, com o outro, consigo mesma é trabalho minucioso, prazeroso.

Destrinchar relacionamentos de amizade, de amor, de carinho, relações conturbadas, fazer da poesia sua maior catarse.

E, o principal, fazer com que o leitor sinta-se parte disso tudo é o desejo da autora.

Mesmo quando ela não está em si mesma, procura se encontrar no outro.

E deseja que, em contrapartida, ele também nela se encontre quando estiver distante de si mesmo…

GRATUITO na Amazon.com.br até hoje. Baixe o seu!

Respeitando limites

RESPEITANDO LIMITES

Nem estacionada e nem correndo

Sigo a vida no ritmo que me satisfaz

Com aqueles que mereci para estarem nessa jornada comigo

Junto daqueles que me conquistaram com amor e carinho

Dia e noite, faça chuva ou faça sol

Nas tempestades ou nas bonanças, caminhamos

Se estaciono, enferrujo, atrofio

Se corro, posso me contundir, machucar, ferir

E ser obrigada a parar antes do fim

Quero seguir caminhando, sempre em frente

Mãos dadas, objetivos comuns, almas afins

Respeitando os limites físicos

Mas também os intelectuais, os emocionais

A mente, o coração, a alma também têm ritmo próprio

E cada qual sabe bem aquele que lhe cabe

E faz feliz…

Sigo caminhando…

Alda M S Santos

Devaneios

DEVANEIOS

Vou escrever uma história

Daquelas bem bonitas

Real ou imaginária

Talvez mesclada, realizada e sonhada

E colocar numa garrafa de vidro

Enrolada tal qual pergaminho

Exalando um pouco de perfume suave

Um beijo de batom rosa

Umas lágrimas desobedientes

Muitos sorrisos de satisfação e amor

Colocar uma rolha fechando a vácuo

E lançar no oceano…

Quem sabe um dia, décadas à frente, alguém a encontre

A esfregue para retirar marcas do tempo

E, tal qual gênio da lâmpada de Aladim

De lá de dentro a história se materialize novamente

Rica em detalhes e melhor vivida

Ou que apenas deixe para a posteridade

O registro de uma história de vida bonita

Espero que seja a nossa…

Alda M S Santos

Mexidos e remexidos

MEXIDOS E REMEXIDOS

Sabe aqueles dias que nos sentimos um suco remexido

Daqueles que estavam “descansados”

Com o conteúdo sólido, denso, depositado no fundo

E o que é leve dando cor, leveza e sabor

Misturado, à mostra ou na superfície, facilitando a vida?

Aí vem algo e balança tudo

E o que “pesa” mistura-se novamente

Como vento que levanta a poeira assentada

Lança as folhas para todos os lados

Derruba galhos, agita lagos, lagoas e mares

Novo trabalho de descanso e repouso é exigido

Para a vida seguir leve, colorida e saborosa

Ainda que o pesado que repousa lá no fundo

Seja aquilo que dá vida e sustentação a todo o resto…

Alda M S Santos

Caçamba

CAÇAMBA

Amigos, amores, familiares caçamba

Aqueles nos quais se joga de tudo

Aquilo que já não se usa mais

Ou o que é perigoso, machuca, fere, sangra

Normalmente, tudo que é descarte

Mas em meio a tanta confusão

Muitas vezes algo de bom também é lançado

E as boas e verdadeiras amizades ou amores

Sabem o que aproveitar, o que reciclar, o que ignorar

Selecionar algo de bom naquilo que o outro lançou

E muitas vezes nem percebeu

Quantas vezes somos caçamba?

Quantas vezes fazemos os outros de caçamba?

Essa troca é essencial em todo relacionamento saudável

Com o devido cuidado e equilíbrio

Nem só caçamba, nem só usuário dela …

Alda M S Santos

Espaço e conteúdo

ESPAÇO E CONTEÚDO

Viver é estar sempre em busca de plenitude!

Muitas vezes somos muito espaço para pouco conteúdo

Tantas outras somos muito conteúdo para pouco espaço

Ambas insatisfatórias!

Por isso buscamos o outro

Neles fazemos essa troca

Essa transferência espaço/conteúdo em busca de equilíbrio!

Alda M S Santos

Next!

NEXT!

A vida, muitas vezes, parece com aqueles cadastros online

Onde há lacunas obrigatórias a serem preenchidas

Não adianta ignorar, fingir que não viu

Recusar-se a cumprir a tarefa

Não há como prosseguir!

Sempre aparecerão os erros que impedem “a próxima página”

Ou os resolvemos, ou empacamos ali

São “problemas” cuja solução são a senha para o próximo passo

São erros(!) cujo alerta sinaliza que há algo impedindo a passagem

Que é preciso voltar atrás, corrigir, consertar, preencher

Ou, simplesmente, ficar ali estacionado

Não é vergonha pedir ajuda

Há erros e lacunas que não resolvemos sozinhos

Vergonha é repetir o mesmo erro até ser bloqueado

Next! Em frente! Enfrente!

Alda M S Santos

Eu acredito

EU ACREDITO

Eu acredito num amanhã colorido e brilhante

Mesmo que o hoje esteja cinzento e fosco

Eu acredito no poder apaziguador de um sorriso

Mesmo que ele esteja embaçado pelas lágrimas da guerra

Eu acredito na capacidade de aprendizado e renovação

Mesmo que as lições sejam duras e cortem fundo

Eu acredito no milagre curativo de um abraço, de um colo

Mesmo que o individualismo tente se impor como a nova lei

Eu acredito no poder da união, da família, da compaixão

Mesmo que os laços tantas vezes pareçam nós

Eu acredito num mundo novo de amor e paz

Mesmo que ele traga consigo, marcado a ferro, as cicatrizes do sobrevivente

Porque quem sou eu para perder as esperanças

Se somos feitos “a sua imagem e semelhança”

E Ele ainda crê em nós?

“A esperança é o sonho das pessoas acordadas”, disse Aristóteles

E ainda estou acordada

Acredito e sonho…

Alda M S Santos- Serra da Moeda MG

Poesia: analgésico, anestésico, estimulante

POESIA: ANALGÉSICO, ANESTÉSICO, ESTIMULANTE

Na dor, poesia é analgésico eficaz

Na saudade, poesia é anestésico poderoso e catártico

Na letargia, poesia é estimulante feroz

Na alegria, poesia é pura magia

Na descrença, poesia é a fé restaurada

Na vida poesia é a droga legalizada

No poeta, poesia, amor, fé e vida se fundem

Se confundem, se materializam, se transmutam

Em letras, versos, poemas, emoções…

Poesia é registro vivo, a prova irrefutável

Daquilo que ainda vive…

Alda M S Santos

DiRoma Parque- Caldas Novas

Que haja vida em nós

QUE HAJA VIDA EM NÓS

Tantas vidas valiosas se perdendo todos os dias

Levadas de modos tão estúpidos e cruéis

Nos tiram o chão, o ar, nos deixam à mercê do acaso

Fazem-nos crer que não valemos grande coisa

Que não temos controle de nada

Somos um grão de areia nessa imensa galáxia

Que podemos simplesmente sair para trabalhar e não voltar

Sem sequer poder nos despedir, nos desculpar

Dar um último abraço ou beijo

Ou fazer uma bela declaração de amor

Com palavras, com uma delicadeza, um olhar ou um aceno

Mas será que há mesmo acaso?

Qual nossa responsabilidade sobre nossas vidas

E sobre as vidas dos que nos são caros

Ou que são caros para os outros?

Quero crer que um propósito há nisso tudo

Que ainda podemos seguir, abraçar, amar, viver

Porque no dia em que não acreditarmos mais nisso

A vida já terá se acabado em nós

Com ou sem tragédias

E isso é pior que morrer…

Que a fé e o amor prevaleçam

Que os aprendizados aconteçam

Que as mágoas arrefeçam

E que sempre haja vida em nós para recomeçar

Quantas vezes forem necessárias…

Alda M S Santos

Foto Serra da Moeda – MG

Como determinar?

COMO DETERMINAR?

Por quanto tempo certas perdas irão doer

Por quanto tempo algumas pessoas farão falta

Como determinar?

Por quanto tempo elas serão lembradas sob lágrimas

Quando a lembrança será apenas saudade boa?

Como determinar?

Depende do tempo que se passou juntos

Da profundidade do que foi vivido, das marcas deixadas?

Como determinar?

Doerá menos se não restaram dívidas a quitar

Se não ficaram mágoas ou algo a perdoar?

Como determinar?

Por quanto tempo quem ficou para trás

Ainda se sentirá sem chão ou perdido

Como determinar?

Há como calcular o tempo de cura?

Em quanto tempo os vazios deixados serão novamente preenchidos?

Tantas pessoas se vão todos os dias

Tantas pessoas ficam para trás

Tantas dores que não sabemos se têm fim

Ou se são apenas anestesiadas, amortizadas

Tantas perdas, tantas mortes

Até quando quem as sofreu

Irá querer voltar no tempo para ter de volta quem se foi,

Para consertar algo?

Como determinar?

A vida é um piscar de olhos

Aproveitemos esse intervalo antes do cerrar definitivo das pálpebras!

Alda M S Santos

Instituto Inhotim -Brumadinho

Haja lágrimas!

HAJA LÁGRIMAS!

Nem bem uma lágrima seca

Um soluço passa

A descrença começa a perder força

Vem outra tragédia para irrigar a emoção

Puxa vida! Haja lágrimas!

Deus, tenha piedade de nós

Cuide de nosso Brasil

Não nos deixe perder a fé em dias melhores

Em boas pessoas, na capacidade de lutar

E seguir em frente

Mesmo com tudo balançando todo o tempo

Despencando e querendo nos levar daqui

Será que seria tão ruim ir embora?

Vontade de chorar e chorar…

Alda M S Santos

Nos caminhos da vida

NOS CAMINHOS DA VIDA

Somos gratos quando alguém caminha conosco

É bom ter mãos entrelaçadas, desejos comuns

Mesmo que nem sempre o outro esteja todo o tempo conosco

Mas que, de onde estiver, esteja a nos dar a mão

O apoio, a confiança, a proteção

As pegadas podem não estar impressas ao nosso lado

Mas as sentimos marcadas em nós como digitais

Não como fiscais ou cerceadores da liberdade

Mas como segurança, porto seguro, refúgio

É bom poder estar acompanhados nessa marcha

Por alguém que se faça tão presente em nós

Que mesmo quando ali não estiver

Seja notado por todos

Mas, principalmente, sentido por nós

Qualquer caminho torna-se prazeroso

Se temos conosco bons caminhantes…

Alda M S Santos

Quase um século

QUASE UM SÉCULO

Minhas lembranças mais remotas e saudosas

Vêm do cheirinho da casa dela

De sua comida no fogão a lenha

Do quintal gigante e da água do poço

Completa hoje 96 anos a minha avó Dudu

Com uma descendência grande de 44 pessoas

Mas não tão longa quanto suas histórias

E o carinho e amor contido, quase nunca declarado, por cada um dos seus

No interior das Minas Gerais, Guanhães, em especial

Ela cumpre dignamente sua passagem por aqui

Casos a contar, lutas, vitórias, derrotas, sobrevivência

Seis filhos, dezenove netos, dezoito bisnetos, uma tataraneta

Cada qual seguindo seu caminho, sua trajetória

Tão pequenina, miúda, cabeça boa, frágil

Um abraço parece que irá quebrá-la

Frágil? Que nada!

Poucos chegam a quase um século de vida

Tão bem quanto ela

Quem a vê tão magrinha e meio encurvada

Se engana ao pensar que é dependente

Sequer a imagina se virando sozinha com suas necessidades básicas

Se perguntada, diz que não está valendo nada

Que já era e não passa de hoje

Mas não quer seguir ninguém, gosta de seu cantinho

Seu ninho, mesmo fisicamente vazio

Quem a pode criticar?

A vida é assim mesmo: ora carregamos, ora somos carregados

Mas enquanto aguentamos, andamos por nossas próprias pernas

Que Deus dê a ela muita saúde, tranquilidade, resignação

E dignidade para vencer seu caminho junto aos seus

Felicidade, Dindinha! Te amo!

Alda M S Santos

O bem e o mal

O BEM E O MAL

O mal pode ser contagioso,

mas o bem também pode

Vence aquele que for melhor propagado!

Alda M S Santos

#carinhologos 💖

Preste atenção

PRESTE ATENÇÃO

Olhe para o que te falta, busque

Mas veja aquilo que você tem de verdadeiramente seu

Olhe devagar, absorva o positivo, o divino

Preste atenção!

Inspire fundo, sinta o perfume doce da paz

Mesmo que precise inspirar muitas vezes

Sinta-se vivo! Preste atenção!

Olhe no seu entorno

Natureza viva, ar puro, brisa suave, calor humano

Entregue-se! Delicie-se!

Veja quem te estende a mão, quem te cuida

Quem te abraça, te acolhe, te ama

Quem reza por você, pensa em você

Quem sempre te coloca como prioridade

Preste atenção!

Veja com um novo olhar tudo aquilo que está dentro de você

Demore-se um pouco nesse olhar, tenha calma

Preste atenção! Sinta-se!

Ainda que seja apenas você mesmo

Olhe! Veja de verdade! Preste atenção!

E valorize! Valorize-se!

Onde você se encontra, também se encontra Deus

A vida é aquilo que fazemos dela…

Alda M S Santos

Ritmo da vida

RITMO DA VIDA

Havia um burburinho por ali

No entorno ouvia gargalhadas de algumas pessoas

Numa mesa algumas mulheres sorriam contando casos

Na outra um casal se falava com os olhos e as mãos

Um grupo de homens assistia ao futebol num canto

A música que se ouvia vinha de uma pequena banda ao vivo

Um senhor sério conversava com duas mulheres bem mais jovens

Os três pareciam isolados em si mesmos

Garçons e garçonetes frenéticos procuravam atender a todos

Numa mesa, virada para a rua, estava uma mulher olhando a Lua

Bonita, vestida de si mesma, parecia esperar alguém

Olhava o relógio todo o tempo e enxugava os olhos

Chamou o garçom, entregou a ele um guardanapo onde escreveu algo

Ele se encaminhou e entregou a mensagem ao violeiro da banda

Ele ruborizou, saiu de lá, foi até a mulher

E saíram dançando entre as mesas sob aplausos

Um guardanapo caiu no chão

Havia uma marca de beijo de batom, lágrimas e um “vamos dançar”?

Seguiram dançando ao ritmo que a vida impunha

Quantas histórias haviam ali?

A vida é assim, ela impõe o ritmo

Mas somos nós que escolhemos se, como

Quando e com quem dançar…

Alda M S Santos

Deixe-se seduzir

DEIXE-SE SEDUZIR

Ela vem cheia de charme

Luz, brilho, cantos e encantos

Sedutora, tira você para dançar

Gira pelo salão, pelas ruas, na contramão

Sobe e desce, oferece flores, perfumes e delicadezas

Faz que vai, volta, te abraça

Você a segue no sol ou na chuva

Dia ou noite, cedo ou tarde

Anda sobre águas, mergulha, vai longe

Você quer fugir, às vezes, quer desistir, tem medo

Mas ela não deixa você se abater

Habilidosa, sabe de seu valor, sua supremacia

É soberana, poderosa, instintiva

E usa de todos os artifícios para manter sua atenção e desejo

Quer venha nua ou coberta de riquezas

Ela te vence, te embriaga, te encanta, te seduz

E você se entrega…

Ela é a vida, que nunca desiste de você

Não desista dela

Deixe-se seduzir…

Alda M S Santos

Quando não estou em mim e-book

Ler é maravilhoso, escrever, idem

Ter seu próprio livro em mãos

Ler o que você mesma escreveu

Identificar-se ali, você em palavras, em versos

É indescritível!

QUANDO NÃO ESTOU EM MIM e-book

disponível na Amazon.com.br

Sonhos queimados

SONHOS QUEIMADOS

“Quem não sonhou ser um jogador de futebol”?

Uma habilidade, um dom especial, um sonho

Os pés tão hábeis com a bola,

E um coração recheado de esperanças

Num novo lugar, novas pessoas, novos amigos

Juventude, futebol, alegria, Flamengo, sacrifícios

“Posso morrer pelo meu time

Se ele perder, que dor, imenso crime”

Longe da família, investindo num sonho:

Ser um jogador famoso, ganhar dinheiro

Ajudar familiares, ser feliz…

Onde estava o erro disso?

Sonhos queimados tão precocemente

Viraram cinzas as esperanças

Dez adolescentes com vidas interrompidas sob fogo

“Bola na área sem ninguém pra cabecear

Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?”

Canto, de luto, muda, com Skank…

Hoje é triste uma partida de futebol

Tantas dores, tantas tragédias, luto

Parem o mundo que eu quero descer!

Alda M S Santos

Foto G1

#flamengo #skank #ninhodourubu

A importância que te dou

A IMPORTÂNCIA QUE TE DOU

Dou importância demais a você

Teria dito novamente a psicóloga

Por isso não sai dos meus sonhos

Dos meus pesadelos, para ser mais exata

Entra sem pedir licença, invade

Amedronta, assusta, aterroriza

Sou eu que preciso definir qual espaço você ocupará na minha vida

Muito, pouco ou nenhum!

O que não se resolveu na consciência

Tenta-se resolver na inconsciência

Você me assaltou, roubou, assustou, machucou, feriu

Causou medos e traumas, mas vencemos, ambos

Estou viva e você ficou sem uma dívida a mais a pagar

Então, fiquemos assim: não precisa mais me assustar

Você não tem participação especial na minha história

Ou, se teve, pela realidade dolorida da situação, passou

Não te desejo mal, apenas que encontre seu caminho

E que não precise mais assaltar ninguém…

E que Deus nos proteja a todos!

Alda M S Santos

Conversando

CONVERSANDO

Tão similares algumas conversas

Se feitas com intensidade e verdade

A conversa com nosso mentor que nos orienta

A conversa com nosso amor que nos acalma

A conversa com amigos leais que nos alertam

A conversa conosco mesmos que nos direcionam

Similares quando nos dispomos a ouvir realmente

A sentir Deus falando através deles

A meditação nada mais é que uma conversa conosco mesmos

Quando buscamos em nossa essência, em nosso mais íntimo

Deus falando em nós…

Através de tudo que Ele permite que esteja conosco

Dos nossos sucessos e fracassos

Sorrisos e lágrimas, ganhos e perdas

Deus fala conosco todo o tempo…

Cabe a nós a disposição para ouvir…

Alda M S Santos

Levezas

LEVEZAS

Não quero pesos, encostos

Preciso dispensar excesso de bagagens

Particularmente cargas emocionais que subjugam a alma e o corpo

Distribuir com equidade os demais “pesos”

Tornando-os mais leves, prazerosos de carregar

Preciso de mais confiança, esperança e paz

Preciso de mais cores, mais brisa, mais brilho

Mais reflexos positivos de mim nos outros

Dos outros em mim

Preciso manter a fé na humanidade

A fé em mim mesma

Por um mundo onde reinem

A suavidade, a beleza, a delicadeza

O encanto, o amor e a magia

Que nos atinja a todos

E que aconteça em via dupla

Que haja reciprocidade!

Alda M S Santos

Porteira fechada

PORTEIRA FECHADA

A vida nos é dada de porteira fechada

Como propriedades negociadas com tudo que carregam porteira para dentro

Recebemos ao nascer um pacote pronto, sem escolhas

Mas não precisa ser assim para sempre

Aos poucos vamos “negociando” o que ela nos deu

Fazendo trocas, descartes, novas aquisições

Vamos fazendo valer nossas escolhas, desejos

Descobrindo o que nossa “terra” produz melhor

Ou aquilo que ela não é boa em cultivar

Adubando o que cresce, enriquece, matando pragas

E dando a essa “propriedade” chamada vida

Que é só nossa, querendo ou não

A nossa cara, nossas características

Tudo que temos ou somos é resultado de nosso trabalho

Na propriedade que recebemos a princípio

Há alguns anos ou décadas…

A porteira veio fechada

Abri-la e fazê-la crescer cabe a cada um de nós…

Alda M S Santos

Antes de morrer

ANTES DE MORRER

Revendo minha lista de coisas a fazer antes de morrer

Já teve pouquíssimos itens, aumentou muitos

Agora sofre perdas e substituições

Uns são simplesmente apagados por inadequação

Por acreditar que o tempo não será suficiente

Por maturidade, decepção e/ou cansaço

Ou por pura covardia mesmo…

Nesse ínterim, outros itens mais “adequados” são inseridos

Menor exigência, maior fé, mais autoconhecimento

Mais autoproteção, menos ansiedade, mais sabedoria

A cada item alcançado, um novo é acrescentado

Afinal, o tempo ainda não parou

A areia desce na ampulheta invisível da vida

Tento acompanhá-la no meu ritmo

E a lista está ali, pedindo para ser completada

Antes de morrer…

Alda M S Santos

Perdendo vida

PERDENDO VIDA

Perder documentos, óculos, carteira, chaves

Num bolso, na bolsa, no transporte público ou na rua

Talvez se recupere, talvez não

E a vida continua…

Mas perder ideias, sonhos, ideais, pessoas, sentimentos

Escondidos num coração ou numa alma

Que não se mostra para o mundo

Que teme a dor, a rejeição, o sofrimento

É muito mais danoso, é perder o rumo, é perder vida

E talvez de modo irreversível

Todo cuidado é pouco com o que deixamos se perder de nós por aí …

Alda M S Santos

QUANDO NÃO ESTOU EM MIM e-book

Ter filhos, plantar uma árvore,

escrever um livro…

Que mais mesmo?

QUANDO NÃO ESTOU EM MIM…

Na Amazon e https://pag.ae/7UA8JevTM

Loucuras

LOUCURAS

A loucura é o tempero da vida

A pimenta que dá o toque especial ao prato principal

O sabor agridoce que nos inebria

Loucura é a válvula de escape em meio a tanta “realidade”

O sorriso e a lágrima entre o saudável e o doente

A gargalhada ou o grito que diferem felizes e infelizes

Entre cada ato tido como maluco

Ou em cada inércia tida como sã

Moram a alegria e o prazer de viver

A loucura é o traço sutil a distinguir o certo do errado

Mas é também a linha tênue entre a insanidade e a felicidade…

Loucura responsável é saudável!

Alda M S Santos

Quando não estou em mim, de Alda Santos https://pag.ae/7UA8JevTM

via Quando não estou em mim, de Alda Santos

QUANDO NÃO ESTOU EM MIM

QUANDO NÃO ESTOU EM MIM

Meu primeiro e-book:

Compre pelo https://pag.ae/7UA8JevTM

Meu e-book

QUANDO NÃO ESTOU EM MIM

DEDICATÓRIA

Dedico estes fragmentos de vida àqueles que sempre estão em mim, mesmo quando não estou: pais, filhos, esposo, amigos, família, Deus… a eles toda a poesia que existe em mim…

PRÓLOGO

Aqui uma pequena coletânea de poemas e prosas poéticas.

A vida e situações cotidianas, reais, fictícias ou imaginárias relatadas em verso e prosa.

O amor vivido intensamente na família, na natureza, no contato com Deus através de toda a beleza de sua criação.

Unos em sua humanidade, duos quando se trata de gênero, múltiplos em sua individualidade…

Assim são os seres humanos, tão simples e tão complexos! �Em todos busco captar sua essência com o intuito de viver e contagiar o mundo com a poesia.

Deixar fluir a energia intensa do amor através da escrita. Florir esse jardim!

Convido vocês a cultivá-lo comigo!

Alda M S Santos

Disponível na Amazon.com.br

E também via pagseguro

https://pag.ae/7UA8JevTM

Mudanças

MUDANÇAS

Mudar causa medo, insegurança

Expectativa, dores, desalento, esperança…

Mas não mudar pode ser muito pior

Quando tudo a nossa volta muda

Permanecer estático e agarrado ao passado

É deixar a derrota chegar sem lutar

Ninguém vive totalmente no presente

Dizem que vivemos 40% apenas no presente

O restante ficamos entre a saudade do passado e expectativas do futuro

E buscar esse equilíbrio é que é saudável

Mas nem sempre é fácil

Uns crescem, se vão, se viram sozinhos

Outros não mais precisam de nós ou nunca precisaram

Precisamos reaprender a viver dia a dia

A lidar com (des)amor,(in)gratidão, (in)felicidade

Concentrando um pouco mais em nós mesmos

Pois até pra seguir em frente e ajudar

Precisamos estar bem…

Alda M S Santos

Entre amigos

ENTRE AMIGOS

Entre amigos sorrisos brotam livremente

Entre amigos lágrimas são enxugadas

Alguns até as impedem de cair

Entre amigos não há necessidade de impressionar

Entre amigos não há medos ou desconfianças

Entre amigos temos certeza do aconchego ou do colo

Entre amigos o tempo voa, pois é um tempo de paz

Entre amigos a inveja não existe

Entre amigos há prazer nas conquistas do outro

Entre amigos até a distância é aproveitada

Para selar o que há de mais sublime:

O amor infinito presente numa amizade verdadeira

Aquela alicerçada no amor divino que os aproxima

Amizade é amor de Deus em forma humana

Disfarçado de sorrisos e delicadezas

A nos salvar quando tudo parecer sufocar …

Cultivemos!

Procuremos ver Deus em cada amigo que temos…

Alda M S Santos

Vejo em você

VEJO EM VOCÊ

Vejo em você o que preciso para crescer

Para ser melhor a cada dia

E não são só coisas boas que me possibilitam isso

O que há de negativo em você também me ensina a evoluir

Me permite desenvolver o que é falho também em mim

Aprendo quando você me faz sofrer, me faz chorar

Aprendo quando você me leva ao êxtase, à alegria extrema

Sou melhor quando preciso esquecer um pouco de mim

E me concentrar no que você insiste em me mostrar

Vejo em você vários caminhos que me desnorteiam

Mas que também me ensinam a responsabilidade das escolhas

Vejo em você, Vida, tudo que preciso para ser eu mesma

Um ser humano em evolução que busca no amor a sua luz

Por isso ainda insisto em ficar com você!

Obrigada, Vida!

Alda M S Santos

Mas que amor ô ô ô ô ô ô

MAS QUE AMOR Ô Ô Ô Ô Ô Ô

Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô

Mas que amor ô ô ô ô ô ô

Dançam pra lá e pra cá

Cantam, sorriem, se divertem

Idosos que tentam ignorar limitações

Aceitam carinho, atenção, amor

Na lembrança de uma marchinha de carnaval

As comportas se rompem

Jorram outras memórias feito água nas pedras de uma cachoeira

Que inundam a alma de alegria

E se espalham feito confete e serpentina

Atravessaram o deserto do Saara, ops, da vida

Queimaram-se e estão aqui

Sempre em busca de um oásis

Do qual amamos participar

Sendo e buscando a água limpa nesse extenso deserto

Que muitas vezes se tornam nossas vidas

E matamos a sede…

Alda M S Santos

#carinhologos

Isso é se eternizar…

ISSO É SE ETERNIZAR…

Pode ser que um dia nosso nome esteja gravado por aí

Pode ser que esteja escrito noutros lugares

Além da pedra de nossa lápide

Pode estar gravado nos documentos de filhos e netos

Nas escrituras de imóveis, nos registros de bens diversos

Pode estar gravado em letras garrafais e douradas

Dando nome a uma empresa importante

Ou a uma rua, escola, viaduto ou teatro

Pode estar impresso nos diários da vida de alguém

Na capa de um livro, na porta de uma sala ou consultório

Mas se não estiver gravado feito tatuagem nos corações daqueles que ficaram

Que fizeram parte de nossas vidas

Que amamos, que nos amaram

Marcado como digital firmada dia a dia nas delicadezas

Nenhuma gravação em letras douradas terá valia

E nossa passagem por aqui estará apagada para sempre

Pode ser que eu esteja gravada em vocês

Com as letras suaves da doçura e do amor

E vocês certamente estarão gravados em mim

E seremos eternos a cada vez que a lembrança de nosso nome

De nosso sorriso, abraço ou carinho

Fizer pulsar mais forte um coração

Isso é se eternizar…

Alda M S Santos

Tributo a Brumadinho: lama ou flores?

TRIBUTO A BRUMADINHO: LAMA OU FLORES?

Cada um dá o que tem, aquilo que dispõe

Se o que recebemos foi dor

Façamos uma oração a quem sabe de todas as coisas

Se o que recebemos foi lama

Joguemos pétalas de rosas

Se o coração apertar e as lágrimas brotarem incessantemente

Deixemos rolar…

Elas lavam o caminho para o novo nascer

Desintoxicam…

Ainda que machuque, mesmo que demore

O que é bom, verdadeiro, que vem da alma

Sempre encontra uma área fértil em meio à destruição

Para renascer…

Isso vale para flores, para sentimentos, para pessoas

O amor não morre em meio a tanta dor

E essa vida, lama nenhuma tira ou mata

Vão em paz, fiquemos em paz…

Que cada um de vocês que permanece aqui em nossos corações

Brotem lindos e viçosos onde não há mais qualquer dor…

Alda M S Santos

Fotos Band, G1 e R7

Talvez

TALVEZ

Talvez um dia eu possa me arrepender

Talvez no futuro tudo venha a ser diferente

É até bom mesmo que seja, que mude

Mudança gera força, crescimento

Mas, hoje, é o que tenho

E, hoje, posso agir, escolher um caminho do qual me orgulhe

Talvez não saiba ao certo como agir

Mas sigo minha intuição, meu coração

Se ele dói, se aperta, é porque o caminho não é o melhor

Tem pedras, buracos, posso cair, me machucar

Ou não conseguir impedir a queda de alguém querido

Mudo a rota, a altitude, o voo

Balanço, fico insegura, nem sempre tranquila, tenho medos

Mas sigo em frente no hoje, mantendo o equilíbrio

Talvez amanhã nem esteja mais aqui

Mas quero levar comigo e deixar por aqui

A lembrança de alguém que fez tudo que pôde por amor

Talvez o amanhã mude, ou seja ainda melhor

Creio nisso e sigo…

Talvez…

Alda M S Santos

Incompletos

INCOMPLETOS

Seres humanos incompletos

Todos somos!

Crer-nos completos é uma falha

Seria o primeiro passo para a impossibilidade de crescer

A completude implicaria num ser sem espaços vagos

Sem capacidade de absorver algo novo

Somos incompletos no ser, no sentir, no agir

E a cada dia podemos sentir algo novo

A cada dia podemos agir de modo diferenciado

Para, a cada dia, podermos nos tornar um novo ser

Ainda assim, incompletos!

Preenchendo nossos vazios físicos, mentais, emocionais

Nossa alma é um espaço oco que vamos preenchendo

Com as coisas, sentimentos e pessoas que nos fazem bem

Infinitamente…

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: